14 abril 2017

[Resenha] Silo

Em uma paisagem destruída e hostil, em um futuro ao qual poucos tiveram o azar de sobreviver, uma comunidade resiste, confinada em um gigantesco silo subterrâneo. Lá dentro, mulheres e homens vivem enclausurados, sob regulamentos estritos, cercados por segredos e mentiras. 
Para continuar ali, eles precisam seguir as regras, mas há quem se recuse a fazer isso. Essas pessoas são as que ousam sonhar e ter esperança, e que contagiam os outros com seu otimismo. 
Um crime cuja punição é simples e mortal. Elas são levadas para o lado de fora. Juliette é uma dessas pessoas. E talvez seja a última.


O que eu achei? 
Acho que este é um dos livros de distopias mais cru que já li. Levem isso como elogio! É sério! Além de ser distópico, situando-se em um futuro pós-apocalíptico, Hugh teve a brilhante ideia de trabalhar a alienação de forma bruta. O repertório de ficção científica também é muito bem explorado e colocado na história 

Em 'Silo', a Terra está tomada por gases venenosas e a sociedade vive dentro de um silo gigante dividido por andares, que dividem as classes e funções sociais. Isso tudo é controlado por pessoas que controlam qualquer tipo de informação e contato que acontece dentro do local. No meio desta sociedade, temos o pior dos castigos, que é o exílio! Quando alguém é condenado, esta pessoa tem que limpar as janelas no topo do silo, e que, consequentemente, acaba morrendo com a falta de oxigênio. 

É neste nível que o romance de Hugh Howey caminha. Ele levou três anos para escrevê-lo, e começou divulgando na Amazon, até que estourou com o público e a crítica, e o vendeu para um editora. 

Na história conhecemos a protagonista Juliette, uma mecânica pobre que vive lá no fundo do silo, ajudando a fazê-lo funcionar. Quando ela é "promovida" a um cargo político, ela tem que tomar muito cuidado com o que vai falar e compartilhar, porque isso pode significar o seu próprio exílio. Uma das personagens que me encantou, pela sagacidade e análise sobre o que está acontecendo ao seu redor. 

O tamanho do livro pode assustar um pouco (500 páginas), mas a narrativa de Hugh é muito boa. Para quem curte visualizar cada detalhe daquela história, é o livro perfeito. A visão detalhada do autor é fantástica e te faz mergulhar na história sem qualquer quebra na narrativa. Claro, tem coisas que me irritaram, como os detalhes minuciosos de alguns momentos (Na minha opinião, para encher linguiça). 

'Silo' sai da mesmice de histórias distópicas. Ele não tem pena, e assim como o subtítulo da obra fala, a verdade dói. Hoje, nós temos uma grande gama de distopias, mas que sempre perdoam um lado ou outro. Hugh fez algo diferente, e que promete ser o começo de uma trilogia muito interessante e que promete muitas surpresas. 




Cartinha do Sergio:


Olá, habitantes do reino criado pela rainha Maisa Evelyn! Tudo bem, com vocês? 


Eu espero que sim! 


Então, vim conversar algo com vocês: Infelizmente, estou parando temporariamente com as minhas atividades aqui no Reino Literário BR. 


MAS CALMA!


Como falei: Temporariamente. Eu entrei em uma fase bem puxada da faculdade, que se chama TCC... Para quem já viu algum conhecido passando por isso, ou você mesmo, sabe como é loucura total. Eu decidi direcionar minha atenção para este projeto no momento (Afinal, preciso me formar, porque né...). 


Eu só queria agradecer a Maisa Evelyn por ter me dado esta oportunidade de poder conhecer novos mundos e falar sobre eles. Por me ajudar a descobrir coisas sobre mim, que nem eu sabia. 


Aos outros colaboradores do blog que tive ótimas conversas, ajudas e risadas. Continuem com este projeto, pessoal, cada dia vemos ele crescendo e dá muito prazer ver dando certo. 


A você, leitor, que lê e comenta aqui nas postagens. Obrigado por nos acompanhar e apoiar! Não sabem como isso é ótimo. Lembrem-se: Vocês são mais do que um número para a gente. <3



Obrigado, de verdade. Estarei retornando às minhas atividades em Março de 2018. \o/ 

3 comentários

  1. Oi Sérgio,
    Parece uma distopia muito interessante e intrigante, talvez até mesmo uma crítica a sociedade.
    Sobre seu afastamento desejo muito sucesso e espero que esteja em breve na ativa aqui no Blog.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Sérgio!
    Gosto muito de distopia e se bem escrita, ainda melhor.
    Tenho o livro aqui para leitura, porém ainda não tive oportunidade, mas espero que em breve consiga ler, porque como falou, é cheia de detalhes, bem descritivo e gosto muito.
    Adorei a carta!
    Boa Páscoa!
    “A sabedoria começa na reflexão.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  3. Uau,não imaginava que o livro fosse tão extenso.
    Nunca fui tão fã assim de distopia,mas de eu tiver uma oportunidade vou ler.
    Quem sabe eu passe a gostar!

    Quanto ao seu TCC,espero que tudo dê certo.Já ouvi dizer que isso é coisa do c@p#t#. Rsrs.

    Tudo de bom! :)

    ResponderExcluir