16 agosto 2017

[Resenha] Clube da Luta

Considerado um clássico moderno desde sua publicação em 1996, o livro Clube da Luta consagrou Chuck Palahniuk como um dos mais importantes e criativos autores contemporâneos, além do próprio livro como um cânone da cultura pop. O livro que estava esgotado há anos volta às livrarias nessa caprichada edição. O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acha que encontrou uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e das regras sem sentido. Mas o que está por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente. O livro foi filmado em 1999, pelo vencedor do Oscar de melhor diretor, David Fincher (OsHomens Que Não Amavam as Mulheres, A Rede Social), que conseguiu adaptar toda atmosfera do livro, o mundo caótico do personagem e o humor negro de Palahniuk em uma trama recebida com inúmeros elogios pela crítica e pelo público que conta com os atores Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter.

O que eu achei?
A resenha de hoje é de um livro onde o personagem principal não tem nome, então chamarei o personagem de X , narrado em 1ª pessoa Clube da Luta é um dos clássicos mais cultuados pelos nerds. X levava uma vida “normal’: trabalhava, saía, dormia e toda semana mantinha uma certa rotina, até o dia em que conhece Tyler, e assim iniciamos o livro...

X é um homem que sofre de insônia, viciado em compras por catálogos( isso é serio!) e mais uma vítima do capitalismo desenfreado.
Um belo dia ao sentir-se só X decide ir a grupos de autoajuda, totalmente a esmo, ir pelo simples prazer de sair e interagir. Ele cria um personagem para cada grupo de apoio que vai... há grupos de apoio para depressivos, para pessoas que tem câncer, para fumantes e muitos outros, quando digo que são muitos grupos é  tipo um grupo por dia. Tudo começa de uma forma convencional, mas no momento em que X  abraça alguém como forma de terapia, repentinamente ele chora copiosamente, um choro desesperador e libertador. E assim desta forma ele precisa disso todos os dias, pois ao voltar para casa descobre que agora consegue dormir e assim surge um novo vício: grupos de apoio.

Durante uma de suas muitas viagens de trabalho X conhece Tyler, um homem que acredita que não necessitar do capitalismo ou de nada referente a ele, tudo o que ele precisa é viver um dia de cada vez. Numa certa noite depois de muito conversarem eles brigam entre si, X contra Tyler, logo são cercados por algumas pessoas interessadas nesta lutas, e assim surge o Clube da Luta.
Uma vez por semana no depósito de um bar alguns homens irão se encontrar com o único intuito de se encontrar e brigarem entre si, depois dali todos voltam as suas vidas normais. 
Tyler instituiu várias regras para o Clube da Luta, são elas:


  1. A primeira regra do Clube da Luta é: você não fala sobre o Clube da Luta. 
  2. A segunda regra do Clube da Luta é: você não fala sobre o Clube da Luta. 
  3. Terceira regra do Clube da Luta: se alguém gritar "Pára!", fraquejar, sinalizar, a luta está terminada. 
  4. Quarta regra: apenas dois caras numa luta. 
  5. Quinta regra: uma luta de cada vez, pessoal. 
  6. Sexta regra: sem camisas, sem sapatos. 
  7. Sétima regra: as lutas duram o tempo que for necessário. 
  8. Oitava e última regra: se esta for a sua primeira noite no Clube da Luta, você tem de lutar.
X alterna seus dias entre o clube, trabalho e suas idas a grupos de apoio, onde conhecerá Marla, uma mulher que frequenta um de seus muitos grupos. Marla é excêntrica, cheia de neuroses e que um belo dia surta e entra em contato com X que tem fugido dela, mas como a vida não é perfeita Tyler vai socorrê-la e a leva para casa, que neste momento divide com X. 'Maisa como assim?' Cama meu povo que eu vou explicar...
X encontrará e apartamento em chamas depois de voltar de um dia de trabalho,sem ter para onde ir e nem quem procurar, X decide ir morar com Tyler numa pocilga. Então assim Marla surge dentro da casa de X e Tyler, o problema é que Marla e Tyler terão um relacionamento exclusivamente sexual e barulhento e isso certamente irá danificar mais ainda o solitário X.

Numa trama envolvendo muitas pessoas aleatórias: participantes dos clubes da luta que vão se expandindo e sem muito entender como pôde ter se espalhado tantas "filiais" do clube, X irá começar a investigar o que realmente tem acontecido enquanto não está com Tyler. E a partir daí um verdadeiro autoconhecimento irá surgir.
O livro é escrito de forma simples e esclarecedora o que é muito bom para quem assim como eu assistiu ao filme antes de ler o livro. 
Você certamente irá se surpreender do início ao fim com este livro, afinal não a toa se tornou um clássico.

2 comentários

  1. Eu adoro o filme, mas infelizmente nunca li o livro, confesso que nem sabia que era uma adaptação literária. Gostei da tua resenha, vou tentar informar-se se há venda aqui, em Portugal. Obrigado pela dica :)

    Bitaites de um Madeirense

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha! Nunca li o livro, mas adorei o filme! Está na minha lista para ler esse ano, espero que eu consiga rs

    http://www.euastronauta.com.br/

    ResponderExcluir