05 setembro 2017

[Cobertura] Show do Almir Sater no Teatro Bradesco


Em um show memorável, realizado no Teatro Bradesco na quinta feira, 24 de agosto, Almir Sater trouxe de volta ao Rio de janeiro a "alma pantaneira” , com sua força e beleza incomparáveis.

Com suas canções de música e letra bem elaboradas, acompanhado pelos músicos Rodrigo Sater ( violão), Guilherme Cruz (violão), Reginaldo Feliciano (baixo) e Marcélia Anderson (acordeão), levaram o público a viajar pela magia do Pantanal matogrossense. Bastou fechar os olhos para sentir o deslizar suave da chalana pelas águas do rio Paraguai, ouvir o canto das aves, apreciar a beleza das matas com seus ipês luminosos, admirar admirar a beleza e a diversidade dos animais como capivaras, antas, jacarés, onças, macacos.

O desempenho dos artistas é tão mágico que nos convence de que é possível encontrar o Saci-pererê, o Caipora, a Mula-sem -cabeça montada pelo Capa-preta num piscar de olhos.

A maioria das canções do show foi composta por Almir Sater em parceria com Paulo Simões, Renato Teixeira, ou Sérgio Reis.

Nestes tempos em que o Brasil sofre com a perda de memória de suas riquezas culturais, quando a pobreza assola as letras e músicas tocadas em todas as mídias pelo país a fora, Almir nos lembra nossas raízes ricas e belas. Nos fala da formação do nosso país, dos primeiros habitantes da nossa terra, com sua luta por liberdade e sobrevivência guando os portugueses e espanhóis adentraram nosso território em busca de escravos, ouro e outros bens materiais.

Almir Sater nos fala de amor, encontros e desencontros,saudade,rastro de luar, liberdade, espiritualidade. Nos mostra porque há trinta anos faz tanto sucesso, desde sua estreia como galã violeiro e cantador nas novelas Pantanal, Ana Raio e Zé Trovão ( na extinta Tv Manchete), Rei do Gado ( Tv Globo), Bicho do Mato ( Tv Record).

O tempo passou e ele se aprimorou cada vez mais como músico, não perdeu a beleza da voz, o carisma, a forte presença é o charme que fazem suspirar homens e mulheres por onde ele passa...

Nenhum comentário

Postar um comentário