23 novembro 2017

[Crítica] Boneco de Neve

Oslo, Noruega. Harry Hole (Michael Fassbender) é um policial reconhecido pelos casos resolvidos no passado, mas que sofre com problemas de alcoolismo. Após encontrar por acaso com a agente novata Katrine Braft (Rebecca Ferguson), ele passa a investigar o desaparecimento de uma série de mulheres. A peculiaridade é que o responsável enviou ao próprio Harry um cartão enigmático, com a imagem de um boneco de neve, que está sempre presente nos locais onde as vítimas são atacadas.                                        
O que eu achei?
Se existe uma palavra que possa definir o que estou sentindo depois de ter assistido esse filme é: Indignação. Estou indignada por criarem pouco caso com uma história que tem tinha tanto potencial para ter sido um grande filme de suspense, no entanto o resultado foi uma trama rasa e sem muitas surpresas.

Ao cair da primeira neve de Novembro, uma mulher desaparece deixando para trás como única pista um cachecol envolto em um macabro boneco de neve. O misterioso caso é investigado pelo detetive Harry Hole ( Michael Fassbender) que entra em uma caçada perigosa para descobrir o verdadeiro assassino antes que a próxima vítima encontre seu fim.

Harry Hole é um homem que está entre o fracasso pessoal e profissional, é um alcoólatra que tenta resistir a todo custo um copo de bebida quando este lhe é conveniente em seus momentos mais difíceis. Ao entrar no caso do desaparecimento de Birte Becker tem como parceira a novata policial Katrine Bratt que parece bastante interessada no assunto e mostra-se bastante disposta em tentar achar a mulher.

Em meio a essa trama, Harry e Katrine tentam descobrir o paradeiro da mulher enquanto novos casos acontecem. Em contrapartida, é mostrado a relação de Harry com sua ex, Rakel, e seu filho Oleg, mostrando como Harry ainda guarda sentimentos pela ex e um amor incondicional por Oleg.

Uma história que tinha potencial para se tornar um verdadeiro suspense de arrepiar e enlouquecer qualquer um como no livro, tornou-se um verdadeiro desastre cinematográfico, a começar pelo desenvolvimento da trama que é bastante superficial e rasa, parecia que estava assistindo um filme de Sessão da Tarde, pois o tempo passou sem eu perceber de tão leviana que estava sendo a história, não acontecia nada de surpreendente ou que me fizesse ter um motivo para ficar sentada sem ser inquieta.

Os personagens apresentados são praticamente sem personalidade nenhuma, pareciam os mesmo diferenciando-se apenas no nome, nada interessantes e bastante esquecíveis ao longo do filme, para agravar o problema muitos deles que eram peças chaves e fundamentais foram jogados de lado, tirados da história com uma facilidade absurda e surreal, em especial dois personagens deixaram-me bastante decepcionada por não terem seu devido desenvolvimento e foram descartados de uma maneira incoerente.

E os problemas não param por aí, além dos personagens desinteressantes e sem evolução, ainda entra a questão da trama que foi sendo desenvolvida com as informações sendo jogadas de uma maneira que muitos poderiam ficar sem entender ou sacar quem era o assassino. Fiquei abismada em como o corpo policial era incapaz e não mostrava nenhum interesse em achar o assassino, aquilo ali não era a polícia da Noruega mesmo. Diria que a única coisa interessante e o propósito do filme era mostrar uma Noruega nunca antes vista e bastante linda.

Falando em assassino, não foi mostrada uma motivação coerente da parte para querer assassinar suas vítimas, não houve ligações ou pistas que ligassem ao assassino, fazendo com que sua identidade ficasse em segundo plano e o foco principal do filme era tentar entender o que estava acontecendo ali, o que estavam tentando criar na história além de mostrar como chegariam ao assassino; não houve um momento que fizesse o espectador sentir alguma outra emoção além do horror das mortes e nada mais, nem a revelação do assassino foi tão surpreendente, porque em nenhum momento o filme nos fez suspeitar de alguém, a desconfiança só acontece nos quinze minutos finais, isso mesmo que você leu, apenas nos quinze minutos finais fica claro que é o assassino quando este entra em ação, fora isso apenas uma pista mostrava quem era, mas apenas para aqueles que estavam prestando muita atenção na legenda.

Por ter lido o livro não fui criando muitas expectativas, afinal é uma adaptação e como tal não esperaria que fosse cem por cento fiel, mas nem dez por cento da história do livro foi usada, tudo foi mudado para pior, criaram outra história da que conheço escrita pelo Jo Nesbo em seu livro homônimo Boneco de Neve.

É verdade que não dá pra colocar todas as informações do livro no filme, mas o básico nem foi mencionado como o fato do Harry Hole ser uma lenda entre os departamentos policiais por caçar e prender Serial Killers, aliás em nenhum momento foi citado esse fator, os casos estavam ligados de alguma forma, mas não mostraram que de fato os policiais estavam atrás de um serial killer,pra mim isso foi o cúmulo do absurdo no filme.

A atuação do Michael Fassbender ficou excelente, porém ainda ficou faltando um outro lado do personagem, não mostraram seu lado sarcástico e ousado, um detetive que não tem medo de quebrar as regras para conseguir as pistas certas, o que vemos é um Harry Hole alcoólatra e infeliz e isso fica bastante nítido quando fica na presença de Rakel. O mesmo aconteceu com a personagem da Rebecca Ferguson, Katrine Bratt, que não teve sua essência representada, o que vi foi uma mulher frustrada, tímida e fracassada emocionalmente, o que foi realmente lamentável e triste o que fizeram com ela no filme.

O filme deixa muitos furos desnecessários que poderiam ter sidos cortados ou explicados em poucos minutos, além disso houve cenas desnecessárias que em algumas eu fiquei imaginando o que passou na cabeça dos responsáveis em não finalizar as cenas e não apenas jogá-las para o espectador tentar adivinhar o que elas significavam, apenas para quem tinha lido o livro entenderia algumas deixas ou cenas que não pareciam significativas.

A única coisa que foi fiel no filme foram os nomes dos personagens, no mais foi uma história completamente daquilo que esperava, depois das críticas que li no exterior,uma adaptação ruim de um livro genial e magistral. Como disse antes, sai da sala completamente sem reação e tentando digerir o que tinha acabado de assistir, pois não representava o que Nesbo escrevia em seus livros. Fiquei esperando várias cenas ícones no livro e nenhuma delas foi colocada ou adaptadas de uma forma satisfatória.

Se esperam um filme de suspense não encontrarão nessa história, pois acreditem que a cena mais impactante é logo no início e outra que aparece no trailer. Em suma, Boneco de Neve não superou minhas expectativas e só me fez ter raiva por ver uma boa história sendo jogada no lixo, poderiam ter feito uma série com o livro que seria bem melhor.

Escrito por Thais Marinho

5 comentários

  1. Oi Thais.
    Que pena que essa adaptação não foi das melhores e deixou bastante a desejar.
    Personagens sem personalidades marcantes, rasos e sem desenvolvimento é ago que atrapalha bastante em deixar o espectador/leitor se envolver na trama.
    Um bom suspense sempre deixa pistas no decorrer do tempo sobre o porque ou quem é o assassino. Não nos 15 minutos antes dele aparecer.
    Não fiquei com vontade de ver o filme, mas talvez eu leia o livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá! Uma pena que a adaptação não tenha dado certo, imagino o quanto foi frustrante para você. É realmente muito chato quando eles fazem essas m.....!

    ResponderExcluir
  3. Poxa, só de ler o primeiro parágrafo já fiquei pasma. Não li o livro e ainda não assisti ao filme, mas pelo trailer, sinopse... tinha tudo para ser um filmaço. Como você falou: "potencial". Mas após ler sua crítica, estou de queixo caído. Nem sei se perderei tempo vendo o filme, talvez só para sentir raiva. Odeio quando pegam uma obra literária e destroem na adaptação.

    ResponderExcluir
  4. E eu, que nem imaginava que o livro virou filme. Tenho uma certa paixão por livros de suspense/criminal, e, logo Boneco de Neve, que sempre falam tão bem.
    Uma pena realmente, que não souberam aproveitar o que o livro trouxe de melhor. Pretendo ler o livro, assim que o fizer, acho que passo longe do filme, kkk até pra não estragar a visão do livro. Crítica excelente! <3

    ResponderExcluir
  5. Bom, no momento, estou esperando minha amada mãe terminar de ler, para eu começar, rs. Ela não tá curtindo muito não, e devido a isso, está demorando séculos. KKKK

    ResponderExcluir