01 dezembro 2017

[Resenha] 1+1: A matemática do amor

Lucas e Bernardo são dois garotos, melhores amigos um do outro de toda a vida. De repente, recebem a notícia de que Bernardo irá se mudar com a família para outro país. Nesse momento, cada um a seu modo, percebe como valiosa era aquela amizade, algo que não queriam perder. Bernardo reage mal e se revolta. Lucas tenta transformar cada dia que resta com o amigo na melhor experiência de suas vidas. Ele escreve uma lista de coisas para fazer e pretende cumprir uma por uma, em todos os detalhes. Mas, a cada dia, o fantasma da separação os assombra com um cronômetro lembrando que o tempo se esgota e, ainda assim, os dois passam por grandes momentos juntos. Então os meninos percebem que há algo mais entre eles... um sentimento profundo, que não conseguem explicar e tornam todas aquelas experiências ainda mais intensas. Mas o que fazer com tudo isso quando se tem apenas 16 anos?
O que eu achei?
"1+1" conta a história de dois garotos: Lucas e Bernardo, amigos de infância que sempre foram unidos e agora mais do que nunca. Bernardo recebe a notícia que irá se mudar com sua família para outro país e isso só faz com que Bernardo interprete como se tudo fosse de mau a pior.

Por outro lado, Lucas vê uma oportunidade de fazer seus últimos dias com seu melhor amigo ser os melhores de suas vidas. Cria uma lista de afazeres e se dedica para que tudo saia perfeito para que Bernardo tenha boas memórias em sua nova vida com sua família em outro país. Com o passar dos dias, ambos percebem que algo cresce entre eles e de forma recíproca, sentimento forte e faz com que ambos passem por cima de muitas coisas, o amor.

No livro temos a narração dos dois personagens, Lucas escrito pelo Augusto e Bernardo pelo Vinicius. Com personalidades bem diferentes, mas que se completam quando somam seu 1+1.

Um livro com temática LGBT+ e que nos mostra retratos da realidade e como homofobia é o veneno da sociedade. Mas, acima de tudo vemos que o amor é mais forte e a verdadeira cura para a doença chamada ódio. Um livro leve e com uma grande tranquilidade e também conta com diversas referências musicais e cinematográficas devido a ambos autores serem fãs assíduos desse universo.

Escrito por Leonardo Alves

Nenhum comentário

Postar um comentário