27 março 2017

[Crítica] Oscar 2017- Até o último homem


Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss (Abdrew Garfield) se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 homens, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.

O que eu achei?
Já na primeira cena,aparecem cenas de violência explícitas.Ouve-se a voz de Desmond falando que Deus nunca irá desistir de seus filhos,não importa o quão difíceis sejam as adversidades. Desmond é carregado em uma maca para longe, enquanto outro soldado conta para ele que vai ficar tudo bem.
Segue um flashback 16 anos antes, Desmond (ainda garoto) e seu irmão Hal,estão correndo pela floresta. Eles moram com os pais, Bertha e Tom, um veterano da Primeira Guerra marcado por suas experiências traumáticas , bebe frequentemente e bate em seus filhos.Um dia, Desmond machuca Hal com um tijolo no rosto. Enquanto os pais tentam fazer algo para ajudá-lo, Desmond se arrepende de ter machucado o irmão e faz uma promessa para nunca mais machucar ninguém. Tom tenta bater nele com o chicote mas Bertha o impede,alegando que ele não aprenderá nada com violência. 
15 anos depois Desmond está trabalhando na Igreja Adventista de Sétimo Dia enquanto sua mãe canta no coral.Eles ouvem um barulho e veem um homem cuja perna foi atingida por uma peça de carro. Desmond corre para ajudá-lo e improvisa um torniquete com seu cinto.Quando levam o homem para o hospital, Desmond vê uma enfermeira que chama sua atenção, Dorothy Schutte (Teresa Palmer)e a convida para um encontro. Ele se precipita e a beija,para receber um tapa na cara mas depois eles se apaixonam e se casam. 

Desmond se despede de sua família e de Dorothy e começa seu treinamento como soldado.Desmond se recusa a matar pessoas durante a Batalha de Okinawa.

As cenas de batalha são bem fortes, devo avisar. Mas em hora nenhuma a qualidade cai. É um dos melhores filmes indicado desse ano. A atuação de Andrew Garfield foi impecável e a de Hugo Weaving como seu pai também, assim como os efeitos especiais e a trilha sonora. Teresa Palmer também está no elenco como Dorothy Schutte, uma enfermeira que Desmond se apaixona e Rachel Griffiths como Bertha Doss, mãe de Desmond. Um dos filhos de Mel, Milo Gibson, interpreta Lucky Ford, um soldado do batalhão.

O consagrado diretor Mel Gibson ( A paixão de Cristo, Coração Valente,Máquina Mortífera, Apocalypto, O homem sem face) nos entrega uma comovente história de guerra e superação.
Um dos melhores filmes de guerra que já vi. Mel conseguiu a façanha de ministrar uma história de guerra e de humanidade com maestria. Acho que deveria ter ganho Melhor Diretor ao invés de Damien Chazelle mas pelo menos faturou Melhor Mixagem de Som e Melhor Montagem. Nota:8,5
  Curiosidade: O verdadeiro Desmond Doss morreu em 2006 mas seu filho foi na premiere do filme e assistiu a performance de Andrew Garfield com lágrimas nos olhos.


Trailer:





7 comentários

  1. Oi Clara!
    Assisti o filme e amei. Sempre curti filmes que retratam a guerra, ainda mais quando são baseados em fatos reais. Histórias como a de Desmond devem ser contadas mundo afora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente nunca consegui terminar de assistir um filme de guerra...
    Não! Acho que o único que consegui terminar foi O Resgate do Soldado Ryan.
    Sempre fico muito triste com filmes do gênero.

    Bem,a sua indicação parece ser ótima!
    Emocionante demais... Para quem gosta desse gênero,tenho certeza que essa é uma boa dica. :)

    ResponderExcluir
  4. Clara!
    O ator que protagoniza o filme e ue fez o homem-aranha também, está bem em alta e dois dos filmes que ele protagonizou, estavam concorrendo ao Oscar.
    Gosto muito do Mel Gibson como diretor porque ele consegue fazer uma produção perfeita.
    “Não há nada bom nem mau a não ser estas duas coisas: a sabedoria que é um bem e a ignorância que é um mal.” (Platão)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. alguém fez maratona dos filmes indicados *invejinha* eu tb queria fazer
    eu assisti vários filmes de guerra, mas muita gente me disse que esse é diferente de tudo que já tev
    o mel gibson como diretor está muito bom e foi outra coisa que me chamou atenção para colocar esse filme na lista

    ResponderExcluir
  6. Olá Clara!
    Não sou a maior fã de filmes de guerra, mas esse parece ter uma grande quantidade, além de não se resumir somente a esse tema contando também o passado de Desmond. E eu adoro Andrew Garfield. Espero ter a oportunidade de assisti-lo em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Menina amém ao seu post porque eu na lembrava de jeito nenhum como era o nome desse filme e eu queria assistir ele e não lembrava onde tinha visto. Eu gosto de filmes assim e estou ansiosa pra ver depois desse post.

    ResponderExcluir