11 maio 2017

[Crítica] O Dia do Atentado

Após os atentados terroristas à Maratona de Boston em 2013, um grupo formado pelo Sargento da Polícia Tommy Saunders (Mark Wahlberg), o Agente Especial Richard Deslauries (Kevin Bacon), o Comissário da Polícia Ed Davis (John Goodman), o Sargento Jeffrey Pugliese (J.K. Simmons) e a enfermeira Carol Saunders (Michelle Monaghan) se une aos bravos sobreviventes para identificar e capturar os responsáveis pelo ataque terrorista antes que eles possam fazer novas vítimas.                                                                     
O que eu achei?
Por mais que possa parecer, esse não é um filme que carrega uma bandeira dos EUA nas costas com a promessa de caçar qualquer um que se atreva a ameaçar a nação. No entanto, é sim um filme patriótico, mas, entremeada numa trama policial eletrizante e impossível de desviar os olhos, ‘O Dia do Atentado’ traz uma mensagem de força; perseverança; e, sobretudo, de união acima de qualquer incentivo do combate fogo contra fogo. Além de ser um ótimo sobre terrorismo, as cenas da explosão são maravilhosamente fortes, sem deixar nada de fora, entretanto é importante ver o quanto esse filme também toca numa ferida mais íntima, em como, independente de diversos conflitos internos e externos enfrentados por eles, conseguem ainda assim se unir quando necessário — coisa que o Brasil está anos luz de distancia.

Reunindo múltiplos pontos de vista diversificados, ‘O Dia do Atentado’ mostrará, de muito perto, os acontecimentos do ataque terrorista à Maratona de Boston em 2013. Os pontos de vista são conectados de forma tão sutil que de início sequer parecem apresentar algum tipo de elo, como se fossem cenas de outro filme inseridas em um contexto muito desconexo, contudo, à medida que os acontecimentos decorrem, a figura forma-se como um quebra cabeça onde certas peças possuem um tipo de contextualização diferenciada que era necessário ter sido explorada à parte para que, como um todo, causasse maior impacto.  

Para quem acompanhou na época que o atentado foi televisionado para todo o mundo e sentiu-se completamente perdido no meio de tanta informação desregulada, esse filme é ideal. Não sei se aborda os fatos de maneira fiel, e, sinceramente, não sei se quero saber; acredito que, em certos momentos, exista uma linha entre a realidade e a ficção que não merece ser perturbada em nome da sua experiência com aquilo. Nesse sentido, prefiro não saber se o filme é factual ou não do que talvez me surpreender com diversas mentiras que podem ter-me sido contadas.  

Uma das partes mais emocionante é quando, após as explosões que deixaram um número exorbitante de pessoas mutiladas — com quatro mortes dentre elas —, uma delas era um menino de oito anos que, para não interferir na investigação da cena do crime, teve seu corpo mantido no chão da rua durante uma noite inteira. Para que não ficasse sozinho, um policial manteve vigília ao seu lado o tempo todo em nome de seus pais, que não podiam se aproximar, pois também estavam feridos. Os olhos marejados do policial e seu sinal de continência ao finalmente serem retirados dali são de cortar o coração.

Tocante e inebriante — embora seja uma receita de bolo há muito realizada e facilmente repetível — ‘O Dia do Atentado’ deixou-me preso até o último segundo, fazendo-me relembrar o quanto adoro histórias envolvendo terrorismo; a investigação e apuração dos fatos (‘A Hora Mais Escura’ é um dos meus filmes favoritos), sendo assim posso dizer que cumpre muito bem o que promete. 

Trailer:

Postado por Julio Gabriel

2 comentários

  1. Lembro bem desse atentado. E foi uma surpresa para mim, saber que o filme foi "baseado ", nessa triste história.
    Gosto muito de filmes policiais.E acredito que vou gostar bastante desse.
    Sem contar que gosto do ator Mark Wahlberg.Mais um ponto positivo.

    Boa dica!

    ResponderExcluir
  2. Oi Julio
    Esse atentado foi bem marcante. Com certeza deve ser um filme bem emocionante!
    Gosto muito da atuação do Mark.
    Beijos

    ResponderExcluir