20 novembro 2017

[News] Consciência Negra-origem da data


  Hoje, dia 20 de novembro, é comemorado o Dia da Consciência Negra. Mas da onde surgiu essa data\ 
Certamente você lembra do nome Zumbi dos Palmares das aulas de História mas talvez não se lembre com exatidão quem ele foi. Algumas fontes indicam que ele nasceu por volta do ano de 1655 em um dos povoados dos quilombos. Os quilombos eram refúgios dos negros foragidos de engenhos e fazendas na época imperial e colonial. Eram fortificações e seus habitantes plantavam e coletavam produtos naturais, madeira, frutos, etc e eles mantinham um sistema de vendas entre os outros quilombos e com os trabalhadores livres. Esse vínculo comercial enfraquecia o sistema escravagista cada vez mais.
 Quando Zumbi ainda era garoto, foi capturado e entregue ao padre Antônio de Melo, para ser convertido ao catolicismo. O padre o educou e criou e lhe deu o nome cristão de Francisco. Com 15 anos, Zumbi fugiu e voltou para o Quilombo dos Palmares (que era o maior de sua época e recebera esse nome por causa do nome da capitania onde ficava localizado). 
Zumbo defendeu os quilombos durante anos contra as expedições dos capitães-de-mato e bandeirantes até que em 1695, um colega chamado Antônio Soares o traiu e conseguiram capturar Zumbi. Ele teve os olhos arrancados, a mão direita cortada, o pênis decepado e enfiado dentro da boca, foi decapitado e sua cabeça foi exposta em praça pública na Praça do Carmo. Reza a lenda de que sua esposa Dandara cometera suicídio um ano e nove meses ao se jogar de um precipício. Preferiu tirar a própria vida a ser capturada. Desde a década de 70, o Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial realizou um congresso elegeu a figura do Zumbi como símbolo da luta e resistência ao racismo e à escravidão. 
A data é comemorada como uma forma de empoderar os negros e homenagear o líder do Quilombo dos Palmares. Nessa data é importante parar para refletirmos como a mídia ainda é composta predominantemente por brancos e homens e mulheres negros não tem tanta visibilidade. Claro, há aqueles como Beyoncé, Rihanna, Will Smith, Drake e outros que mostram que os negros se reergueram e conquistaram direitos nos últimos anos mas ainda há muito pelo que lutar e preconceitos a serem derrubados!
     Filmes com a temática de crítica ao racismo:

-A cor púrpura (1987)


Georgia, 1909. Em uma pequena cidade Celie (Whoopi Goldberg), uma jovem com apenas 14 anos que foi violentada pelo pai, se torna mãe de duas crianças. Além de perder a capacidade de procriar, Celie imediatamente é separada dos filhos e da única pessoa no mundo que a ama, sua irmã, e é doada a "Mister" (Danny Glover), que a trata simultaneamente como escrava e companheira. Grande parte da brutalidade de Mister provêm por alimentar uma forte paixão por Shug Avery (Margaret Avery), uma sensual cantora de blues. Celie fica muito solitária e compartilha sua tristeza em cartas (a única forma de manter a sanidade em um mundo onde poucos a ouvem), primeiramente com Deus e depois com a irmã Nettie (Akosua Busia), missionária na África. Mas quando Shug, aliada à forte Sofia (Oprah Winfrey), esposa de Harpo (Willard E. Pugh), filho de Mister, entram na sua vida, Celie revela seu espírito brilhante, ganhando consciência do seu valor e das possibilidades que o mundo lhe oferece.

  -Histórias Cruzadas (2011)


Jackson, pequena cidade no estado do Mississipi, anos 60. Skeeter (Emma Stone) é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark (Viola Davis), a emprega da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista, o que desagrada a sociedade como um todo. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões.

-12 anos de escravidão (2013)

1841. Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor) é um escravo liberto, que vive em paz ao lado da esposa e filhos. Um dia, após aceitar um trabalho que o leva a outra cidade, ele é sequestrado e acorrentado. Vendido como se fosse um escravo, Solomon precisa superar humilhações físicas e emocionais para sobreviver. Ao longo de doze anos ele passa por dois senhores, Ford (Benedict Cumberbatch) e Edwin Epps (Michael Fassbender), que, cada um à sua maneira, exploram seus serviços.

-Mississippi em chamas (1989)


Mississipi, 1964. Rupert Anderson (Gene Hackman) e Alan Ward (Willem Dafoe) são dois agentes do FBI que estão investigando a morte de três militantes dos direitos civis. As vítimas viviam em uma pequena cidade onde a segregação divide a população em brancos e pretos e a violência contra os negros é uma tônica constante.

-Adivinhe quem vem para jantar (1967)


Em São Francisco, Matt Drayton (Spencer Tracy) e Christina Drayton (Katharine Hepburn), um conceituado casal, se choca ao saber que Joey Drayton (Katharine Houghton), sua filha, está noiva de John Prentice (Sidney Poitier), um negro. A partir de então dão início à uma tentativa de encontrar algo desabonador no pretendente, mas só descobrem qualidades morais e profissionais acima da média.

O mordomo da Casa Branca (2013)



1926, Macon, Estados Unidos. O jovem Eugene Allen vê seu pai ser morto sem piedade por Thomas Westfall (Alex Pettyfer), após estuprar a mãe do garoto. Percebendo o desespero do jovem e a gravidade do ato do filho, Annabeth Westfall (Vanessa Redgrave) decide transformá-lo em um criado de casa, ensinando-lhe boas maneiras e como servir os convidados.  Eugene (Forest Whitaker) cresce e passa a trabalhar em um hotel ao deixar a fazenda onde cresceu. Sua vida dá uma grande guinada quando tem a oportunidade de trabalhar na Casa Branca, servindo o presidente do país, políticos e convidados que vão ao local. Entretanto, as exigências do trabalho causam problemas com Gloria (Oprah Winfrey), a esposa de Eugene, e também com seu filho Louis (David Oyelowo), que não aceita a passividade do pai diante dos maus tratos recebidos pelos negros nos Estados Unidos.





11 comentários

  1. Olá! Muito triste esses relatos, triste também saber que apesar de tantos anos terem passado, as coisas não mudaram muito. Temos um longo caminho a percorrer ainda. Os filmes listados são maravilhosos e retratam bem o cotidiano que nos cerca, vele muito assisti-lós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elizete,

      Verdade, ainda há vários desafios a serem enfrentados. Mas com garra os superaremos. Que bom que gostou da seleção de filmes. Bjs

      Excluir
  2. Oi Clara.
    Gostei muito do seu post sobre o Dia da Consciência Negra. É sempre bom saber um pouco mais sobre a origem e a importância da data.
    Fiquei com bastante vontade de ver O mordomo da casa branca e Histórias cruzadas. Dos filmes relatados só vi 12 anos de escravidão.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pamela,

      Fico feliz que tenha gostado. Veja todos os outros e me diga o que achou de cada um. Bjs

      Excluir
  3. Eu estudei isso há tantos anos atrás e foi maravilhoso ler esse post, relembrando todos os detalhes. Parabéns, Clara! Você sempre arrebenta!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Aracelly, sempre bom relembrar! Bjs

      Excluir
  4. Em relação aos filmes, AMO Histórias Cruzadas. É um filme incrível! Amei cada detalhe dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aracelly,

      Eu também adorei o Histórias Cruzadas! As performances foram maravilhosas, especialmente da Viola Davis e da Emma Stone. Bjs

      Excluir
  5. Nossa, que post super interessante e completo, porque tudo e qualquer coisa que sabemos, são superficiais, mas aqui, vejo tudo bem completo!!
    E essas indicações... tô doida pra ler o livro que inspirou o filme A cor púrpura. Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Talita,

      Sempre tento trazer as informações mais interessantes e completas aos meus leitores. Espero que goste do livro da Alice Walker. Bjs

      Excluir
  6. Nossa, Viola e Emma arrebentam, Clara! Amo assistir filmes com elas.

    ResponderExcluir