27 setembro 2017

[Resenha] Quando Eu Era Invisível


Até aos 12 anos, Martin Pistorius era um menino igual aos outros, feliz e saudável. Ninguém nunca imaginaria que um dia ele fosse adoecer gravemente e que, em pouco tempo, pararia de andar e falar. Para os médicos, Martin tinha entrado em estado vegetativo. Porém, lentamente, Martin começou a recuperar a consciência e a perceber tudo o que acontecia ao seu redor. Preso em seu próprio corpo, ele era incapaz de mostrar isso para a sua família e àqueles que cuidavam dele. Depois de 12 anos de encarceramento, Martin conheceu Virna, uma terapeuta que viu além do corpo preso a uma cadeira de rodas e que apenas movia os olhos. Ela conseguiu enxergar um ser humano na plena posse das suas faculdades mentais. Este foi apenas o princípio de um extraordinário renascimento e o primeiro impulso para que Martin despertasse, gradualmente, para a vida. De um menino que dependia completamente dos outros, Martin Pistorius transformou-se em um homem independente, que se formou na faculdade, conseguiu um emprego e casou com o amor da sua vida. A vida de Martin é uma surpreendente história real de superação que vai mexer com todas as suas emoções. Você vai torcer, chorar e reconhecer nele uma inspiradora força de vontade para realizar o impossível.
O que eu achei?
Martin está preso em seu próprio corpo, mas sua consciência ainda vive e vibra. Apesar de todos o verem como um paciente em estado vegetativo, uma mulher, uma jovem terapeuta chamada Virna enxerga além do corpo inerte. E a partir desse momento, tudo muda na vida de Martin. Dessa vez, pra melhor.

O livro é contado pelo próprio Martin, que nos leva pelo seu dia-a-dia tumultuado, indo de clínica em clínica. Sem censuras, ele conta como viveu dias de angústia e sofrimento enquanto todos pensavam que ele estava ali apenas em corpo, e não em mente. O desgaste familiar, as brigas de seus pais, a frustração por não conseguir controlar o próprio corpo - tudo pesa no cotidiano daquela família, pega de surpresa por uma doença desconhecida. Tudo isso nos é entregue num relato extremamente emocionante. O início da história mostra sua luta para se manter alerta e mostrar que havia alguém naquele corpo, enquanto seus dias passavam iguais uns aos outros.

Após a terapeuta Virna perceber a consciência de Martin e notar suas tentativas de interação com as pessoas, ela sugeriu tratamentos e especialistas diferentes, para que Martin voltasse a ter sua "voz". Então Martin é levado ao Centro de Comunicação Aumentativa e Alternativa. Daí em diante, novos desafios se apresentaram diante de Martin. Mais uma vez ele teria que aprender a se comunicar, tendo que usar de toda sua força tanto física - que era pouca - quanto mental. A partir desse momento, o leitor entra em uma montanha-russa de emoções junto com Martin. Cada pequena conquista, que para nós parece tão insignificante, para ele é um passo gigante na direção de seu sonho: se comunicar. A emoção e a veracidade transmitidas em cada linha é quase palpável, e às vezes é impossível não sentir o mesmo que Martin descreve. A conexão entre leitor-história é extremamente forte.

O livro segue mostrando as pequenas e grandes conquistas de Martin: concluir a faculdade, conseguir um emprego e o encontrar o amor, Joanna, com quem se casou em 2009. Confesso que há alguns problemas na tradução referentes a expressões, mas os capítulos são bem curtos, sem enrolação, o que faz com que a leitura siga rápida e sem problemas nem cansaços. E a capa dessa edição está absolutamente perfeita!

N'uma jornada de fé, força e amor, Martin renasceu em si mesmo, superando todas as expectativas e nos mostrando que a força para mudar as nossas vidas está dentro de nós, e podemos realizar tudo o que quisermos, por mais impossível que possa parecer. Sem dúvidas, uma leitura emocionante e riquíssima.

Nenhum comentário

Postar um comentário