05 maio 2018

[Crítica musical]Dona de Mim – IZA

Começando com covers no YouTube lá em 2014, IZA lançou seu primeiro álbum na última sexta-feira (4). De Beyoncé a Magic!, a carioca de Olária se destacou no ano passado com os clipes de Pesadão (https://www.youtube.com/watch?v=g8psa0UBZKA), com participação de Marcelo Falcão, e Ginga (https://www.youtube.com/watch?v=NcY80SPnvfE), com parceria do Rincon Sapiência, e agora mostra sua versatilidade musical com ‘Dona de Mim’, com 14 faixas recheadas com o vozeirão imponente da cantora.

O que eu mais gosto neste novo movimento da música pop é quando os cantores lançam álbuns que fazem sentido, que não parecem somente um recorte de músicas mais ou menos e deixam o encargo para uma ou duas. IZA vai contra isso e monta um álbum com personalidade, que mostra suas mais variadas facetas e falando sobre festas, sexo, separação e amor.

As parcerias escolhidas são excelentes e mantém a coerência do porquê delas estarem ali e terem sido escolhidas para o trabalho. Não são músicas que passam batidas, você pode tanto escutá-las separadas, quanto no ritmo do próprio CD. São ritmos diferentes misturados com o pop internacional, a voz poderosa da IZA, com composições descontraídas e que tem um equilíbrio muito grande.

Desde que eu comecei a acompanhar ela, exatamente quando soube que ela seria o novo investimento da Warner Music, eu me encantei e vi que ela poderia ir por um caminho diferente do que muitos artistas nacionais já iam. E fico muito feliz de que ela tenha esperado o momento certo, com um álbum rico em faixas que te fazem querer sair da cadeira, ao mesmo tempo que te faz ter gás para continuar o seu dia a dia.

Vamos a análise de algumas faixas:
Em ‘Rebola’ ela se junta com Carlinhos Brown e Gloria Groove. Uma das misturas que eu não estava esperando e que deu muito certo. Ela me lembra os traços que Ginga traz, juntando o pop com a percussão de Brown e o rap de Gloria. É uma junção muito boa e já estou ansioso para o clipe. 

Em ‘Bateu’, em parceria com o produtor carioca Ruxell, IZA não perde o ritmo e aumenta ainda mais a positividade das suas composições, mostrando ao que ela veio: Trazer entretenimento de boa qualidade. É uma das músicas que devem funcionar muito ao vivo.

Uma das parcerias mais esperadas, ‘Corda bamba’ com Ivete Sangalo... Vou confessar que foi uma das que menos me animou. De algum modo, me lembrou bastante algumas músicas infantis do Palavra Cantada. Isso não desmerece o que foi feito, só acho que é uma faixas que mais destoam do álbum por completo.

Saudade daquilo’ e ‘Ponto G’ são as músicas mais picantes do álbum. Muitas pessoas ainda carregam o tabu de ver mulheres falando sobre sexo e como gostam disso. IZA mostra não ter qualquer tipo de medo em relação ao assunto, mesmo depois de ficar conhecida por músicas que não falem sobre. Eu gostaria muito que uma dessas músicas virasse um dos singles desse primeiro álbum.

Dona de mim’ é a faixa-título do CD. Apesar de trazer um nome forte, a música mostra uma IZA introspectiva, que nos mostra como foi chegar a esse patamar. Ela fala sobre dúvidas e erros e como foi necessário passar por esse espaço para depois se reconhecer dona de si. É linda, é tocante e simples.

IZA tem tudo para dar certo, como já deu. É possível escutar o seu álbum por completo do YouTube e no Spotify. 

Lançamento: 27 de Abril de 2018

Escrito por Sérgio Augusto 

Nenhum comentário

Postar um comentário