19 junho 2017

[Resenha] Uma Sombra Na Escuridão

“A sombra saiu da escuridão e subiu as escadas silenciosamente. Para observar. Para aguardar. Para colocar em prática o que há tanto tempo planejava.” Em uma noite de verão, a Detetive Erika Foster é convocada para trabalhar em uma cena de homicídio. A vítima: um médico encontrado sufocado na cama. Seus pulsos estão presos e através de um saco plástico transparente amarrado firmemente sobre sua cabeça é possível ver seus olhos arregalados. Poucos dias depois, outro cadáver é encontrado, assassinado exatamente nas mesmas circunstâncias. As vítimas são sempre homens solteiros, bem-sucedidos e, pelo que tudo indica, há algo misterioso em suas vidas. Mas, afinal, qual é o segredo desses homens? Qual é a ligação entre as vítimas e o assassino? Erika e sua equipe se aprofundam na investigação e descobrem um serial killer calculista que persegue seus alvos até achar o momento certo para atacá-los. Agora, Erika Foster fará de tudo para deter aquela sombra e evitar mais vítimas, mesmo que isso signifique arriscar sua carreira e também sua própria vida.
O que eu achei?
A Detetive Erika Foster está de volta para resolver mais um caso de assassinato no novo livro de Robert Bryndza, mesmo autor de A Garota No Gelo. Nesta história, temos um assassino extremamente cuidadoso e meticuloso, que mata suas vítimas por sufocamento, espreitando pelas sombras e esperando o momento certo para seu ataque.

O livro anterior de Bryndza, para mim, foi um pouco fraco no desenvolvimento do mistério e das personalidades. Contudo, neste novo título, ele conseguiu amadurecer muito sua escrita e a construção dos acontecimentos e das personas de cada um. A Detetive Erika Foster está mais taciturna e forte, mas, desta vez, vemos também o seu lado mais vulnerável e humano enquanto busca pelo serial killer. Temos também o núcleo de uma outra personagem, Simone, uma enfermeira extremamente misteriosa e ambígua, com uma personalidade que mistura dedicação ao seu trabalho com um descontrole traumático. O que será que ela esconde?

Além da busca pelo assassino que está aterrorizando a todos, matando pessoas muito conhecidas - e apenas homens -, a histórias traz questões a se pensar nos dias atuais. Em alguns momentos da história, o assassino se comunica com alguém pela internet, através de um bate-papo anônimo: um não sabe nada nada do outro, a não ser o que um contou para o outro... mas o quanto do que foi dito é verdade? Será que realmente conhecemos as pessoas com as quais nos relacionamos on-line? Há, também, questões como homofobia e machismo no decorrer da história - que não vou contar como surgem pois seria um mega de um spoiler.

Mostrando um crescimento e amadurecimento da melhor forma, Robert Bryndza conseguiu - para mim - criar um livro com muito mais suspense do que seu lançamento anterior, extremamente sombrio e cativante, com personagens bem desenvolvidos, explorando não apenas o caso e sua repercussão na vida dos policiais, mas também como tudo aquilo afetou e afeta a cada um de forma pessoal, revivendo até traumas dos passados de alguns. Se eu tinha dúvidas quanto a esse autor ser bom ou não, esse livro me mostrou que ele pode se superar facilmente - e me deixar boquiaberto!


3 comentários

  1. Olá Irlan!
    Adoro estórias de suspense policial mas essa série (?) me deixou com a sensação de deja vú dos livros da Nora Roberts (série Mortal), não lhe parece? Enfim... estou amadurecendo a ideia de encarar mais uma série policial. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Monique. Então, eu até conheço a série da Nora Roberts, mas de nome apenas. Nunca cheguei a ler ou pesquisar sobre... Mas essa série (sim, ela continuará por pelo menos mais três livros até agora) evoluiu muito do primeiro (A Garota No Gelo) para esse.

      Excluir
  2. Oi Irlan,
    Não li A Garota no Gelo, mas adoro livros de investigação e policial. Que bom que o livro evoluiu assim da gosto de continuar na série.
    beijos

    ResponderExcluir