04 dezembro 2017

[Resenha] Crônicas do Mundo Emerso - A missão de Sanar (Vol. 2)

Sinopse:
Não resta muito tempo para salvar o Mundo Emerso do avanço do Tirano e de seu exército de monstros criados através de magia. Cada vez mais novas cidades são conquistadas pelo inimigo. As Terras Livres estão sendo rapidamente vencidas. O medo e a incerteza dominam os corações de todos.

O que eu achei?
Em "O Talismã do Poder", segundo livro da trilogia Crônicas do Mundo Emerso, seguimos agora por dois caminhos - o de Senar e de Nihal.
Senar segue em busca do Mundo Submerso, viajando desacreditado, com a missão de conseguir auxilio na luta contra o Tirano. Em busca de ajuda para a viagem, segue num navio pirata onde sua presença não é muito bem-vinda, mas Senar consegue aos poucos provar seu poder e conquistar a todos.


Nihal segue lutando e treinando para se tornar um Cavaleiro de Dragão com o auxilio de Ido, o gnomo Cavaleiro que é seu mestre.
Diferente do primeiro livro, este nos leva numa viagem mais profunda em Nihal e Senar, nos fazendo compreender seus medos, inseguranças e nos levando lado-a-lado no crescimentos e descobertas dos mesmos. A história se torna mais sombria e densa, mais grave em todos os sentidos, onde segredos assustadores são revelados e o passado retorna de forma avassaladora.


A autora mostrou uma capacidade incrível para criar personalidades, e a complexidade que conferiu a Nihal tornou a trajetória neste livro muito mais envolvente. A jovem lutará não apenas contra as tropas do Tirano, mas também precisará lutar contra seus demônios internos; precisará tomar decisões que podem mudar a vida dela completamente, e entender porquê quer e precisa lutar. Nihal irá finalmente ganhar seu dragão, mas precisará conectar-se a ele e ganhar sua confiança, e nesta parte da história - uma das mais bonitas -, vemos o amadurecimento da personagem, e toda a sua força ser testada até o limite. Sem dúvidas, essa parte e todo o capítulo em que ela finalmente e nomeada Cavaleiro de Dragão, são as partes mais bonitas e emocionantes da história.

A escrita está muito melhor neste livro - não sei se pela tradução ou pela história em si -, fazendo a leitura deste muito mais fácil e prazerosa quando comparado ao primeiro livro. As personagens estão cada vez mais complexos, muito mais explorados em suas personas e suas histórias.
Velhos rostos retornam nessa história, mas nem todos são bem-vindos. A guerra se torna mais difícil, e as tropas das Terras Livres estão cada vez mais enfraquecidas, ao passo que o Tirano se mostra cada vez mais poderoso e ardiloso, usando da magia proibida sua arma mais poderosa.
Nihal descobrirá sobre o seu passado da forma mais dolorida, e entenderá finalmente qual a sua missão, e lhe será revelado o motivo de muitos dos tormentos pelos quais passara desde o início de sua vida.


A busca por respostas e por verdades de sua vida chega ao fim para Nihal, mas esse fim é apenas o início de uma trajetória muito mais perigosa, que pode mudar o rumo de toda a guerra. "Há verdades que é melhor não conhecer" foi dito a Nihal... e o motivo dessa frase é um peso que a jovem terá decidir se irá ou não carregar.

Nenhum comentário

Postar um comentário