15 janeiro 2018

[Lançamentos] Editora Planeta

     Venha conhecer os lançamentos de janeiro da editora Planeta!

     Novas formas de amar, por Regina Navarro Lins

 

Todo mundo quer amar alguém – ou alguéns. Ama-se o amor, canta-se o amor, vive-se em busca do amor. Mas amar exige muito aprendizado e este é o maior desafio dos casais. Nos tempos atuais, os desafios são ainda maiores porque surgiram novas formas de amar – e é sobre isso que a psicanalista Regina Navarro Lins discorre neste livro. Depois da revolução sexual, do divórcio, da pílula, do movimento LGBTI e de tantas outras mudanças de costume, amar virou um verbo plural. A ideia de que todo mundo tem uma alma gêmea, que um dia irá encontrar a pessoa certa era a base do amor romântico. Mas este tipo de amor vem sendo substituído pelo desejo. E o desejo é capaz de produzir um sem-número de formas de amar e de fazer sexo.
Com o fim da exclusividade, ama-se a dois, a três; ama-se aos 20, aos 60 e aos 80 anos; ama-se pessoas de outro sexo ou do mesmo sexo. A monogamia, o sentimento de posse deu lugar à liberdade para experimentar o novo. Mesmo em sociedades mais conservadoras, o “padrão de comportamento aceito” vem cedendo espaço para o diferente. Surgiram o poliamor, as relações livres, o transexual.
Na era da internet, busca-se o amor através do celular. As festas, os bares, mesmo os encontros armados por amigos perderam espaço para os aplicativos. O Tinder, o Happn, o Wechat e muitos outros ajudam as pessoas a se encontrarem baseados nos seus interesses, perfil etc.

Mas será que está ficando cada vez mais fácil amar? Com a experiência de quem atende em consultório há cerca de 45 anos, Regina tem muito sobre o que falar. Consultora do programa Amor & Sexo, da TV Globo, colunista do programa Em Pauta, da Globo News, e com um blog no UOL, ela discute nesse livro todas essas novas formas de amar. Relata inúmeros casos reais, faz reflexões importantes e até apresenta o que há de mais novo nessa procura pelo prazer – como, por exemplo, a massagem tântrica.
 
                                                 O jardim das borboletas

 Perto de uma mansão isolada, existia um maravilhoso jardim. Nele, cresciam flores exuberantes, árvores frondosas... e uma coleção de preciosas “borboletas”: jovens mulheres, sequestradas e mantidas em cativeiro por um homem brutal e obsessivo, conhecido apenas como Jardineiro. Cada uma delas passa a ser identificada pelo nome de uma espécie de borboleta, tendo, então, a pele marcada com um complexo desenho correspondente. Quando o jardim é finalmente descoberto, uma das sobreviventes é levada às autoridades, a fim de prestar seu depoimento. A tarefa de juntar as peças desse complexo quebra-cabeça cabe aos agentes do fbi Victor Hanoverian e Brandon Eddinson, nesse que se tornará o mais chocante e perturbador caso de suas vidas. Mas Maya, a enigmática garota responsável por contar essa história, não parece disposta a esclarecer todos os sórdidos detalhes de sua experiência. Em meio a velhos ressentimentos, novos traumas e o terrível relato sobre um homem obcecado pela beleza, os agentes ficam com a sensação de que ela esconde algum grande segredo.

              O livreiro, de Pedro Herz 

Impulsionada pela necessidade de complementar a renda da família, Eva Herz – imigrante judia que veio para o Brasil fugindo da perseguição nazista – decidiu investir na compra de alguns best-sellers para alugar a seus compratriotas alemães em São Paulo. A engenhosa iniciativa deu origem, em 1947, à Biblioteca Circulante, que posteriormente se estabeleceria no cenário nacional como Livraria Cultura, marco artístico e cultural da cidade e referência quando o assunto é leitura.
Em O livreiro, Pedro Herz, filho mais velho do casal Eva e Kurt, faz um relato biográfico de como a família se firmou na nova cidade e, mais do que isso, fundou uma das principais livrarias do país. Uma história de empreendedorismo que rendeu a Pedro experiências marcantes – como conhecer o pai de Anne Frank durante os anos em que viveu na Suíça; ter o poeta Vinicius de Moraes autografando o livro Falso mendigo em um engraçado episódio que se deu em 1978; além de vivenciar umas das mais significativas manifestações da sociedade civil brasileira pelo fim do regime militar durante o lançamento, na Livraria Cultura, da obra O que é isso companheiro?.
Um livro inspirador, que apresenta a trajetória admirável do empreendedor cultural Pedro Herz, e vai além, promovendo importantes reflexões sobre o futuro da leitura no Brasil e sobre a história de uma livraria que, nas palavras do escritor e jornalista Ignácio de Loyola Brandão, “só São Paulo faria”.

   As viagens de Francisco, por Andrea Tornelli

Depois de ter entrevistado o Papa Francisco para o livro O nome de Deus é Misericórdia, o vaticanista Andrea Tornielli — que seguiu todas as visitas apostólicas no avião papal — fez uma seleção dos grandes temas que o pontífice abordou durante suas viagens internacionais.
Itália, México, Brasil, Cuba, Estados Unidos, África, Ásia, Lisboa, Sarajevo e outros territórios fascinantes e cidades emblemáticas têm sido os cenários em que Papa Francisco denunciou o narcotráfico, a venda de armas, a corrupção e até a escravidão em alguns setores da economia.
Um peregrino da paz, mas também um profeta incômodo, que convida a igreja a se aproximar das minorias e de grupos que estão às margens da sociedade. Assim é Francisco, o papa. Sem deixar de lado episódios inéditos e divertidos, Tornielli volta as atenções para alguns dos encontros que o pontífice faz questão de organizar com figuras emblemáticas da sociedade atual, tais como Barack Obama, Fidel Castro e Shimon Peres.

Em uma conversa exclusiva com o vaticanista, Papa revela anedotas públicas e privadas que compõem um diário excepcional de viagem, permitindo ao leitor conhecer uma obra de evangelização sem precedentes, capaz de sacudir a consciência de qualquer um, independente de seu posicionamento religioso.

      Quais títulos chamaram mais a sua atenção? Eu me interessei especialmente pelo O jardim das borboletas porque parece ser um policial interessante e O livreiro porque adoraria saber mais sobre a história da fundação da Livraria Cultura

  

Um comentário

  1. Desses lançamentos, só me interessei por Jardim das Borboletas! Geralmente as publicações da editora Planeta não me chamam muito a atenção, já que não tenho costume de ler livros desse tipo.

    ResponderExcluir