Novidades

[Resenha] O amor nas 4 estações

Sinopse:
Experimentar a vida em sua essência, valorizar cada momento, cada evento, cada cair de chuva, farfalhar de árvores. Sentir a vida, a alma, o infinito... tudo parece utópico e lúdico demais? Mas é um desafio diário de viver cada momento de verdade e com intensidade, e depois disso, tudo passa a valer a pena! Um livro de crônicas sobre a vida e suas nuances, permeando as quatro estações do ano. Mais do que celebrar o amor, o autor nos desafia a a viver um ano inteiro prestando atenção aos detalhes diários que tornam a nossa vida uma grande aventura, e que muitas vezes, deixamos passar. Victor aceitou esse desafio, e durante um ano viu a vida com os olhos de quem quer achar beleza em tudo, e isso mudou a forma como ele enxergou o mundo. E agora ele faz um convite para você viver a própria vida com intensidade, olhar o amor de outra maneira, de fazer uma releitura do nosso coração. Sua proposta é de fazer uma leitura do nosso próprio coração. Este é um convite para viver, em profundidade, as nossas próprias estações. “Quando a felicidade diz que não há nada que você poderia fazer a não ser ir, o coração já pulou. Os grandes momentos das nossas vidas partem de mergulhos corajosos.

                     O que eu achei?
É um livro de poemas em que o autor escreve sobre suas sensações em cada uma das quatro estações. Prestando atenção aos menores detalhes, é uma viagem pelos prazeres da vida. Com um lirismo gostoso de se ler, o autor narra um ano de sua vida aproveitando tudo o que ela tem a oferecer.

Eu separei um texto de cada uma das 4 estações para vocês terem uma ideia de como é:

Outono:

Somos mais do que pensamos:

Devemos tanto a nós mesmos...Sei que nesse dia a dia corrido de algumas pausas para rir nós não percebemos tanto, mas basta sentirmos o que há por dentro que tudo é imediatamente dito.Meu bem, nos darmos bem e transformarmos tudo em algo bom,como nós, não é para todos.Quando encontro outros amigos, revejo boas pessoas,sinto que alguma coisa parecida conosco ocorre sim. Tudo isso me traz bons sentimentos e naturalmente me lembraria o que somos quando estamos juntos, mas confesso a você que sem defesa nenhuma que conseguimos ser mais do que qualquer felicidade que eu encontre por aí.

Somos tudo que sentimos,mas muito mais do que pensamos.Tão difícil ouvir o coração com os tempos de hoje, não é? Mas sentimos tudo, e lá sempre foi morada para nós dois.Se paralisarmos os pequenos momentos, aqueles segundos de troca de sorrisos, os milésimos em que nos encostamos sem motivo, lá sentimos tudo e completamente. Difícil reparar, eu sei.Mas senti um dia desses quando pensei em você sem precisar pensar. Talvez você já tenha feito isso eu não sei.Mas sei que é quando agimos sem precisar agir que estamos vivendo mais do que pensamos.Em mim reside tanta vontade de te fazer sempre mais...Instinto de querer botar tudo para fora tudo o que coração pulsa e finalmente dividir,te entregar e te dedicar o que carrego, e tenho a impressão de ser uma das coisas mais preciosas que já carreguei.

Quando estou do seu lado-simplesmente estou, sem fazer mais nada além de estar-me sinto pleno como desejo estar em todos os momentos dos meus dias;Estou seguro, em paz e calmo como nunca. Há você aqui e não há mal que possa chegar Talvez até chegue,mas eu nem sou capaz de notar.Ali estou completo, e em mim não há falta.O tempo passando devagar se torna o meu melhor amigo e você do meu lado se torna cada vez mais do que eu pensava ser.

Somos mais do que pensamos e as estrelas provam isso quando nos parecemos com ela juntas.Entre nós, o pensar fica de menos e apenas sentimos muito.Sentimos muito o que somos,o que podemos e o que queremos.Então entendo que realmente seremos sempre muito mais do que pensamos, porque, por dentro, sentimos sempre que somos muito mais do que imaginamos.

Inverno:

Um sol quentinho:

Se acomode aqui comigo junto com esse sol quentinho.A grama está macia e poucas vezes a vi tão verde.Sentado aqui sobre ela,abraçando os meus joelhos e sentindo a luz me aquecer,percebo o quanto a paz muitas vezes mora em nossas pausas.Sinto todo o ar me preenchendo e me dando vida, toda a brisa passando e me abraçando,.meus cabelos insistentes para voar e minha calma, que é cada vez mais calma, a cada vez que respiro.

Com você sentada na minha frente e encostada no meu peito, respiro encostando meus lábios na sua cabeça e te dedicando ali um beijo daqueles que parece que a alma veio dar.O carinho é imenso, pleno e completo,Ficamos em silêncio, calmos e parece que só a nossa presença já diz tudo um para o outro.O tempo parece não passar, e o mundo, existir apenas para nós dois apreciarmos. E ali parece que nos igualamos à beleza do mundo e tornamos parte inteira de toda a beleza que sentimos.

O seu perfume me chega e meu fechar de olhos me permite navegar sobre você inteira. Te respiro, te vivo, te sinto como se meu coração também puxasse ar e esse ar fosse você.Todos os meus sentidos te escutam, te olham, te sentem e se dedicam atentos para não perder nenhum detalhe que nasça dos seus versos.Enquanto isso, o Sol cobre a nossa pele como um carinho, e cada vez mais o que sentimos se entrelaça com a simplicidade de estarmos ali... Estamos juntos e plenos,e isso basta.E assim parecemos realmente tocar o que é realmente o amor.

Nada em mim tem vontade de partir.Tudo em mim sempre tem vontade de ficar onde estamos.Se sempre já te sinto tanto,que dirá podendo sentir a sua respiração sobre o meu peito.

Nada em mim tem vontade de partir. Tudo em mim sempre tem vontade de ficar onde estamos.Se sempre já te sinto tanto que dirá podendo sentir a sua respiração sobre o meu peito.Minhas mãos se estendem pelos seus braços. suas mãos recebem as minhas,e nos movimentamos um ao outro com nosso lábios.que não resistem a se encontrar.Já não há nada além do que sentimos que possa definir os nosso sentimentos todos.Há apenas nós, juntos e plenos,amando o que somos.

Primavera:

Já sinto saudade:

Quero dizer que já sinto saudade de você. Ainda que saiba que te vejo em breve, já, já, daqui a pouquinho, essa sensação definida em uma palavra me invade como poucas vezes no mundo.Imagina então quando não sei como sentir tanto, e em mim só há vontade de sair correndo para onde for,desde que eu encontre você.

Me impressiona como seu coração consegue fazer os seus detalhes tão presentes. Não quero aqui comparar com a verdade de quando você chega, mas praticamente te sinto me beijar a boca só com as pulsações do peito.Sinto as suas digitais deslizando sobre a minha pele, seu perfume gostoso a qualquer hora do dia me atravessando inteiro, sua expressão inteira de sorriso comparável a uma estrela e cada pétala de flor que você parece soltar sobre as minhas mãos a cada vez que me olha sereno.É teu jeito. Você é a calma, é o tom aveludado da pétala, é o silêncio e a voz exata quando preciso. Logo vejo que me poetizo todo pra te descrever mas não é nada de mais. Na verdade, estou lendo a poesia que é, e te ler é uma das maores delícias da vida.

Verão:

À beira do mar:

Caminho, e não há nada mas calmo do que estar aqui.Meus pés registram na areia a minha presença e o coração registra em mim a paz.Olho para o mar que está praticamente em repouso,para a areia e para as suas pequenas conchas, olho para o céu, e em todos esses olhares olho também para mim mesmo. O Sol me sorri de frente, já prestes a se despedir, entregando talvez a luz mais linda de todo o seu dia, Com a luz, a pele está dourada, os olhos encantados, a beira molhada da areia refletindo o céu e a parte seca destacando em suas marcas todas as histórias que passaram por aqui hoje.O céu parece apresentar todas as cores do dia.Há o tom da manhã, da tarde e do início da noite.As nuvens parecem as ondas quebrando no céu,e de lá elas assistem a toda essa beleza comigo.

O vento bate contra e é como um abraço da vida. O cabelo esvoaçando livre, leve, solto me faz sentir a forma como quero viver. O cheiro de mar não se esconde e com o som das suas poucas ondas que insistem em beijar a terra me lembra o quanto há sempre vida a ser descoberta. Nunca uma onda foi igual a qualquer outra.

Para onde esses passos vão me levar,eu não sei ao certo. Mas ao caminhar segundo o rumo do coração,sou feliz desde já.E indo em frente, não há dúvidas, meus pés não se desenham nesse chão com tanta vontade à toa, a felicidade sempre está nos rumos de dentro.

Lentamente os tons do dia vão se entregando às luzes da noite. Os brilhos das primeiras estrelas começam a sorrir no céu e o meu sorriso só aumenta. Há motivos para sorrir a todo instante quando a alma está tranquila. O tempo passa e logo é toda noite. Os sonhos de todo o dia já começam a descansar no coração e já sinto a marca dos meus passos.Não foram meus pés que marcaram a areia, e sim a vida que marcou a minha alma.

Parece então que por dentro me torno mar.Na verdade, talvez eu tenha voltado a ser. Os sonhos respiram e pulsam como quando criança. Aquelas verdades, vontades e desejos mais gostosos começam a dançar por dentro como sempre deveria ter sido.Crescemos, e a cada dia aprendemos coisas novas, mas nossas luzes de dentro, aquelas que já nascem conosco, não podem apagar nem com todos os furacões do mundo.Há de ser sempre força, brilho nos olhos e coração batendo forte pelo que te faz vida,sem deixar que o vento de curvas por aí te faça perder o que é essência. Volto então a ser uma imensidão por dentro e completamente cheia do que mereço viver.

No final do livro, após ter passado pelas quatro estações, Victor escreve mais alguns textos de um novo outono e depois faz um relato de seu amadurecimento e crescimento durante cada uma.

Como vocês podem ver pelas fotos, a maioria dos textos tem ilustrações lindas (não foram feitas pelo autor) e a borda de cada página tem um floreio diferente, sendo um para cada estação.

O amor nas 4 estações é uma jornada pelos sentimentos.


Recomendo!

Algumas fotos para vocês terem uma ideia de como são as ilustrações:






Nenhum comentário