25 janeiro 2018

[Resenha] Thystium

Thystium é um mundo belo e mágico, mas seus habitantes vivem o que está longe de ser um conto de fadas. Sua força vital, a magia, se esvai aos poucos, fazendo com que os seres que lá vivem pereçam cruelmente. Somente a união entre aqueles capazes de abraçar uma vida sem magia poderá salvar este belo mundo dos criminosos responsáveis por acarretar a aniquilação total.Em Thystium os verdadeiros heróis lutam contra o impossível. Seus próprios corpos e mentes são obstáculos gerados numa sociedade onde o destino e o papel de cada um é pré-determinado por anciões. Nesta batalha, viver mais um dia é um prêmio aceitável. Na magia nada se cria, nada se perde e tudo se transforma. Bem-vindos a Thystium. Um lugar onde a magia nasce e é a força vital de todos os seres em que lá vivem. Lá se encontra a matéria-prima para a criação de toda a arte no universo. Enquanto mundos paralelos roubama magia de Thystium, poucos têm o poder para enfrentar o mal que pode selar o fim deste belo mundo, e da magia.
O que achei?
Ainda iniciante no gênero fantasia,Thystium foi mais um título que me chegou de surpresa. O livro foi escrito por Peterson Rodrigues e nos leva ao mundo mágico de Thystium, onde a magia corre livre por toda parte.


Temos três personagens iniciais nessa história: Joe, um jovem que desconhece seu poder, seu amigo Lothar e a bela Jillian.
Tudo começa quando o vilarejo onde moram é atacado e Jillian é sequestrada pelos Monges das Aranhas. Joe então, a partir daí, iniciará sua trajetória no resgate de sua amada.
No decorrer da história, vemos como Joe consegue amadurecer tanto sua personalidade quanto sua força, mas, ainda assim, é um pouco herói clichê - destemido, impulsivo e quer carregar tudo nas costas sozinho. A amizade entre Joe e Lothar também vai amadurecendo e criando fortes laços, o que faz por manter os pés de Joe no chão.


O mundo de Thystium é repleto de seres mágicos, muito bem explicados e definidos, muitas cores e energias que pulsam e correm solta. O único problema é que ela esta acabando, sendo drenada por mundos paralelos. Esse ponto da história se torna interessante, pois há um nítida conexão com o nosso mundo, a nossa realidade.
Bem, dito isso, há alguns pontos que achei fraco para mim, durante a leitura - mas que explicarei a em seguida o motivo.
O inicio da leitura foi lento demais. Na verdade, vários momentos seguiam ou rápido demais, ou lento demais. Alguma explicações foram excessivas e muito em sequência e me cansaram um pouco, além da grande influência do RPG na leitura, pela forma de contar história e narrar acontecimentos - algo que eu realmente não gosto.


As personagens são boas, até certo ponto. Em alguns momentos torcemos por eles e vibramos; noutros, nos cansam muito - e o romance da história cabem bem nesse momento.
Talvez por eu ser mais adepto ao estilo dark fantasy/grim fantasy, esse livro não tenha me agradado tanto. Mas não o desmereço, de forma alguma.
O autor apresenta grande capacidade de criar mundo e conexões entre fantasia-realidade, de modo a expôr temas e críticas atuais e relevantes. Mas talvez, por eu não ter conseguido me conectar tanto, eu não tenha aproveitado tanto o que a história tinha a me dizer. Porém, para os fãs de fantasia e RPG, esse livre é um prato cheio!


2 comentários

  1. Irlan!
    Gosto muito do gênero fantasia e se vem carregado de magia, ainda melhor.
    Pena o início ser um tanto lento.
    Como ainda nem tinha ouvido falar do livro, bateu aquela curiosidade para fazer a leitura.
    Desejo uma ótima semana, cheia de luz e paz!
    “Que o novo ano que se inicia seja repleto de felicidades e conquistas. Feliz ano novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Acho que desse livro também não vou gostar muito! Nunca acertei em livros de fantasia, os que pego sempre são cansativos e chatos, com descrições longas demais e exageradas! E, pelo que você falou, esse vai ser mais um desses! Por isso, não lerei! Cansei de me obrigar a ler livros que estejam chatos e já coloquei como meta esse ano que vou abandonar livros que não estejam fluindo!

    ResponderExcluir