Books Brasil Books

Novidades

[Crítica] Que Mal Eu Fiz À Deus 2?

 

Sinopse:

Que Mal eu Fiz a Deus? 2 acompanha novamente Claude e Marie Verneuil durante uma crise na família. Seus quatro genros estão decididos a sair da França e construir uma nova vida no exterior com suas esposas e filhos. Mas Claude e Marie não conseguem aceitar a ideia de ver as filhas e netos longe deles. Além disso, a família Koffi chegam na França para o casamento da filha e as duas famílias vão passar por muitas situações complicadas juntos.



O quê eu achei?


Me tornei fã dessa franquia dirigida por Philippe de Chauveron.Para quem não conhece, o primeiro filme foi lançado na França em 2014 e contava a história da família Verneuil,composta pelo casal Marie e Claude e suas 4 filhas:Isabelle,Odile,Ségolène e Laure.As três mais velhas se casam,respectivamente, com um argelino muçulmano,um judeu e um chinês. Os pais, que são super conservadores e antiquados,não ficam nem um pouco felizes com esses matrimônios com homens de diferentes etnias e religiões.A última esperança deles é que a caçula,Laure, arranje um marido decente sob o ponto de vista deles.

Tudo parece ir às mil maravilhas quando Laure anuncia que vai se casar com um homem católico que fala francês-mas imaginem a surpresa quando ela apresenta Charles, um negro da Costa do Marfim, para os futuros sogros.Para piorar a situação,o pai de Charles também não fica nada feliz.Esse é o primeiro filme.

O segundo começa com cada um dos 4 casais decidindo sair da França por não terem se adaptado: Isabelle e David querem ir para Israel,Rachid e Odile querem ir para a Argélia,Ségoulène e Chao querem ir para a China e Charles quer ser ator em Bollywood na Índia com Laure.E para complicar ainda mais as coisas,a irmã de Charles, Vivienne,revela ser lésbica e fica noiva de uma mulher. A família Kofi vai da Costa do Marfim para a França para a cerimônia mas o pai,André,ainda não sabe que sua filha irá se casar com uma mulher.

Embora o conflito agora seja outro,o mesmo nível do humor é mantido;ainda há um forte criticismo à xenofobia entre os cunhados e também Arash, um refugiado do Afeganistão que é empregado como jardineiro por Marie em troca de alojamento.É claro que tudo dá certo no final mas eles terão que passar por poucas e boas.Foi o filme mais assistido na França em 2019-recomendo!


                                                             Trailer:






Nenhum comentário