16 outubro 2017

[Resenha] Enraizados

  
´´Nosso dragão não come as meninas que captura,não importam as histórias que contem fora do vale. Nós às vezes as ouvimos por conta dos viajantes que passam por aqui.Eles falam como se estivéssemos sacrificando um ser humano e ele fosse um dragão de verdade. Claro que não é assim: ele pode ser um mago imortal, mas continua sendo um homem, e nossos pais se uniriam e o matariam se a cada dez anos ele quisessem usar uma de nós como comida.Ele nos protege contra a Floresta e somos gratos,mas não tanto assim. ´´

Agnieszka é uma menina que mora em uma vila chamada Dvernik no reino de Polnya. A cada 10 anos, o mago local, conhecido como o Dragão (cujo nome mais tarde é revelado como sendo Sarkan) escolhe uma das garotas da aldeia para ir morar com ele em sua torre como pagamento por proteger o vilarejo da entidade maligna que os cerca, a Floresta. Agnieszka não teme ser escolhida porque o Dragão só escolhe as garotas mais inteligentes e habilidosas e sua melhor amiga, Kasia, foi preparada para ser escolhida desde a infância. Mas no dia da cerimônia da escolha, ele surpreendentemente escolhe ela ao invés de Kasia e é forçada a deixar sua família para trás e se mudar para a torre. Ela fica encarregada dos afazeres domésticos e o Dragão resolve dar aulas de magia para ela, incluindo o complexo feitiço da Invocação, que é capaz de tirar a corrupção (infecção da floresta) das pessoas. 

Polnya está em guerra com Rosya, o reino vizinho e quando Kasia é atraída para a floresta por uma armadilha e Agnieszka e o Dragão conseguem extrair a corrupção dela, o príncipe Marek e outro mago conhecido como Falcão, ordenam que o Dragão entre na Floresta e traga de volta a rainha Hanna, que fora levada vinte anos antes. E inicia-se uma batalha de proporções épicas.

Adorei as referências ao folclore eslavo, como a lenda de Jaga, uma maga que viveu duzentos anos atrás e escreveu um livro de feitiços. É uma alusão à feiticeira Baba Yaga, que come crianças e mora em uma cabana com pés de galinha.Nas últimas páginas, a protagonista experimenta zhurek, que é a versão ocidentalizada de żurek, uma sopa feita de pão e carne. Aliás, o próprio nome da protagonista vem de um conto de fadas chamado Agnieszka Skrawek Nieba (Pedaço de céu)da autora Natalia Gałczynska e uma personagem desse conto, a vaca amarela, faz uma participação especial.

O lirismo dos contos de fada está presente cada pequeno detalhes, seja na descrição dos feitiços, dos cenários ou no background de cada personagem. A riqueza de detalhes é tão grande que apesar dele não ser muito grosso (376 páginas) não é uma leitura rápida, é preciso digerir as informações de tão densa que é a leitura.

A Warner Bros já comprou os direitos e o filme será produzido por ninguém menos que Ellen DeGeneres.
Façam um favor a si mesmos e LEIAM!!!

Curiosidade: Ganhou o Prêmio Nebula, o prêmio Locus de Melhor Fantasia e o prêmio Mythopoeic na categoria Literatura Adulta. Foi indicado para o Prêmio Hugo.



Nenhum comentário

Postar um comentário