Novidades

[Resenha] Molly


Sinopse: Quando um ex-policial teve a ideia de criar uma agência para procurar por animais desaparecidos, ele percebeu que precisava de ajuda. Então viu uma foto num site de animais para doação e seu coração disparou. Elétrica e cheia de energia, ela havia sido abandonada pela terceira vez. Colin ficou apaixonado e os dois se tornaram inseparáveis.

Esperta, ágil e obstinada, Molly estava pronta para uma missão maior do que eles podiam sonhar.

Com treino, aquela que era considerada uma cadela rebelde e incontrolável, logo a tornou uma super detetive e não demorou para que a dupla começasse a resolver casos de desaparecimentos e furtos por todo o país.

Desde a busca por Pablo, o gato ruivo sequestrado, sobreviver à picada de uma cobra, até desenterrar um tesouro de joias roubadas em uma floresta, Molly é protagonista de inúmeras aventuras emocionantes, que ultrapassam a solução de casos, porque contam divertidas e emocionantes histórias de amor.

O que achei? Molly conta a história do laço entre Molly – uma Cocker spaniel resgatada – e seu dono, Colin. O livro descreve muitos casos de recuperação de animais de estimação – em sua maioria, gatos – e também de buscas com tristes resultados.

Colin mostra uma grande empatia e conexão com seus clientes e a cachorrinha Molly não é apenas uma cachorra que ajuda no resgate de animais como também serve para acalmar os donos mais aflitos e aquecer os corações de pessoas indiferentes aos animais.

Molly é um livro bem escrito, educacional, envolvente e emocionante. A leitura é fácil e leve, até mesmo em momentos mais tensos e tristes.

O livro conta como Colin teve a ideia de abrir uma agência de detetives para encontrar animais perdidos ou roubados, a saga de encontrar o cachorro certo e o árduo processo de treina-lo, como Molly conquistou um país inteiro, atraindo atenção da mídia não apenas pelo seu talento único como também pelo seu carisma.

O livro é descritivo, mas não de forma desnecessária para preencher o maior número possível de páginas. Cada caso de resgate pode parecer mais do mesmo à princípio, mas cada um tem uma particularidade e carga emocional próprias.

Ao ler Molly, o leitor pode sentir o vínculo entre Colin e Molly e o trabalho deles como um time. Colin é sincero em sua escrita e o leitor – principalmente aquele que tem um bicho de estimação – pode se identificar com a história. 
 
Escrito por Michelle Araújo Silva
 
 

Nenhum comentário