27 julho 2017

[Crítica] Os meninos que enganavam nazistas

Durante um período de ocupação nazista na França, os jovens irmãos judeus Maurice (Batyste Fleurial) e Joseph (Dorian Le Clech) embarcam em uma aventura para escapar dos nazistas. Em meio a invasão e a perseguição, eles se monstram espertos, corajosos e inteligentes em sua escapada, tudo com o objetivo de reunir a família mais uma vez.                                                                                                                                                                            
O que eu achei?
Este não e um filme qualquer sobre nazismo, até porque não existe uma fórmula certa para adaptar para o cinema uma história que é uma verdadeira ferida na humanidade. Não sou desta época fatídica, mas sem dúvida fica o sentimento de impunidade, e obviamente mais uma vez me emocionei.

Em 1941, Paris é ocupada pelo temido exército nazista, obviamente o horror é instalado imediatamente. Nesta cidade reticente a respeito de seu futuro conhecemos Joseph e Maurice, dois meninos que moram com seus pais e dois irmãos mais velhos, todos judeus, e que terão suas vidas devastadas. Os irmãos terão que abandonar sua casa, seu país na tentativa de fuga dos soldados nazistas.

O que eu pensava enquanto assistia eram coisas do tipo "não é possível que eles vão sozinhos" ou "são apenas crianças, não é possível!". Fiquei com um nó na garganta, um sentimento de injustiça enraizado por uma época triste da humanidade.

Após fugir da França e fazerem um caminho tortuoso de trem até a Itália, Joseph e Maurice prometem que nunca irão se abandonar e que sempre lutarão para estar de volta para sua família.

No decorrer do filme podemos assistir várias tentativas desta família ficar unida. Quando achavam que tudo estava bem e instalados na Itália, o exercito nazista chega ao país, e assim, mais uma vez, sua família terá seus sonhos desfeitos.

Os irmãos vão parar num colégio católico e ficam por lá escondidos ate o dia em que serão capturados pelos temidos soldados nazistas, onde de fato conseguirão enganá-los. Mas até isto realmente acontecer, os irmãos irão sofrer muito. Infelizmente me rendeu momentos de aflição e me fez repensar na maldade humana.

Com um figurino impecável, diálogos afiados e uma fotografia que nos presenteou com imagens lindas dos países retratados na história do filme. Em meio aos cacos, eu ainda ficava pensando “que lugar lindo!", "olha essa roupa". Por ultimo uma salva de palmas para atuação dos atores Batyste Fleurial e Dorian La Clech que tão lindamente deram vida a personagens incríveis.

O filme merece ser visto pela simplicidade de encantar mesmo sabendo que a historia foi dolorosamente real. Fica a minha torcida para que os homens jamais voltem a tanta atrocidade.

Trailer:



6 comentários

  1. Parece ser um filme sensacional. Quero muito ver, mas vou preparar os lencinhos. Poxa, em pensar que tantas outras histórias terríveis desse tempo estao ainda sem serem reveladas ao mundo. Triste... ainda mais por saber que ainda tem pessoas que continuam seguindo essa ideologia.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  2. Oi Maisa,
    Apesar de todo o horror vivido nesta época, adoro ver os filmes. Principalmente para refletir. Não assisti este ainda mas adorei a dica e verei em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Esses filmes com essa temática sempre me deixam desidratada de tanto chorar.
    É muito triste e fica um sentimento de injustiça... é muito difícil pensar sobre esse assunto e não se emocionar.
    Parabéns pela crítica!

    ResponderExcluir
  4. Nossaaaaaa....que filme forte...aliás, tudo que fala sobre essa época do Nazismo me deixa com um nó na garganta. Esto lendo no momento um livro que fala sobre uma pessoa que não acredita que houve o Holocausto e o pior é que se trata de uma história real. É impressionante a capacidade do ser humano em ser tão mal. Acho q é por isso que amo os animais!!! Quero mto assistir esse filme e quem sabe bater um papo com vc a respeito depois...Bjks
    thebestwordsbr.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Esse filme parece ser incrível! Sua resenha deixa aquele desejo "preciso assistir" plantado no coração. Apesar de triste, gosto de ver, ler e assistir coisas sobre o Nazismo. É uma parte da nossa história, infelizmente, cheia de horror. Mas precisamos assistir e tudo em relação a isso, torna quase impossível, não se emocionar.

    ResponderExcluir
  6. Oi Maisa, a temática esse filme sempre me emociona e com certeza estou querendo assistir em breve. Acho que o saber que essas atrocidades realmente aconteceram, só tornam tudo muito mais triste .

    ResponderExcluir