11 dezembro 2017

[Crítica Musical] TU - Tulipa Ruiz

Saindo do pop dançante de "Dancê", Tulipa Ruiz retorna com um álbum bem mais intimista e contido sonoramente, o TU.
Gravado em Nova York, o álbum foi produzido pelo irmão da cantora, Gustavo Ruiz, juntamente com Stéphane San Juan, e conta com 9 faixas, num álbum 100% digital, misturando músicas inéditas com releituras de faixas antigas.
Na parte inédita, o álbum conta com 5 faixas novas em folha, dentre elas GAME, primeiro single lançado do álbum. As releituras contam com faixas dos dois primeiros álbuns da cantora, Efêmera e TudoTanto (que é maravilhoso).

Que Tulipa Ruiz é dada a exageros musicais, não é novidade. Mas o bom é que ela quase sempre acerta em cheio nas suas propostas. Porém, nesse novo álbum, a atmosfera mais crua se torna um charme não antes visto; uma faceta nova - pelo menos para mim - de uma cantora tão elétrica e enérgica quanto ela é.

TU não traz muitas novidades, sendo um álbum mais para apreciação do que curtição. É interessante ver a nova roupagem das faixas antigas, reencontrar a voz da cantora de forma tão singular, mas sem perder suas características tão marcantes e matar a saudade em faixas novas.

TU é simples, comedido, e ainda assim consegue ser, suavemente, expansivo, como um perfume que se espalha no ar.

Faixas:
01. Game
02. Terrorista Del Amor (feat. Adan Jodorowsky)
03. Pedrinho
04. Tu
05. Desinibida
06. Algo Maior
07. Dois Cafés
08. Polén
09. Pedra

Nenhum comentário

Postar um comentário