05 junho 2017

[Resenha] Extraordinário

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade.. até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular em Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apenas da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. R.J.Palacio criou uma história edificante, repleta de amor e esperança, em que um grupo de pessoas luta para espalhar compaixão, aceitação e gentileza. Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade – um impacto forte, comovente e , sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.
O que eu achei?
Extraordinário traz August "Auggie" Pullman como protagonista. Um menino de dez anos que nasceu com uma grave deformidade facial, tendo que passar por mais de 20 cirurgias plásticas para que pudesse enxergar, ouvir e falar. Contudo, sua aparência continuou afetada... Sua aparência, não sua personalidade. Auggie, apesar da idade, é forte, inteligente, e não se deixa abater facilmente pelos problemas; está sempre atento a tudo e compreende o lado bom e ruim de tudo.

Mas essa história não trata de aparências; não é sobre coisas superficiais. O livro nos leva para o interior, não somente das personagens, mas de nós mesmos, fazendo com que questionemos como nós, já adultos, somos tão cruéis quanto crianças - que, a princípio, não o fazem por mal.

Auggie é um menino como outro qualquer, mas que jamais foi a escola, pois sua mãe decidiu que seria melhor para ele estudar em casa - e também para a saúde dele. Mas em dado momento, ela decide que mandá-lo para escola possa ser melhor para ele, para confiança e também uma educação melhor para o menino. E ele fica aterrorizado... Um novo mundo se abre para Auggie, que se vê - como sempre aconteceu - sendo julgado através dos olhares de todos.

A história é fluida, e contada por vários personagens - cada um com seu ponto de vista. O cotidiano escolar e familiar muito bem explorados, as personalidades são extremamente cativantes e concretas. Além da descontração que faz parte de toda a narrativa do livro, momentos extrema emotivos fazem desse livro uma montanha-russa de emoções, levando o autor da raiva à compaixão.

Uma história de gentileza, amizade e acima de tudo, respeito, que de maneira real e impactante, traz aos leitores uma experiência de empatia, nos colocando na pelo de uma criança extremamente encantadora.

Se você nunca entendeu a frase "o essencial é invisível aos olhos", este livro irá te fazer entender e viver essa frase!


5 comentários

  1. Estou lendo agora, uma amiga me emprestou e adorando!

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é muito emocionante.O ponto dele mostrar mais de um ponto de vista acho que foi uma grande sacada da autora.
    Não vejo a hora de assistir o filme

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Babi!
      Sobre esse livro... só tenho elogios! Haha e sou suspeito pq eu amo demais. A autora soube criar uma historia tão tocante e real ❤❤❤

      Excluir
  3. Oi Irlan
    Esse livro foi um dos que mais me surpreendeu, comprei a muito tempo atrás e estava total sem expectativas (levei por sugestão na livraria) e simplesmente AMEI.
    Louca agora para ver o filme.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aichha comigo foi da mesma forma. Comprei por impulso e quando li, me apaixonei pela historia e pelo Auggie. To esperando ansiosamente pelo filme

      Excluir