15 maio 2018

[Crítica] Deadpool 2

Sinopse: Deadpool (Ryan Reynolds) está de volta maior, melhor e mais engraçado do que nunca. Quando o super soldado Cable (Josh Brolin) chega em uma missão assassina, o mercenário precisa aprender o que é ser herói de verdade, recrutando pessoas poderosas, ou não, para ajudá-lo.

O que eu achei:
Deadpool (Ryan Reynolds) chega mais uma vez com toda sua ousadia aos cinemas e certamente não nos desaponta em sua sequência. 
O filme segue os parâmetros do primeiro, com a essência do Deadpool, levando seu palavreado nada convencional e quebrando a quarta parede para manter aquela aproximação com o público e torna o filme ainda melhor.

Desta vez Deadpool vai encontrar explorar seu lado mais emocional, pode-se dizer que o personagem teve um amadurecimento por conta de acontecimentos do filme e com isso ele vai acabar surpreendendo a si mesmo. Um dos fatores que o ajuda a ter esse amadurecimento é a chegada de Cable (Josh Brolin), um mercenário que está em uma missão assassina e Wade vai combatê-lo com todas as suas artimanhas, incluindo o sarcasmo.
O filme supriu tudo o que eu estava esperando como fã, mas vale ressaltar que faltou um quê que tornasse o filme espetacular, aquele toque que acrescentado tornaria a história 10/10. Mas mesmo assim a história vai lhe envolver do começo ao fim e desta vez Ryan Reynolds não poupou referências e piadas com a cultura pop que farão você dar gargalhadas do começo ao fim.
Com a evolução do protagonista em si, vemos isso refletindo nos personagens ao seu redor. Agora com mais personagens, Deadpool recorre a montar um esquadrão para derrotar o mais novo vilão e o próprio por mais que tente levar a sério a situação acaba sendo cômico involuntariamente. 
Com cenas de ação muito bem produzidas, uma trilha sonora envolvente e incontáveis referências, Deadpool 2 vai agradar o público sem sombra de dúvida.

P.S.: O filme conta com uma cena pós-créditos que não merece passar despercebida.



Por Leonardo Alves

Nenhum comentário

Postar um comentário