05 setembro 2016

[Crítica]: A incrível jornada de Jacqueline

Sinopse:
Fatah, um pequeno fazendeiro argelino, só tem olhos para sua vaca Jacqueline, que ele sonha em ver na grande feira de Agricultura, realizada em Paris. Determinado a levar a vaca até lá, ele a carrega consigo e cruza a França à pé, após pegar um barco para Marselha. No caminho, Fatah e Jacqueline vivem uma jornada cheia de surpresas e aventuras.


O que eu achei?
Sabe aqueles filmes que não damos nada porém nos surpreendemos tanto que começamos a falar dele para todos?! Pois é, esse foi o meu caso com "A Incrível Jornada de Jacqueline", um filme completamente divertido e muito inspirador.
O filme conta a história de Fatah um homem interiorano completamente apaixonado por sua vaca Jacqueline, a qual todos no vilarejo chamam de sua segunda esposa, mas é claro que Fatah pouco se importa e desfila todo dia com sua bela vaca no caminho até o mercado onde vende as verduras que planta em seu quintal. Ele sempre teve uma vida simples de camponês, mas desde que Jacqueline era um filhotinho sonha em leva-la a feira de agricultores em Paris para que ela compita entre as vacas mais bonitas.
Ele insiste tanto, mas tanto nisso que acaba recebendo um convite para participar da tal feira, só existe um porém: eles não arcam com os custos da viagem. E quando Fatah decide ir de qualquer jeito a feira é que começa a divertidíssima jornada de Jacqueline.
Fatah pede dinheiro emprestado a todo o vilarejo para atravessar o Mar e chegar a França, e o caminho do porto francês até Paris é muito longo e ele o faz a pé, o que rende boas histórias e muita confusão, sem contar que neste percurso os personagens secundários são fundamentais, como o cunhado cara de pau, e o empresário deprimido Phillippe, que ajuda Fatah e acaba se envolvendo demais.
A Incrível Jornada de Jacqueline é um filme sobre correr atrás dos seus sonhos, neste caso literalmente, a fotografia e a trilha sonora contribuem muito para a diversão do filme o ator Fatsah Bouyahmed deu vida completa ao ingênuo e sonhador Fatah só senti falta de uma conclusão melhor para a história que me arrancou boas risadas do começo ao fim.

Trailer:



Um comentário