26 novembro 2017

[Resenha] Hannibal - A Origem Do Mal


Sinopse:Vagando pela neve, Hannibal, de 8 anos, emerge de seu pesadelo. É mais um cambaleante sobrevivente da guerra. Está mudo e tem uma corrente em volta do pescoço. Em sua mente, a dolorosa imagem da morte dos pais, torturantes cenas de violência e apenas uma mera lembrança sobre o que pode ter acontecido à sua irmã. Por companhia, somente seus demônios.Levado de volta a sua casa na Lituânia, transformada agora em orfanato, sua tortura continua - física, nas mãos de revoltados meninos mais velhos e dos inescrupulosos administradores da instituição; e psicológica, vendo nas ruínas do castelo Lecter os restos de uma infância destruída - até o momento que finalmente é encontrado pelo tio, um pintor renomado que o leva para a França, onde passará a conviver também com Lady Murasaki, sua bela e misteriosa esposa aristocrata.Com a ajuda desta nova família, Hannibal tentará reconstruir sua vida. Aos poucos, recobra a fala e refaz espectativas. Aluno brilhante, torna-se o mais jovem calouro de uma faculdade de medicina. Mas os demônios de Hannibal ainda o visitam e atormentam. E quando tem idade suficiente, ele passa a retribuir as visitas. E descobre que sua ira unida a seus dons acadêmicos é a fórmula perfeita para um prodígio da morte. 



O que eu achei?

Em Hannibal - A Origem do Mal, nos é apresentado a origem - como o título já diz - do "monstro" que se tornara o Dr. Hannibal Lecter.

A história segue um pouco da linha de romance de formação, mostrando toda a juventude de Hannibal Lecter. Uma criança de uma família rica que, em meio a Segunda Guerra Mundial, se vê num mundo caôtico, que destrói a si mesmo. Ele e sua família se refugiam em uma casa no meio da floresta, em busca de proteção. Mas o oposto aconteceu. 


Assombrado pelas morte de seus parentes, e principalmente de sua amada irmã, Misha, da forma mais brutal e monstruosa imaginável; perturbado pelas lembranças de seus algozes, Hannibal segue sem falar uma palavra sequer. Sua voz esta afundada em traumas. Vagando pela neve, é encontrado e levado para um orfanato, onde pesadelos constantes o faz gritar por sua irmã noite após noite. Então, é encontrado pelo seu tio, um pintor famoso. E a partir daí, uma nova vida se inicia.


Eu sendo um fã da trilogia Hannibal, não via a hora de ler esse livro. A leitira difere um pouco dos outros, pois a escrita parece ter uma evolução mais lenta, visto que o foco não são os outros, e sim o próprio Hannibal, e sua evolução. Ou será involução? É meio difícil definir, porque vemos um jovem inteligentíssimo, em busca de vingança, mas que no caminho, começa a perder-se, a se tornar o famoso Lecter que conhecemos.


Um dos pontos interessantes é ver os pequenos detalhes que o autor colocou nessa história, que explicam algumas das atitudes e alguns pontos da personalidade de Hannibal durante a trilogia. Hannibal descobre o amor, e na mesma medida, descobre a raiva, o ódio, a sede de vingança e a necessidade de matar. 


Apesar de ter um ritmo meio lento em alguns momentos, a leitura é ótima pra quem quer conhecer mais sobre a vida de um dos personagens mais incríveis da literatura. Sem dúvidas, Thomas Harris criou um personagem fantástico, assustador e monstruoso.


Por Irlan


14 comentários

  1. Por incrível que pareça, não sou fã de Hannibal. Assisti aos filmes, a série (que achei bem chatinha e morna), e nada conseguiu me conquistar pra valer. Mas gostei desse, por mostrar a origem e toda a história antes dele se tornar o aquele "monstro".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim? Chocado estou hahaha Hannibal é meu personagem favorito da literatura. Junto com o Gato de Cheshire. Já ouvi falar da série, mas nada realmente bom, o que é uma pena. E o "surgimento" do "monstro" Hannibal é... nossa, nem tenho palavras.

      Excluir
  2. Nunca tive coragem de enfrentar Hannibal, quem sabe um dia (essa capa já assusta muito),kkk
    Mas me interessei bastante, talvez eu faça a leitura, gostei muito da resenha!! Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha sério? Eu sempre gostei dele, desde o filme. O charme, a inteligencia; um vilão horrendo e encantador. E obg, fico feliz que tenha gostado :3

      Excluir
  3. Oi Irlan.
    Já vi alguns filmes do Hannibal Lecter, e até tenho curiosidade para saber um pouco mais sobre a origem desse personagem.
    talvez eu leia esse livro um dia, mas não está nas minhas prioridades.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, é muito interessante ver como funciona a mente dele. Lindo e assustador

      Excluir
  4. Olá! Confesso que ainda não li Hannibal, já assisti aos filmes e gostei bastante. Posso começar por esse livro e depois partir para a trilogia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, super pode. Até pq desse pra trilogia se passa um tempo enorme - no fim de A Origem do Mal, Hanibal ainda é um jovem adulto, e em Dragão Vermelho ele já é adulto e psicologo.
      A cronologia é até mais interessante se ler esse primeiro.

      Excluir
  5. Tá chocado? Não fique. KKKKKKKKKKKKKK O Gato de Cheshire eu não conheço. Pois é, eu esperava mais da série, até pelos filmes serem tão grandiosos, mas achei morna e parada demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o gato de Alice no País das Maravilhas ❤
      E sim, eu fiquei sabendo sobre a série. Meu pai assistiu e detestou - e ele adora Hannibal e os filmes. Daí nem me animei a ver

      Excluir
  6. Resumindo: me decepcionei com a série. Meeeesmo.

    ResponderExcluir
  7. AAAAAAAA, NÃAAOOOOO! Irlan... eu odeio Alice no País das Maravilhas. Não me mate. Tenho trauma depois que assisti quando era criança. Não gosto nem de lembrar.

    É detestável mesmo. Nem perca seu tempo assistindo a série. A não ser que queira escrever uma bela crítica. Eu adoraria ler, rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ja disse uma vez e direi de novo:
      Oh 💔💔💔
      Eu amo Alice kkk um dos meus favoritos da vida! E a animação é bem sinistra mesmo hahaha acho que por isso que eu gosto. E não chegarei bem perto da série. Isso já esta certo kkk

      Excluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir