30 junho 2017

[Crítica Teatral] Festival Tango Y Vino

Inspirado pela bem-sucedida experiência do Festival Vinho e Jazz, realizado em junho de 2016, no Teatro do Bourbon Country, a Opus Promoções e a Branco Produções lançam três novos festivais. Em junho, a harmonização será entre Tango y Vino. Em agosto, entre Vinho e Jazz e, em outubro, Whiskey & Blues. Os festivais passarão por São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, sempre com três atrações musicais em cada edição.
Entre os músicos confirmados estão nomes como Marcelo Rey, cantor do espetáculo Esquina Carlos Gardel, considerado um dos maiores nomes do tango argentino da atualidade e a cantora Soledad Flores, integrante dos Quintetos Alto Tango e Carla Algeri, que realiza apresentações na Argentina e Colômbia. Além do espetáculo Real Tango, que se apresenta pela primeira vez no Brasil, com toda energia, vitalidade, classe e sensualidade do estilo musical.
Nesta sexta, dia 23 o Rio de Janeiro ficou um pouco mais "hermoso" com a presença do festival Tango y Vino, trazendo o melhor do tango para uma apresentação única em nossa cidade maravilhosa.

Tive o prazer de acompanhar de perto essa experiência única, que aconteceu no Teatro Bradesco e venho agora contar para vocês o que achei.

Logo de inicio fomos apresentados por Marcelo Rey, um dos maiores cantores de tango da atualidade, chegando ao palco com seu violão em uma versão acústica de um belo tango. Foi incrível ver o domínio do instrumento aliado a sua belíssima voz e incrível presença de palco. Pouco a pouco o espetáculo foi ganhando outras nuances, primeiro com a presença de uma belíssima orquestra com cinco musicas e depois fomos agraciados com Soledad Flores, mais conhecida como La Porteña Negra, que ao lado de Marcelo fez um dueto de fazer qualquer um perder o folego.

Após o fim do primeiro ato fomos dar uma olhada na degustação de vinhos, que estavam sendo vendidos. Isso fez com que a noite ganhasse um toque ainda mais argentino.

Voltando ao espetáculo, agora além da orquestra, Soledad e Marcelo, tivemos também três casais de bailarinos nos fazendo viajar a cada passo que davam.

No fim saímos mais do que agradecidos por termos sido presenteados com essa linda cultura latina, que infelizmente não se sabe quando estará de volta.
Escrito por Michel Uchiha

Um comentário

  1. Oi Michel
    Deve ter sido maravilhosos. Eu amo vinho e tango, e meu sonho é um dia assistir um festival assim
    Beijos

    ResponderExcluir