18 março 2017

[Resenha] A Busca

Esse livro é único, pois nos envolve em uma excelente, história contada de forma rica e detalhada e junta temáticas como Vida Cristã e Teologia. O livro conta a história de uma jovem, Emma Seeger, 23 anos, que após um telefonema, entra em uma jornada perigosa e cheia de consequências. Sua madrasta, Katya, a mulher que evangelizou seu pai, casou-se com ele, e o levou para Israel, liga para informar que Daniel foi sequestrado. Após os recentes esforços para encontrá-lo fracassarem, Emma embarca numa busca repleta de aventura, frustração e perigo em companhia de sua madrasta, cuja fé lhe causa repulsa e ao mesmo tempo intriga. Conheça essa história emocionante e o seu desfecho.

O que eu Achei?
O livro fala sobre a transformação da religiosidade de uma filha de pais separados, quando seu pai, após se casar-se com Kayla é sequestrado, e então precisa unir forças com sua madrasta nessa busca incessável pelo pai. Porém Emma nunca foi a favor da união de seu pai e Kayla, e a considera sua inimiga, logo essa busca pelo pai, evolve muito mais do que poderíamos prever inicialmente.

Kayla, evangélica, que se apega a Deus para ter forças e achar seu marido, e começa a modificar Emma, a faz ler a bíblia, já que ela e o pai eram completamente descrentes, a mostra as proezas que Ele faz e assim começa a ensina-la como o amor por Deus pode torna-la nova pessoa, e ao se unirem e investigarem com fé, as duas descobrem que ele fora sequestrado em Israel, território Palestino.
Passando por diversas situações,Kayla faz um boletim de ocorrência para sua própria proteção e de Emma. O Estado islâmico tem muitos judeus israelitas, que se tornaram ameaças constantes ao trabalho que Kayla e seu marido executavam na região.
Quando já estavam perdendo suas esperanças pela falta de qualquer informação sobre o paradeiro do seu pai e marido, elas são surpreendidas pela aproximação de um mensageiro, que só poderia ter sido enviado por Deus, reascende a chama de esperança dentro delas, e um acordo pode restaurar toda sua família e ainda fortalecer a fé das duas de que no final tudo terminará bem, e que tudo isso aconteceu porque estava nos planos de Deus.

Durante a leitura do livro é perceptível a mudança de Emma, que inicia o livro descrente e o termina com um amadurecimento religioso muito bonito, o que nos faz refletir sobre as nossas próprias crenças e no quanto acreditamos no poder de Deus ou se somente vamos acreditar e nos apegar a Ele nos momentos de maior provação. Um livro bonito sobre mudança e que nos faz olhar nosso interior e questionar muitas coisas em nossa vida.

6 comentários

  1. Acredito que independente da religião que nos leva a crer em Deus e que nos faz seguir o caminho certo,do bem ,vale muito à pena!
    Esse encontro entre as duas personagens, acredito eu,que mudará a forma como a Emma vê o mundo. Acho que irá compreender melhor a vontade de Deus...
    E muitas vezes por caminhos não tão fáceis.

    janaina silva
    silvajanaina576@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. eu não conhecia esse livro
    achei interessante a ideia de uma busca pelo pai a Emma mudar a forma de ver o mundo, sem falar no crescimento dela; o motivo que talvez eu não leria o livro é que tenho um pouco de medo das pessoas serem apresentadas de forma muita estereotipadas.

    ResponderExcluir
  3. Oi Mayara!
    Nunca li nada parecido, achei muito legal ser uma história que envolve mistério (sequestro) e o fortalecimento da Fé.
    Espero que Emma tenha uma nova visão de mundo após essa experiência e aproximação com a Fé.
    Biejos
    aichha_carolina_p@hotmail.com
    Aichha Carolina Pereira

    ResponderExcluir
  4. Oi mana, bem pra começar que bom que você gostou do livro mas eu não leio livros que tem como uma das bases dá história temáticas religiosas, sou católica e quando o tema de religião entra no mundo dos livros eu não acho legal sabe, então eu evito ao máximo. Mas posso indicar esse livro para uma amiga que provavelmente irá aproveitar melhor a leitura.

    ResponderExcluir
  5. Mayara!
    Livros de cunho religioso sempre trazem grande aprendizado e quando ambientados em um local de conflito, como Israel e ver que o Estado Islâmico está envolvido no sequestro, torna o livro no mínimo curioso em se fazer a leitura.
    Semaninha cheia de felicidade!!!
    “Não ganhe o mundo e perca sua alma; sabedoria é melhor que prata e ouro.” (Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Deve ser interessante ver o amadurecimento religioso de Emma, ainda mais por ele ter sido promovido por uma pessoa com quem ela não tinha uma boa relação como Kayla e em meio a uma situação bastante adversa como o sequestro de seu país. Embora eu deva admitir que livros assim não estão entre meu gênero favorito, mas fico feliz que você tenha gostado da leitura.
    Abraços!

    ResponderExcluir