20 julho 2017

[Crítica] 7 Desejos

A adolescente Claire Shannon(Joey King) descobre uma caixa mágica, que lhe concede sete desejos. Claire acaba fazendo apenas desejos pessoais e coisas ruins começam a acontecer. Com isso ela descobre que dentro da caixa vive uma entidade malvada, que pode estar causando esses acontecimentos terríveis.                                                                                                                                                                                                            
O que eu achei?
O diretor John R. Leonetti dirigiu o razoável Efeito Borboleta 2 (2006) mas também foi responsável pelo fraquíssimo filme solo da boneca Annabelle (2014) e atuou como cinematógrafo em Chuck 3 (1991), O Máscara (1994) e Mortal Kombat (1995).

Em Sete Desejos, ele nos conta a história de uma adolescente chamada Claire que mora com seu pai, Jonathan, e seu cachorro (sua mãe se suicidara anos antes e seu corpo foi encontrado pela filha) que trabalha como um gari. Um dia, ele encontra uma antiga caixa chinesa e entrega-a à filha. Claire pesquisa o que significam os caracteres e descobre que tem direito a sete pedidos. No início, ela fica meio cética (como a maioria de nós ficaríamos) mas depois que seu primeiro pedido é realizado (de que a garota que praticava bullying com ela no colégio apodrecesse e ela desenvolve uma necrose de um dia para o outro ) percebe que é real. Mas logo depois disso, seu amado golden retriever Max, é encontrado morto debaixo de sua casa, Claire se dá conta de que com todo pedido, há um preço a ser pago.

Mas ela começa a só fazer pedidos egoístas: que o garoto que ela gosta se apaixone por ela, se tornar a garota mais popular da escola, que eles fiquem ricos, etc. Cada um deles traz uma consequência desagradável. Paul, o garoto que ela gosta, se apaixona perdidamente por ela e passa a persegui-la por toda parte. Quando ela pede para ficarem ricos, seu tio afastado, irmão de sua mãe, morre ao cair na banheira e quebrar a cabeça e deixa sua fortuna para eles. No mesmo dia, a vizinha que era amiga de Claire e Jonathan tem o cabelo preso no triturador da pia da cozinha, fica presa e tem o pescoço quebrado por não conseguir desligar a máquina antes de poder se libertar.

Quando ela se torna a companhia mais desejável de sua high school, suas velhas amigas June e Meredith ficam decepcionadas com ela e têm uma discussão,que atinge o clímax quando Meredith morre quando o elevador fica fora de controle e cai.

Acontece que havia algumas inscrições na caixa que Claire não havia encontrado a tradução na Internet porque estavam em mandarim antigo. Ela pede a seu amigo Ryan para pedir á prima dele, que entende o dialeto, para traduzir. Eles vão ao apartamento de Mei Li e ela fica com a caixa pois há uma frase que precisaria de mais tempo para ser traduzida. Para o horror de Mei Li, quando ela finalmente revela o que significa, é um aviso de que há um espírito maligno conhecido como yaoguai, dentro da caixa. Após realizar sete desejos, ele exige a alma da pessoa como pagamento. Ela tenta avisar mas há um curto-circuito em seu prédio, ela deixa o celular cair e acaba sendo empalada pelo chifre da estátua de um boi em seu apartamento.

Claire acaba descobrindo o significado da caixa quando já fizera cinco pedidos e conta para suas amigas, que a tentam convencê-la a jogar a caixa fora (quando isso acontece, todos os pedidos são desfeitos) mas ela não consegue e acaba fazendo mais dois pedidos. Agora ela terá que pagar o preço final.

Particularmente, achei o filme razoável, me lembrou o conto de W. W. Jacobs ´´A mão do macaco´´ em que uma família recebe uma mão de macaco de presente e tem direito a 3 desejos mas cada um deles traz uma consequência ruim. Também há um episódio de Twilight Zone (Além da Imaginação) com um enredo similar, a lição de moral cuidado com o que deseja. O que me desagradou foi o final do filme, não atendeu as minhas expectativas por ser clichê. Mas vale a pena assistir para nos relembrar que devemos tomar cuidado com o que pedimos porque eles podem se tornar realidade-só que não do jeito que esperávamos.


2 comentários

  1. Oi Clara,
    Também achei um tanto cliché e umas mortes muito exageradas que me fazem lembrar Premonição kkk
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aichha, pois é, foi exatamente a impressão que me passou, parece um rip-off de Premonição.
      Tem filmes de terror melhores.
      Bjs

      Excluir