03 janeiro 2019

[News] Canal Brasil apresenta “Cine-Delas”, mostra que reúne 13 filmes assinados por mulheres

Antes da exibição de cada filme, Anna Muylaert reúne cineastas para discutir questões relacionadas à presença feminina no cinema brasileiro

A partir do dia 5, o Canal Brasil exibe, pelo quarto ano consecutivo, a “Mostra Cine-Delas”, com 13 filmes assinados diretoras brasileiras, das mais diversas naturalidades e sotaques. De janeiro a março – mês do Dia Internacional da Mulher –, sempre aos sábados, às 22h, com reprise na terça, à 0h15, o canal exibe produções que reforçam a participação feminina no cinema em funções antes dominadas pelos homens. Antes da exibição de cada obra, Anna Muylaert media um bate-papo entre a diretora responsável pelo título e duas outras cineastas, abordando questões relacionadas à presença feminina no cinema brasileiro como: sororidade, exposição do corpo, tabu da sexualidade, representatividade, entre outros.

Na estreia, a mostra exibe Amores de Chumbo (2017), de Tuca Siqueira, e Anna recebe, além da diretora, Julia Murat e Sandra Kogut para uma conversa sobre “Ditadura e Democracia”. Ao ser perguntada sobre porque retomar esse tema, que parecia algo do passado, em um momento em que isso volta a estar em pauta como uma possível realidade, Tuca responde: “Pra mim, esse assunto nunca esteve distante porque eu sou filha de ex-presos políticos e eu cresci numa família que não é de sangue, que são os companheiros de cárcere dos meus pais. Então, desde muito cedo eu escuto as histórias”.

O festival exibe ainda os seguintes filmes: Meu Passado Me Condena: o Filme (2013), de Júlia Rezende; Cazuza – O Tempo Não Para (2004), de Sandra Werneck; Pela Janela (2017), de Carolina Leone; Aos Teus Olhos (2016), de Carolina Jabor; Pendular (2017), de Júlia Murat; Encantados (2014), de Tizuka Yamasaki; Para Ter Onde Ir (2016), de Jorane Castro; Muitos Homens Num Só (2014), de Mini Kerti; Baronesa (2017),de Juliana Antunes; Campo Grande (2015), de Sandra Kogut; Mataram Nossos Filhos (2016), de Susanna Lira; e É Proibido Fumar (2009), de Anna Muylaert.


MOSTRA CINE-DELAS – JANEIRO:
Início: sábado, dia 5, às 22h
1º horário: sábados, às 22
Reprise: terça, à 0h15

AMORES DE CHUMBO (2018) (98’)
Anna Muylaert conversa com a diretora Tuca Siqueira com a participação de Júlia Murat e Sandra Kogut
Horário: sábado, dia 5, às 22h
Classificação: 14 anos
Direção: Tuca Siqueira
Sinopse: Miguel (Aderbal Freire Filho) e Lúcia (Augusta Ferraz) estão prestes a comemorar quatro décadas de casamento em uma festa familiar. Apesar da idade avançada e do longo período juntos, o relacionamento caminha bem, com juras de amor de ares adolescentes e promessas até a eternidade. Tudo parece caminhar bem até o ressurgimento de Maria Eugênia (Juliana Carneiro da Cunha), uma escritora e antiga amiga do casal exilada em Paris devido à sua militância política contra o regime militar recém-chegada a Recife. O reencontro resgata uma questão há anos abafada entre o casal; Lúcia lutou para tirar o marido da prisão após ele enfrentar a ditadura e ficou ao seu lado durante todos esses anos, mas interceptou as cartas da literata endereçadas ao seu cônjuge por saber dos sentimentos de um pelo outro.

MEU PASSADO ME CONDENA – O FILME (2013) (101’)
Anna Muylaert conversa com a diretora Julia Rezende com a participação de Jorane Castro e Tizuka Yamasaki
Horário: sábado, dia 12, às 22h
Classificação: 12 anos
Direção: Julia Rezende
Sinopse: Quando Fábio (Fábio Porchat) e Miá (Miá Mello) se encontram, é amor à primeira vista. Eles se casam um mês depois de se conhecerem e decidem viajar à Europa em um cruzeiro em lua de mel. Só que, durante a viagem, eles encontram seus antigos namorados, Beto (Alejandro Claveaux) e Laura (Juliana Didone), que hoje estão juntos e também passam sua lua de mel.

CAMPO GRANDE (2016) (120’)

Anna Muylaert conversa com a diretora Sandra Kogut com a participação de Júlia Murat e Tuca Siqueira
Horário: sábado, dia 19, às 22h
Classificação: 10 anos
Direção: Sandra Kogut
Sinopse: Regina (Carla Ribas) é uma mulher de meia-idade moradora de Ipanema, um dos bairros mais valorizados do Rio de Janeiro. Mesmo residindo em uma vizinhança nobre, seu cotidiano e sua figura não são necessariamente luxuosos. Ela leva uma vida bastante tediosa e praticamente solitária em seu apartamento, não fosse pela ocasional presença da filha, Lila (Julia Bernat), com quem briga frequentemente e, por isso, está de mudança para a casa do pai, de quem Regina se divorciou recentemente. Sem qualquer explicação, duas crianças são deixadas na porta de sua casa, junto a um bilhete com o nome da proprietária. Ela nunca as viu na vida e não conhece os responsáveis por elas. Os pequenos Rayane (Rayane dos Santos) e Ygor (Ygor Manoel) foram abandonados pela mãe apenas com a promessa de um retorno próximo, sem qualquer tipo de informação ou contato.

PELA JANELA (2018) (87’)
Anna Muylaert conversa com a diretora Carolina Leone com a participação de Juliana Antunes
Horário: sábado, dia 26, às 22h
Classificação: 16 anos
Direção: Carolina Leone
Sinopse: Rosália (Magali Biff) é funcionária de uma fábrica de materiais elétricos da periferia de São Paulo pelas últimas três décadas. Aos 65 anos, o ofício entre fios, motores e soldas é a atividade exclusiva de sua vida – ela não tem filhos, amigos e relacionamentos amorosos, possuindo apenas o irmão, José (Cacá Amaral), como única companhia de sua morosa rotina. Seu cotidiano resume-se a cuidar da casa humilde em que habita e ser sempre a primeira a chegar e a última a sair da linha de montagem. O dia a dia com praticamente nenhuma emoção sofre um grande baque quando a empresa passa por um processo de fusão e os novos sócios fazem uma série de exigências, entre elas, a demissão da idosa para a contratação de um homem mais novo. Em um momento de suposta calmaria em sua trajetória, a protagonista se vê em uma encruzilhada.






Nenhum comentário

Postar um comentário