26 julho 2017

[Resenha] Uma Morte Horrível

Zoé trabalha em excesso e ainda precisa suportar o namorado desempregado e grosseiro. Até que cruza o caminho de Thomas, um escritor de sucesso à procura de inspiração.Nada intelectual, ela não sabe diferenciar Balzac de Batman, mas vai ter que ficar esperta… porque Thomas esconde um segredo que coloca Zoé no meio do que pode se tornar o escândalo literário do século. De uma das quadrinistas mais conhecidas da França, Uma morte horrível é uma história de amor e ambição com uma heroína inesquecível.
O que eu achei?
Confesso que a cada HQ que leio me encanto mais por este universo em quadrinhos, então é claro que me apaixonei por “Uma Morte Horrível”, que com seus traços belíssimos, usando o humor da ironia nos traz uma grande mensagem e nos faz questionar o que de fato é estar vivo, qual é o nosso limite para alcançarmos o que consideramos ser uma boa vida, mas principalmente o porquê nos submetemos a certas situações, será que vale a pena?

Primeiro conhecemos Zoé, uma jovem que é completamente infeliz com seu trabalho e com sua vida amorosa, tem o pior dos namorados, daquele tipo grosseiro e abusador, que ninguém precisa aceitar, mas não sei porquê, tanta gente tem e não enxerga, sem contar o seu emprego de hostess, ela odeia e por falta de ambição continua nele, mesmo reclamando das coisas que precisa se submeter, como os clientes abusadinhos, e as fantasias ridículas. Tudo isso a faz se sentir mais morta do que viva.

Até que, por mero acaso, sua vida, ou morte, esbarra na de Thomas, um homem muito misterioso, porém mesmo com todos os seus mistérios é ele quem faz Zoé se libertar, tanto do namorado abusador, quanto do emprego desastroso. Porém enquanto ela, não demonstrava ambição nenhuma, Thomas se mostra a ambição em pessoa, e vive por sua carreira de escritor, não que isso seja errado, mas até um sonho deve ter seus limites, não?

Ao mesmo tempo que o livro é muito engraçado, ele também é triste, afinal, sempre ficamos assustados e deprimidos vendo o que a ambição é capaz de fazer nas pessoas, Pénélope Bagieu mostra com perfeição essas nuances da vida e as facetas do ser humano. Ao meio das mudanças bruscas de cenário, Zoé, nossa protagonista se saiu muito bem, se mostra mais inteligente do que eu esperava dela, sendo bem sincera, ela se vira, e enquanto muitos rejeitam a mudança, ela a recebe de braços abertos de forma muito inteligente, o que resulta num final genial e hilário.


4 comentários

  1. Oi Mayara!
    Legal ver esses quadrinhos que mostram sempre um algo mais em suas histórias, não é mesmo?
    A ambição é uma boa ferramenta na vida mas temos de usa-la com parcimônia.
    Achei sua resenha bem legal. Vou dar uma furadinha na minha fila e ler esse HQ também.
    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da resenha. Achei que a história pode ser exemplar e me interessou ler!

    ResponderExcluir
  3. Oi Mayaran
    Temática bem diferente dessa HQ, pelo jeito Zoé terá uma guinada na sua trajetória.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu li essa HQ recentemente e adorei!
    Que final foi aquele né? haha
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir