Novidades

[News] "Divino Amor": Carnaval é substituído por Rave Gospel em filme brasileiro que se passa em 2027


Divino Amor”, de Gabriel Mascaro (“Boi Neon”), divulga cena oficial: https://youtu.be/TXSDZSVk39g. O longa estreou nos festivais de Sundance e de Berlim e recebeu ótimas críticas da imprensa. Na crítica da Variety, importante publicação americana de audiovisual, o crítico Guy Lodge afirma que o longa começou de forma intensa a nova era de protestos do cinema brasileiro. O Hollywood Reporter considerou "Divino Amor” um dos 20 melhores filmes de Sundance e que Gabriel Mascaro é um dos cineastas mais audaciosos e talentosos do Brasil de sua geração. Além disso, o filme está com 100% de aprovação no Rotten Tomatoes. A previsão de estreia no circuito comercial brasileiro é no segundo semestre de 2019.

“Divino Amor” conta a história de uma mulher profundamente religiosa que é escrivã de cartório e usa sua posição no trabalho para tentar salvar casais que chegam para se divorciar. Joana (Dira Paes) faz tudo em nome de um projeto maior de fé dentro da fidelidade conjugal. Enquanto espera por um sinal em reconhecimento pelos seus esforços, é confrontada com uma crise no seu próprio casamento que termina por deixá-la ainda mais perto de Deus.

Sobre a cena divulgada, Mascaro pontua: “muitos filmes que se passam no futuro tendem a problematizar a tecnologia. Em Divino Amor eu tentei fazer um breve deslocamento temporal e se passa num futuro próximo, mas sem ter a tecnologia como centro da narrativa. Concentrei o universo do filme numa mudança cultural profunda ao retratar um Brasil onde o Carnaval perde espaço para a Festa do Amor Supremo, uma rave gospel. Isso nos possibilita especular um Brasil tomado por outras referências culturais, políticas e ideológicas num 2027 que está logo aí…”.

Além dos festivais de Sundance e Berlim, o longa foi selecionado para o 36º Miami Film Festival (Estados Unidos), Festival Internacional de Cinema de Guadalajara (México) e 22ª Festival de Cinema Luso-Brasileiro (Portugal).

No elenco estão Dira Paes, Emílio de Melo, Julio Machado, Thalita Carauta, Mariana Nunes, Teca Pereira e Tuna Dwek.

“Divino Amor” é produzido por Rachel Daisy Ellis (“Boi Neon”, “Ventos de Agosto”, “Doméstica”) e coproduzido por Sandino Saravia Vinay (coprodutor de “Boi Neon” e produtor associado de "Roma", de Alfonso Cuarón), Katrin Pors (produtora de “Pássaros de Verão”, de Ciro Guerra), Maria Erkhovd (Mer film, Norway). O longa é fotografado pelo mexicano Diego Garcia, que também assina a fotografia de “Boi Neon”, tradicional parceiro de Mascaro, que depois foi convidado a assinar a fotografia de renomados diretores como Apichatpong, Reygadas e Widing Refn. O filme é uma coprodução entre Brasil, Uruguai, Dinamarca e Noruega. No Brasil, o filme será distribuído pela Vitrine Filmes e representado internacionalmente pela Memento Filmes.

SINOPSE
Brasil, 2027. Uma devota religiosa usa seu ofício num cartório para tentar dificultar os divórcios. Enquanto espera por um sinal divino em reconhecimento aos seus esforços é confrontada com uma crise no seu casamento que termina por deixá-la ainda mais perto de Deus.

FICHA TÉCNICA
Direção: Gabriel Mascaro
Roteiro: Gabriel Mascaro, Rachel Ellis, Esdras Bezerra & Lucas Paraizo
Produção: Desvia
Coprodução: Malbicho Cine, Snowglobe, Bord Cadre Films, Mer Films, Film i Väst, Globo Filmes, Canal Brasil
Produtora: Rachel Daisy Ellis
Coprodução: Sandino Saravia Vinay, Katrin Pors, Augusto Matte, Dan Wechsler, Jamal Zeinal Zade, Maria Ekerhovd, Anthony Muir.
Produtores Associados: Vincent Wang, José Alvarenga Jr
Edição: Livia Serpa, Eduardo Serrano, Fernando Epstein & George Cragg
Diretor de Fotografia: Diego García
Diretor de Arte: Thales Junqueira
Figurino: Rita Azevedo
Caracterização: Tayce Vale
Som direto: Fabian Oliver
Desenho de som: Roberto Espinoza
Trilha Original: Juan Campodónico & Santiago Marrero, Otávio Santos

ELENCO PRINCIPAL
Dira Paes (Joana)
Julio Machado (Danilo)
Emílio de Melo (Pastor)
Teca Pereira (Mestra Divino Amor)
Calum Rio (Narrador)
Mariana Nunes (Divorciando)
Thalita Carauta (Cliente Cartório)

SOBRE O DIRETOR
Gabriel Mascaro é um cineasta e artista visual.  Seu filme mais recente “Boi Neon” estreou no Festival de Veneza onde recebeu o Prêmio Especial do Júri. Em seguida conquistou uma menção honrosa No Festival de Toronto e recebeu ainda cinco prêmios de Melhor Filme nos festivais do Rio, Varsóvia, Adelaide, Marrocos e Cartagena. No mesmo ano “Boi Neon” foi o indicado brasileiro ao prêmio Goya – o Oscar espanhol - e nomeado ao Prêmio Fênix em oito categorias, e terminou recebendo os troféus iberoamericanos de Melhor Roteiro e Melhor Fotografia. Gabriel Mascaro foi convidado de honra do FILM FRA SØR, em Oslo (Noruega), onde teve uma mini-retrospectiva. Em dezembro de 2016, “Boi Neon” entrou na lista dos 10 Melhores Filmes do Ano no jornal The New York Times. Seus trabalhos foram projetados ou exibidos em festivais e eventos como IDFA,Locarno International Film FestivalRotterdamLa Biennale di Venezia - Mostra Orizzonti, Oberhausen, theGuggenheim, Videobrasil, MACBA- Museu de Arte contemporânea de Barcelona, MoMA, Panorama da Arte Brasileira noMAM-SP e Bienal de São Paulo. Participou das residências artísticas do Videobrasil no Videoformes (FRA) e no Wexner Center for the Arts (EUA). Em abril de 2016, Gabriel Mascaro teve sua primeira retrospectiva no Film Society of Lincoln Center, em Nova York (EUA).

SOBRE A PRODUÇÃO
DIVINO AMOR foi produzido por Rachel Daisy Ellis para Desvia, e é sua quarta colaboração com o diretor Gabriel Mascaro. O filme possui uma forte coprodução sul-americana e europeia reunindo Sandino Saravia Vinay (Malbicho Cine, Uruguai) e Augusto Matte e Katrin Pors (SnowGlobe, Denmark), Maria Ekerhovd (Mer Film, Norway) e Anthony Muir (Film i Väst, + Sweden). O filme também tem coprodução nacional com a Globo Filmes e do Canal Brasil. O filme teve a participação de Diego Garcia como diretor de fotografia, que também filmou a Boi Neon e trabalhou com renomados diretores, incluindo Apichatpong, Reygadas e Widing Refn.

SOBRE A GLOBO FILMES
Desde 1998, a Globo Filmes já participou de mais de 280 filmes, levando ao público o que há de melhor no cinema brasileiro. Com a missão de contribuir para o fortalecimento da indústria audiovisual nacional, a filmografia contempla vários gêneros, como comédias, infantis, romances, documentários, dramas e aventuras, apostando na diversidade e em obras que valorizam a cultura brasileira. A Globo Filmes participou de alguns dos maiores sucessos de público e de crítica como, ‘Tropa de Elite 2’, ‘Minha Mãe é uma Peça 2’ – com mais de 9 milhões de espectadores -, ‘Se Eu Fosse Você 2’, ‘2 Filhos de Francisco’, ‘Aquarius’, ‘Que Horas Ela Volta?’, ‘O Palhaço’, ‘Getúlio’, ‘Carandiru’ e ‘Cidade de Deus’ – com quatro indicações ao Oscar. Suas atividades se baseiam em uma associação de excelência com produtores independentes e distribuidores nacionais e internacionais.

SOBRE A VITRINE FILMES
Em nove anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 130 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro. Mais recentemente a distribuidora lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa como diretor de Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.
No ano passado, alguns dos mais importantes lançamentos da Vitrine foram "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional, "Benzinho", dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, exibido no Festival de Sundance e “Uma Noite de 12 Anos”, exibido no Festival de Veneza.

Em 2019 a Vitrine Filmes fará sessões especiais em cinemas brasileiros de "Roma", dirigido por Alfonso Cuarón e vencedor de dois Globos de Ouro. Entre os lançamentos do ano estão “Divino Amor”, dirigido por Gabriel Mascaro e com Dira Paes no elenco, “Bacurau”, novo filme do diretor Kleber Mendonça Filho, com Sonia Braga, Karine Teles, Udo Kier e Silvero Pereira e "Pedro" novo longa da diretora Laís Bodanzky, produzido e protagonizado por Cauã Reymond.

Além disso a Vitrine Filmes segue pelo terceiro ano consecutivo com o projeto de distribuição coletiva de filmes Sessão Vitrine Petrobras, que durante o ano todo irá lançar 10 longas nacionais em mais de 25 cidades do Brasil.


Nenhum comentário