Novidades

[News] Ministro da Defesa participa da XVI Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana

Fernando Azevedo e Silva abre o evento ao lado de Thomas Bareiß, parlamentar alemão

As mudanças na ordem global e a cooperação internacional, além dos impactos e remodelação do poder global a partir da Quarta Revolução Industrial serão alguns dos assuntos abordados por Thomas Bareiß - Secretário de Estado Parlamentar do Ministério de Economia e Energia da Alemanha e membro do Parlamento Federal da Alemanha, o Bundestag, - e Fernando Azevedo e Silva, Ministro da Defesa do Brasil, na abertura da XVI Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana, dia 20 de setembro. Os dois estarão lado a lado na mesa que inicia os trabalhos do evento. O ministro falará ainda sobre as Forças Armadas e o Ministério da Defesa no cenário brasileiro. A conferência é organizada pela KAS em parceria com o Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI) e com apoio da Delegação da União Europeia no Brasil.

Sobre a XV Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana:

Principal fórum sobre segurança internacional da América Latina, a XVI Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana anuncia mais uma edição, reunindo especialistas no assunto de diversos países do mundo. Com o tema “A Quarta Revolução Industrial: Impactos na Segurança Internacional e a Reformulação da Ordem Global”, o evento ocorre no dia 20 de setembro na Escola de Guerra Naval, no Rio de Janeiro. A 16ª edição da Conferência Internacional de Segurança do Forte de Copacabana tem por objetivo promover o diálogo entre América Latina e Europa na busca por soluções conjuntas de desafios globais, contribuindo com o fortalecimento da cooperação internacional sob novas perspectivas sobre temas de relevância internacional.

Sobre a Fundação Konrad Adenauer:

A Fundação Konrad Adenauer (KAS) é uma fundação política alemã, independente e sem fins lucrativos. Atuamos com base nos valores da União Democrata-Cristã (CDU), partido político alemão. Promovemos a Democracia, o Estado de Direito, os Direitos Humanos e a Educação Política, bem como a Economia Social de Mercado e o desenvolvimento descentralizado e sustentável. Presentes no Brasil desde 1969, reunimos lideranças atuais e futuras da política e da sociedade, bem como formadores de opinião no universo acadêmico. Trabalhamos sempre com parceiros locais e incentivamos o diálogo sobre os principais desafios do país.

Sobre o Centro Brasileiro de Relações Internacionais:

O Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI) é o think tank de referência em relações internacionais do Brasil: independente, apartidário e multidisciplinar, é pautado pela excelência, ética e transparência na formulação e disseminação de conteúdo de alta qualidade sobre o cenário internacional e o papel do Brasil. Conectado à agenda internacional, o CEBRI identifica e analisa as mais relevantes questões internacionais, promovendo o engajamento entre a produção de conhecimento e a ação política. Ao longo de dezoito anos de história, já realizou cerca de 500 eventos, produziu mais de 200 publicações e atua com uma rede internacional de mais de 100 entidades de alto nível em todos os continentes. A instituição se destaca por seu acervo intelectual, pela capacidade de congregar múltiplas visões de renomados especialistas e pela envergadura de seu Conselho Curador.

Sobre a União Europeia:

O Brasil é um dos principais parceiros e interlocutores da União Europeia no mundo. A União Europeia e o Brasil estabeleceram relações diplomáticas em 1960 e tem desenvolvido, ao longo dos anos, laços estreitos de natureza histórica, cultural, econômica e política. As relações bilaterais continuaram a crescer e se ampliar, culminando com a Parceria Estratégica entre o Brasil e a União Europeia, em 2007. Desde então, o Brasil e a União Europeia têm realizado cúpulas regulares focalizando os principais desafios globais, assim como aprimorando nossas relações diretas. Os temas centrais da parceria incluem crescimento econômico, cooperação em questões essenciais de política externa e o enfrentamento conjunto de desafios globais em áreas como os direitos humanos e as mudanças climáticas, bem como a luta contra a pobreza. O Brasil e a União Europeia também são parceiros comerciais e os países da União Europeia respondem por mais de 20% das exportações brasileiras. Além disso, a União Europeia é o maior investidor estrangeiro no Brasil, sendo que cerca de 60% dos investimentos estrangeiros no País se originam na União Europeia. 

 

Nenhum comentário