24 fevereiro 2017

[Crítica] A grande Muralha


No século XV, um grupo de soldados britânicos está combatendo na China e se depara com o início das construções da Grande Muralha. Aos poucos eles percebem que o intuito não é apenas proteger a população do inimigo mongol e que a construção esconde na verdade um grande segredo.
O que eu achei?
O filme conta a história de William um arqueiro muito talentoso, mas que decide ir até a Grande Muralha da China para roubar um famoso artefato.

William é conhecido por ser um homem frio e calculista, arma de acordo com suas necessidades, seja roubando por comida ou por dinheiro. Ele e seu amigo Pero são inseparáveis, até mesmo nas falcatruas, mas ao tentar roubar algo da Muralha da China não poderiam imaginar que enfrentariam um verdadeiro exército de homens e mulheres dispostos a morrer para protegê- la.
Logo após serem capturados são interrogados pelos soldados com o intuito de saber como eles conseguiram cortar a pata de uma "fera", Willian explica e ainda assim  ninguém consegue acreditar em sua história. 

Enquanto estão amarrados aprisionados William e Pero presenciam um ataque das feras à Grande Muralha, ambos ficam admirados com a organização e a força do exército composto por homens e mulheres habilidosos. Com cenas maravilhosas de ação, mas que deixou muito a desejar no quesito de 3-D, um recurso pouco utilizado, achei que poderia ter sido melhor executado e as cenas de batalha por mais que tenham sido bem produzidas e dirigidas, ainda assim achei pouco perante ao que esperei do filme.
Durante o ataque William mostra que pode ser de grande ajuda para o exército, a comandante Lin Mein convida William a ensinar seu exército o que fez de fato com a fera e tanto ele quanto seu amigo começam a lutar lado a lado com o exército. Mas enquanto Willian se empolga em fazer parte de algo tão grandioso como o exército, seu amigo Pero quer fugir junto a um outro homem que tentou roubar anteriormente o exército.

Com uma direção impecável o filme não deixa pontos sem nós, toda a trama é muito bem costurada e William terá que tomar uma grande decisão e pela 1ª vez será pautada em algo maior do que seu próprio egocentrismo. Matt Damon dá vida a um William de caráter extremamente duvidoso e demonstra em nuances de olhar a mudança de atitude do personagem. Enquanto a atriz Jing Tian fez uma personagem cheia de atitudes e demonstrava suas emoções  e sutilezas no olhar. 
O filme vale ser assistido, mas certamente esperei muito mais das cenas de ação.


Trailer:

2 comentários

  1. Ainda não vi, mas é um tipo de filme que eu de certeza irei gostar :) E com Matt Damon no elenco, só pode ser bom :)

    Bitaites de um Madeirense | STUDIOP.

    ResponderExcluir