05 janeiro 2019

[Crítica Musical] El Mal Querer


A cantora Rosália lançou "El Mal Querer", seu segundo álbum de estúdio, uma obra prima musical lançada em 2018, inspirada no livro do século 13 "Flamenca", de autoria anonima, e marcou seu nome permanentemente na industria musical mundial.

Unindo o profano das relações tóxicas em todos os seus aspectos, ao divino feminino, o álbum nos entrega narrativas poderosas explorando os abusos em relacionamentos, de forma poética e melancólica, mas ainda assim poderosa.

Sonoramente, há um misto de influências, tendo como base a música flamenca, além de influências - não somente sonoras, mas com simbolismo lírico também - da cultura cigana, como na sensual faixa "Di Mi Nombre", além de elementos da segudilla, tango e fandango.
Cada faixa tem sua característica única: "Malamente", faixa que abre o álbum, traz elementos do R&B; "Bagdad" - minha faixa favorita do álbum - recria elementos da faixa "Cry Me A River" de Justin Timberlake; "Di Mi Nombre" tem um pouco de pop. Acredito que uma das produções mais interessantes fica por conta da faixa "De Aquí No Sales", a faixa mais arriscada e agressiva - em sua letra - do álbum.

A voz de Rosália - que me causou um estranhamento no início - se mostrou extremamente encantadora e hipnotizante quanto mais eu ouvia ao álbum. Algumas faixas me lembraram muito a força do canto dos corais góticos, e a voz de Rosália se mostra perfeita em nos envolver na atmosfera de suas histórias e expressar seus sentimentos através de seu canto.
Em 11 faixas, divididas em capítulos específicos em suas temáticas, Rosália trata do encontro do amor, da obsessão, da paixão cega à destruição emocional e desgaste em relacionamentos tóxicos, cheios de ciúmes e inseguranças. A mulher é imagem central das narrativas, e de todo o álbum; mas ainda que a temática seja sofrida, a divindade, a purificação e a libertação é sempre o alvo a ser alcançado - vide as referências religiosas em "Bagdad" e "Nana", além da faixa final, "A Ningún Hombre", capítulo intitulado 'Poder', onde ela canta: "A nenhum homem eu consinto / Que ele emita minha sentença / Só Deus pode me julgar / Só para Ele eu devo obediência".


"El Mal Querer" é uma obra completa, uma opera latina carregada de poder e poesia, que se desenrola sonoramente de maneiras não convencionais para criar uma identidade única, inédita na música atual. Letras originais e confessionais, a misturas de sons e união do clássico latino ao moderno mundial numa trajetória de sofrimento e redenção, mostrando todo o poder de resiliência feminina, fazem desse álbum uma das maiores e melhores descobertas que tive em 2018.



Tracklist:
  1. MALAMENTE (Cap.1: Augurio)
  2. QUE NO SALGA LA LUNA (Cap.2: Boda)
  3. PIENSO EN TU MIRÁ (Cap.3: Celos)
  4. DE AQUÍ NO SALES (Cap.4: Disputa)
  5. RENIEGO (Cap.5: Lamento)
  6. PRESO (Cap.6: Clausura) (Ft. Rossy de Palma)
  7. BAGDAD (Cap.7: Liturgia)
  8. DI MI NOMBRE (Cap.8: Éxtasis)
  9. NANA (Cap.9: Concepción)
  10. MALDICIÓN (Cap.10: Cordura)
  11. A NINGÚN HOMBRE (Cap.11: Poder)

ROSALÍA - MALAMENTE (Cap.1: Augurio) 
Music video directed and produced by CANADA

Nenhum comentário

Postar um comentário