10 setembro 2016

[Resenha] Elle - Música, Amor e Amizade



Sinopse
Aos 14 anos, Elle tinha uma vida perfeita, com pais amorosos, lar feliz e seu vizinho e melhor amigo, Chris, por perto. Porém, em uma noite fria, seu amigo vai embora em busca de seu grande sonho: se tornar uma estrela do rock.
Quatro anos depois, quando uma tragédia os reúne, Chris, agora guitarrista da famosa banda Jack Rock, vai ao resgate de sua amiga de infância, que está crescida e não quer mais ser protegida.
Conseguirá a amizade de infância resistir à vida adulta, ou a busca de Elle pela independência a levará para outros caminhos?


O que eu achei?
Em ELLE acompanhamos a vida do jovem Helena – a Elle – e seu vizinho e melhor amigo, Chris. Filho de um pai autoritário e opressor, Chris, com o sonho de ser músico, se cansa de viver sob o domínio de seu pai, que é chamado pelos dois – e pela irmã mais nova de Chris – de O Delegado, e foge de casa ainda jovem, deixando para trás irmã, família e Helena.

Anos depois, aos 17 anos, Elle sofre um acidente de carro com os seus pais e acorda no hospital, onde toda a sua realidade e seu futuro se tornam uma incógnita maior do que antes: o que será dela agora. Chris, agora parte de uma banda com fama em ascensão volta para dar apoio a sua amiga, junto de Jack, o vocalista da banda – um homem absurdamente lindo e envolvente, no estilo rock'n'roll.
Sem ideia do que fazer a partir dali – menor de idade e sem nenhum dinheiro -, Chris e John propõem que ela trabalhe para a banda, tendo assim uma casa, emprego e salario, como adicional de ter seu melhor amigo por perto.

Contudo, ela se vê presa num triangulo amoroso entre ela, Chris e John, onde questões pessoais, amadurecimento e descobertas irão ditar o destino de Elle e de todos ao redor – inclusive a banda de Chris e John, a Jack Rock.

Mesmo com a grande carga dramática do início, o livro consegue ser leve e divertido, onde Elle sempre tem uma resposta pronta na ponta da sua afiadíssima língua – e um chute certeiro, caso necessário. John é o misterioso da historia, um homem com fantasmas do passado, uma aparência impecável e uma moral aparentemente duvidosa, mas muita atitude e determinação . Contudo, há muito mais ali do que mostra a superfície e os tabloides. Chris é o jovem sonhador, de sentimentos conflitantes e mega protetor de Elle

A escrita é em primeira pessoa, onde Elle é a narradora. Ela é uma jovem cheia de atitude, que não se deixa manipular nem se curva a ninguém; uma mente determinada e forte, além de extremamente sarcástica e ácida quando irritada – o que faz com que ela dê respostas ótimas. A amizade dela com Chris é amplamente explorada dos dois lados, deixando claro os sentimentos dos dois, contudo sem muita clareza, já que não se sabe muito bem se essa amizade continuara assim ou se está evoluindo para algo mais. Mas é com John que tudo é mais complexo, mais misterioso, mais envolvente.

O único detalhe que me deixou um pouco confuso foi a diferença da linguagem de Elle, que muda muito da Elle narradora – uma linguagem mais limpa e culta - para a Elle personagem. Acredito que faça parte da persona dela, mas em alguns momentos – e devido a idade dela -, a forma culta destoa um pouco do momento.

Mas no geral, não existem grandes problemas na história. É o inicio de uma trajetória de aprendizagens, desafios e descobertas.

Nenhum comentário

Postar um comentário