08 março 2018

[Nerds & Geeks] Como a história da Mulher-Maravilha está relacionada com a luta das mulheres pro seus direitos

  A Mulher-Maravilha é um dos maiores símbolos da luta das mulheres pelos seus direitos. Desde sua criação em 1942, ela sempre foi considerada um marco na história dos quadrinhos. Seu criador, William Moulton Marston, traçou vários paralelos com sua vida. Aqui estão alguns fatos pouco conhecidos sobre a MM e outros que merecem ser relembrados:

1)Ela foi inspirada por Margaret Sanger e em outras sufragistas:
  Marston era um professor de psicologia na Universidade de Tufts que tinha um grande interesse nas dinâmicas de gênero,nos direitos femininos e na luta das sufragistas.
O professor se apaixonou por uma de suas alunas (ele já era casado com Elizabeth Holloway Marston) que era sua assistente chamada Olive Byrne. Olive era filha de Ethel e sobrinha de Margaret Sanger. Olive e Ethel abriram o primeiro Planned Parenthood (uma organização sem fins lucrativos que fornece cuidados de saúde reprodutiva à mulheres nos EUA e depois se expandiu para o resto do mundo). Mais tarde,Olive foi morar com William e Elizabeth e eles tiveram uma relação poliamorosa até a morte de William, em 1947.

2) Há uma razão de porque ela está sempre amarrada
   Um tema recorrente nas histórias é que ela se fosse amarrada em correntes por um homem, ela perderia todos os seus poderes de amazona.Isso se deve ao fato de que as sufragistas se amarravam durante os protestos e utilizavam as correntes como significado da opressão masculina. Marston estava preocupado com bondage-que tanto significa servidão quanto o fetiche de ver alguém amarrado. William tinha uma teoria que as mulheres gostava de serem amarradas e passava as mensagens em seus quadrinhos a gostarem disso. Depois de ser acusado de sadismo, ele escreveu uma carta ao seu editor dizendo: ´´Essa, meu caro amigo, é a maior contribuição que as minhas histórias da Mulher-Maravilha para a educação moral do povo.A única esperança é ensinar as pessoas que estão sem ânimo e restrições a gostarem de serem encontradas-a gostar de submissão vinda de uma autoridade gentil e sábia.´´ As HQs chegaram a serem banidas por um tempo durante a década de 40 devido à aparência hipersexualizada de sua vestimenta e à romantização da submissão.
                       Diana amarrada em uma HQ dos anos 40

3)Ela foi criada como uma resposta à ascensão dos nazistas
A primeira revista de histórias em quadrinhos a atingir as bancas foi do Superman, em 1938 (o Batman surgiu em 1940). Mas não muito tempo após seu lançamento, as críticas começaram a chover sob os quadrinhos: disseram que o Super-Homem poderia ser interpretado como um fascista- um übermensch todo-poderoso que teria um impacto negativo nas crianças americanas (lembrando que o surgimento das HQs de super-heróis coincide com a ascensão da Alemanha nazista. Alguns pais exigiram que os quadrinhos fossem queimados. 
O editor do Super-Homem, M.C.Gaines leu um artigo escrito por Olive Byrne para a revista Family Circle (uma publicação voltada aos assuntos de casa) dizendo que quadrinhos podem ser benéficos para as crianças. Gaines pediu a Marston para ajudá-lo a salvar os quadrinhos e Marston recomendou uma heroína, argumentando que as HQs eram muito violentas e precisavam de um toque de feminilidade. Daí surgiu o fenômeno.

4) O laço da verdade traça um paralelo com a vida de William
  Nas HQs da Mulher-Maravilha, o Laço da Verdade é um objeto usado para forçar qualquer um a dizer a verdade. O que nem todos sabem é que o professor foi o inventor do polígrafo, aparelho que mede a frequência cardíaca para determinar se uma pessoa está dizendo a verdade ou mentindo. Uma elevação na frequência significa que a pessoa está sendo desonesta. Em 1923, Marston tentou que seu teste fosse usado nos tribunais mas a ideia foi rejeitada, alegando que tinha uma alta margem de erro. William não ficou feliz com esse resultado e incluiu um momento autobiográfico em suas histórias: há uma HQ em que a Mulher-Maravilha tenta arrancar confissões feitas com seu Laço da Verdade durante um tribunal mas falha.
                   Símbolo da força e do movimento feminista

5) Ela foi criada com o intuito de ser um símbolo do feminismo:
Qualquer um que já tenha lido alguma HQ dela pode reconhecer os princípios do feminismo profundamente enraizado nas lições.Mas o que nem todos sabem é que Marston se diferenciou do resto da cultura popular ao afirmar que não apenas crianças se interessariam em ler um quadrinho sobre uma super-herói mas que ela também seria essencial na educação delas para ensinar sobre igualdade de gênero.
Como seu equivalente masculino, Super-Homem,ela é dotada de extraordinária força física. Na sua descrição, Marston escreveu:´´A Ela tem braceletes soldados em seus braços e pode repelir balas com eles.Mas se ela permitir que um homem a acorrente pelos pulsos, ela irá perder seus poderes. ´´Isso, disse o professor, é o que acontece quando as mulheres se submetem à dominação de um homem. Ele conclui: Criei a Mulher-Maravilha para estabelecer um padrão entre crianças e e jovens de força, coragem e liberdade feminilidade;e para combater a ideia de que mulheres são inferiores aos homens e para inspirar autoconfiança e realizações nos esportes e nas profissões dominadas pelo sexo masculino.

6) Apesar disso, ela começou na Sociedade da Justiça como secretária
   MM foi admitida na Sociedade da Justiça (uma precursora da Liga) com heróis como The Flash e Lanterna Verde depois que uma pesquisa entre leitores de HQs descobriu que a maioria queria que a personagem entrasse para a Sociedade. Em uma história datada de 1942 escrita por Gardner Fox, todos os super-heróis vão combater os nazistas, exceto pela Mulher-Maravilha que deve permanecer em casa e responder a correspondência. Marston ficou furioso quando soube que essa história tinha sido publicada.

7) Ela já concorreu à presidência dos EUA duas vezes:
A primeira vez que isso aconteceu foi em 1943 (em plena Segunda Guerra Mundial!) em uma história escrita por seu próprio criador e a segunda vez foi em um especial da revista Ms. em 1972. Infelizmente, ela não conseguiu em nenhuma das vezes. Bem que ela poderia ter concorrido nas de 2016 e tivessem-na eleito ao invés do Trump!
   
Capa da edição de 1943 em que Diana concorre pela primeira vez

Capa da edição de 1972,em que Diana concorre pela segunda vez. 


Resumindo: a maior super-heroína de todos os tempos não foi apenas precursora mas também mudou para sempre o papel das mulheres nas HQs.
  Feliz Dia Internacional das Mulheres!

Um comentário

  1. Existe um filme sobre isso! É interessante ver um filme que está baseado em fatos reais, acho que são as melhores historias, porque não necessita da ficção para fazer uma boa produção. Gostei muito dos melhores filmes drama , não conhecia a história e realmente gostei. Aqui: (link) podem ver mais detalhes do filme. Super recomendo

    ResponderExcluir