Novidades

[Resenha] A Mulher com Olhos de Fogo - O Despertar Feminista

Sinopse: Esta ficção é baseada no relato verdadeiro de uma mulher que espera sua execução em uma prisão no Egito. Sua história chega até a autora, que resolve conhecer Firdaus para entender o que levou aquela prisioneira a um ponto tão crítico de sua existência.
“Deixe-me falar. Não me interrompa. Não tenho tempo para ouvir você”, começa Firdaus. E ela prossegue contando sobre como foi crescer na miséria, sua mutilação genital, ser violada por membros da família, casar ainda adolescente com um homem muito mais velho, ser espancada frequentemente, e ter de se prostituir… até que, num ato de rebeldia, reuniu coragem para matar um de seus agressores, levando-a a prisão.
Esse relato é um implacável desafio a nossa sociedade. Fala de uma vida desprovida de escolhas, mas que em meio ao desespero encontra caminhos. E, por mais sombrio que isso possa parecer, sua narrativa nos convida a experimentar um pouco dessa liberdade encorajadora através das transformações internas de Firdaus.

O que achei? 
O livro é escrito por Nawal El Saadawi é uma ficção baseada em eventos reais, numa entrevista feita pela autora com Firdaus momentos antes de sua execução, que fala sobre todos os abusos e opressão de uma sociedade patriarcal até o dia em que foi condenada à morte pelo assassinato de seu cafetão.

O livro é dividido em três partes, sendo a primeira e as últimas partes o relato de Nawal sobre a vida de Firdaus e a segunda parte sendo a história de Firdaus contada pelo seu ponto de vista em primeira pessoa. E é essa a narrativa que prevalece a maior parte do livro.

O livro mostra que Firdaus teve uma vida marcada por diversas formas de abuso e negligência desde a infância, em uma sociedade onde mulheres são tratadas como seres sem valor e direitos, sempre à mercê dos homens que às veem como propriedade. Ela passou a sua vida inteira lutando contra isso, lutando pela sua liberdade de viver a vida como quiser.

Em alguns momentos do livro, Firdaus – mesmo anos após sendo enganada pelos homens – tinha dificuldade em enxergar a realidade de algumas situações ao romantiza-las, o que me pareceu contraditória com a personalidade de Firdaus apresentada pela autoria como uma mulher já marcada por tanto sofrimento.

Nawal não ameniza o quanto a vida de Firdaus foi sofrida e não mede palavras ao contar os abusos que ela sofreu na vida nas mãos do pai, do tio, do marido e dos clientes que atendia quando se prostituía. Mas – em minha opinião – a história faltou desenvolvimento. A narração parece simples demais para uma personagem tão complexa quanto Firdaus.

O livro é curto e a leitura dele é fácil, apesar do tema pesado. A edição da Faro é, artisticamente falando, linda. O título é alto relevo e a foto representa bem a natureza forte de Firdaus. A arte que divide as partes do livro é espetacular.


                                  Escrito por Michelle Araújo Silva

Nenhum comentário