[News] O Grande Circo Místico, Sequestro Relâmpago e Tinta Bruta chegam para aluguel em VOD em janeiro - Reino Literário Br

Recentes

Home Top Ad

Anuncio aqui

28 dezembro 2018

[News] O Grande Circo Místico, Sequestro Relâmpago e Tinta Bruta chegam para aluguel em VOD em janeiro

Em janeiro, o Canal Brasil disponibiliza para aluguel em VOD sucessos recentes do cinema brasileiro como O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues, filme indicado para representar o Brasil na disputa pelo Oscar; Sequestro Relâmpago, de Tata Amaral, com Marina Ruy Barbosa, Sidney Santiago e Daniel Rocha no elenco; e Tinta Bruta, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, grande vencedor do Festival do Rio 2018 com os troféus de melhores filme, roteiro, ator e ator coadjuvante. A lista de lançamentos para janeiro inclui também outros títulos como Em Nome da América, O Segredo de Davi, A Cabeça de Gumercindo Saraiva, Carvana, Filme Paisagem, um Olhar sobre Roberto Burle Marx e Amanhã Chegou.
Sequestro Relâmpago (2018)
Classificação: 16 anos
Direção: Tata Amaral
Sinopse: Sexta-feira à noite, drinques com as amigas e uma ligação do crush com um convite para sair. Parecia ser uma noite inesquecível para a personagem de Marina Ruy Barbosa. E foi, mas não por esses motivos. A atriz revive o calvário de uma menina sequestrada por dois bandidos em São Paulo e mantida sob o domínio deles até o sol raiar neste thiller de Tata Amaral inspirado em uma história real e também estrelado por Sidney Santiago e Daniel Rocha. Relâmpago no termo, interminável para a vítima.
Disponível a partir do dia 11/01

O Grande Circo Místico (2018)
Classificação: 16 anos
Direção: Carlos Diegues
Sinopse: Respeitável público! O maior espetáculo da Terra está prestes a começar e as atrações do picadeiro comandado por Carlos Diegues são imperdíveis. Jesuíta Barbosa, Mariana Ximenes, Vincent Cassel, Juliano Cazarré, Antonio Fagundes e Bruna Linzmeyer, entre outros, fazem acrobacias, palhaçadas, truques de mágica e domam animais selvagens, sob a trilha sonora de Chico Buarque e Edu Lobo, e narram a história de uma família centenária nas arenas. A mística das tendas ao longo dos anos, em um show lúdico e fantástico de encontro entre circo, cinema e música.
Disponível a partir do dia 01/01 (Oi e Vivo) e dia 16/01 (NET)

Tinta Bruta (2018)

Classificação: 18 anos
Direção: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon
Sinopse: Na escuridão da deep web brilha a performance de um rapaz. Suas tintas neon encontram no próprio corpo a tela perfeita para reluzir, fazendo arte de si próprio em um espetáculo erótico e exclusivo para quem está disposto a pagar. Fora das câmeras, nada disso define a personalidade do protagonista deste drama, um jovem introvertido, abandonado pela família, com problemas financeiros e réu em um crime. Nas trevas ele resplandece, na luz ele se esvai, em um contraste entre fantasia e realidade, cor e sombra.
Disponível a partir do dia 20/01

Em Nome da América (2018)

Classificação: 10 anos
Direção: Fernando Weller
Sinopse: Não há nenhuma evidência que aponte o interior de Pernambuco como parte da terra da liberdade e lar dos bravos citados no hino americano. Por que o então presidente John Kennedy teria interesse em mandar milhares de jovens ianques em plena guerra fria, com tensões entre os EUA, Cuba e URSS, para uma das regiões mais pobres do Brasil em missão voluntária de paz? O documentário de Fernando Weller investiga a chegada do Corpo de Paz voluntário na região, a atuação dos enviados, a suposta ligação deles com a CIA e o interesse do governo norte-americano no fim das greves camponesas.
Disponível a partir do dia 04/01

O Segredo de Davi (2018)

Classificação: 16 anos
Direção: Diego Freitas
Sinopse: O comportamento de assassinos em série é tema de premiadas películas norte-americanas como O Silêncio dos Inocentes (1991), Seven – Sete Crimes Capitais (1995) e Zodíaco (2007). Diego Freitas, no entanto, quer saber não apenas como, mas principalmente descobrir os porquês dos crimes – trazendo uma influência do cinema do dinamarquês Lars von Trier com o recém-lançado A Casa Que Jack Construiu (2018). A receita de uma infância traumática, família disfuncional e personalidade insegura tem como resultado a personalidade do tímido Davi interpretado por Nicolas Prattes, um verdadeiro Golias da maldade.

A Cabeça de Gumercindo Saraiva (2018)
Classificação: 16 anos
Direção: Tabajara Ruas
Sinopse: A cabeça de Gumercindo Saraiva tinha peso de ouro para o governo do Rio Grande do Sul durante a Revolução Federalista. No filme de Tabajara Ruas, a frase vai além da expressão cotidiana e tem valor praticamente literal, tanto que levar à Porto Alegre o membro decapitado do caudilho, um dos líderes da revolta popular, tornou-se a missão do major Ramiro (Murilo Rosa). Entre bombachas, mates, lenços, botas e esporas, o drama resgata um episódio violento da nossa história em um épico pelas paisagens do sul do país.
Disponível a partir do dia 22/01

Carvana (2018)

Classificação: 14 anos
Direção: Lulu Corrêa
Sinopse: “Malandro quando morre vira samba”, já dizia Chico Buarque. Às vezes, vira filme também, complementaria a diretora Lulu Corrêa. Melhor e mais trabalhador vagabundo do cinema brasileiro, Hugo Carvana recebe um merecido tributo. Ninguém melhor para contar sua história do que o próprio ator, cujos depoimentos montam um mosaico de sua trajetória desde o Cinema Novo, passando pelas chanchadas e culminando na Retomada. Assistente do protagonista, a cineasta faz um filme em homenagem à nata da malandragem que conhece de outros carnavais – e sets de filmagem.
Disponível a partir do dia 01/01

Filme Paisagem, um Olhar sobre Roberto Burle Marx (2018)

Classificação: Livre
Direção: João Vargas Penna
Sinopse: Pintor da paisagem urbana. Poeta das cores. Maestro das flores. Mestres dos traços. Faltam adjetivos, sobram reconhecimentos a Roberto Burle Marx, um dos maiores gênios brasileiros da arquitetura, reconhecido internacionalmente por seus trabalhos visionários. O documentário de João Vargas Penna passa por grandes momentos da vida do paisagista com imagens de arquivo e textos escritos pelo próprio homenageado – sob narração de Amir Haddad. Um belo tributo, à altura da força desse ícone da nossa cultura.
Disponível a partir do dia 14/01 


Amanhã Chegou (2018)
Classificação: 10 anos
Direção: Renata Simões
Sinopse: Há anos classificaram o Brasil como “o país do futuro”. O futuro, então, chegou, e não trouxe todo aquele sucesso imaginado, mas sim muitos problemas que não podem ficar para as próximas gerações. Consumo consciente, proteção ambiental, crescimento desordenado, cuidado com o planeta são demandas urgentes e o documentário de Renata Simões traz uma série de propostas para o tema e entrevistas com quem está fazendo, hoje, sua parte para garantir um amanhã melhor.
Disponível a partir do dia 08/01




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Pages