17 abril 2017

[Resenha] Revolução Moral


A pureza da pureza sexual tem sido distorcida pelo mundo. Os valores de uma geração foram distorcidos e a mentalidade dos jovens está longe de condizer com o que a Bíblia prega.Mas há um grupo de pessoas lutando para melhorar esse cenário e tentar resgatar os valores de outrora,especialmente o que diz que a virgindade é algo para ser mantida até o casamento.
O que eu achei?
Sou espírita e não católica e tenho uma visão mais liberal sobre o assunto do que o autor, Kris Valloton (um renomado escritor e palestrante americano sobre cristianismo) defende que a virgindade é algo divino que não deve ser violado até que os votos sagrados do matrimônio sejam feitos.Eu acho que essa escolha deve ficar a cargo de cada um, independente da religião do casal ou de serem ateus ou agnósticos. Achei interessante o uso de histórias, especialmente parábolas, para ilustrar os conceitos.Já no primeiro capítulo, a narrativa começa com a parábola do anel, uma histórica bíblica sobre um garoto que trabalha duro durante anos para conseguir dinheiro para comprar um anel para a mulher que ele ama. Uma lição sobre o valor das coisas.
Ao longo de dez capítulos, Kris e o co-autor, seu filho Jason Valloton, abordam temas como aborto, masturbação e homossexualismo. Como minha visão sobre esse tipo de assunto é bem mais liberal, discordo com a maioria das afirmações, por exemplo, no capítulo 4 quando ele diz ´´se você está indo se masturbar para saciar seu apetite sexual, tenha certeza de que você não está violando o seu relacionamento com o Céu, [...]. Ao meu ver a masturbação é algo que pertence à intimidade de cada indivíduo, não é algo errado, é um ato de prazer que leva a pessoa a se autoconhecer melhor e não prejudica ninguém.
Kris compartilha algumas histórias de sua experiência própria para convencer o leitor a juntar a sua causa: no capítulo 3, ele conta de uma menina que estudou com ele no ensino médio que ele achava bonita, era tímido demais para falar com ela, até que um dia tomou coragem. Eles se tornaram amigos por alguns meses, ele a foi cortejando até pedi-la em namoro. Ela aceitou e ele acabou namorando a garota mais popular da escola. Um dia que os pais de Mary estavam fora, ela o levou na casa dela, mostrou o novo colchão e o convidou para fazer sexo. Kris até pensou em aceitar a oferta mas resistiu à tentação pois não eram homem e mulher para realizar tal ato.Embora eu discorde sobre a maior parte das afirmações desse livro, foi interessante ler sobre assuntos relevantes como se comportar durante um namoro e o grau de comprometimento e intimidade.
Se você for evangélico ou católico conservador, esse livro vai lhe agradar. Contém lições úteis sobre como ter uma conduta de acordo com os valores da Bíblia. 

6 comentários

  1. Oi Clara
    A temática não me agrada, não curto este estilo. Por isso deixo passar sua dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Aichha, nem a mim agrada mas a BV enviou para nós então tivemos que fazer resenha, né

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo, acho que todo livro é válido.
      As vezes podemos nos surpreender e aprender muitas coisas quando menos esperamos.
      Beijos

      Excluir
  3. Olá,livros assim em que não concordamos com a maioria dos argumentos ou pontos de vista,nos deixam incomodadas não é?!
    Mas existem pessoas que curtem.Eu particularmente não concordo com a maioria das coisas que li.
    Minha religião é Deus. Acho que o encontramos nas pessoas que fazem o bem,em lugares bonitos ou quando sentimos paz sem algum motivo aparente.
    Não leria,mas tem quem goste. ;)

    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Pela sinopse já vi que é uma leitura que devo evitar. Seguir durante anos os ensinamentos espíritas, ainda me sinto muito ligada ao espiritismo, já não sou ativa como antes, mas, a minha forma de ver o mundo (formada em parte com os ensinamentos espiritas), deixa claro o respeito ao livre arbítrio.
    Sinceramente, não compreendo essa necessidade do outro em controlar a vida alheia, em decidir como cada qual deve tocar sua vida, o pior, enraizado em hipocrisia e preconceitos.

    ResponderExcluir
  5. Clara!
    Também sou espírita, embora tenha sido batizada na igreja católica, tem muita coisa que não aceito de forma nenhuma, principalmente a hipocrisia que pregam.
    Gostaria de ler apenas porque gosto de analisar as obras de cunho religioso e tendencioso, o que não quer dizer que concorde.
    Bom feriado!
    “Compreender que há outros pontos de vista é o início da sabedoria.” (Campbell)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir