01 junho 2017

[Crítica] Além das Palavras

Baseado na história de vida e no trabalho da grande poetisa americana Emily Dickinson (Cynthia Nixon), acompanhamos seu trajeto desde os primeiro dias como uma jovem estudante até seus últimos anos como uma artista reclusa e quase irreconhecida. Uma mulher tímida, mas com ótimo senso de humor e amizades intensas. Emily escrevia praticamente um poema por dia, porém, apenas parte da sua obra foi publicada em vida.                                                                                                                            
O que eu achei?
O drama começa mostrando uma jovem Emily no final de seu segundo ano no internato religioso da Amherst Academy, na cidade de Amherst, cidade no estado de Massachussets, cidade onde ela nasceu e morou durante toda a sua vida. Emily não se adaptava às rígidas normas católicas e sua família decidiu retirá-la da instituição.De volta ao lar, ela conta para seu pai,Edward, que adora escrever e compor poemas.Pede permissão para passar a noite escrevendo e ele a concede.Edward também é amigo do editor do jornal local e pede para publicar uns poemas de sua filha.

Os pais de Emily contratam uma governanta, a Sra.Maher, que a repreende por não ser católica, o que acaba levando-a a discutir com seus pais e irmãos.O irmão de Emily, Austin,fica noivo de Susan Gilbert, uma moça que ele conheceu no baile.Ele apresenta-a para suas irmãs, Emily e Lavinia. Durante um passeio nos jardins, Lavinia pergunta a Emily se ela pretende se casar um dia e ela responde que não.Um dos grandes trunfos do filme é recriar o ambiente da região da New England,os cenários e a trilha sonora fazem o espectador imergir naquela época.Os valores daquela era são transmitidos pelos personagens mais conservadores, como o patriarca da família Dickinson e a governanta.

Logo após o filho de Austin nascer, o início da Guerra Civil é anunciado.Austin discute com Edward porque quer se alistar mas o pai não quer que ele vá e até se dispõe para pagar a taxa para ele não servir.Um dia, o reverendo local vai jantar na casa dos Dickinson e elogia o trabalho de Emily. A governanta avisa a Emily a tomar cuidado com seus vícios. Ela se tornou uma pessoa amarga. A mãe dos três fica doente e eles têm que cuidar dela. Os últimos anos de Emily são retratados na última meia hora.Gostei dessa biografia, tem um tom tão melancólico quanto os poemas escritos por Emily e é uma relativa fiel da vida dessa poetisa tão difundida nos países de língua inglesa mas nem tanto aqui.

O diretor,o britânico Terence Davies (cujo nome é bem similar ao do ator Terrence Malick) é um daqueles diretores que lançam uma nova obra a cada 5 ou 10 anos mas quando lança, é uma obra-prima. A maioria de seus filmes são histórias de coming of age, o gênero focado na maturidade de uma personagem, seja da fase adolescente para a fase adulta ou do crescimento psicológico do personagem. No caso de Além das palavras, é uma história de coming of age que mostra a evolução de Emily como pessoa, da maneira como seus valores mudaram conforme ela foi adquirindo experiência. É uma jornada de autoconhecimento, do amadurecimento de uma das maiores poetisas de sua época.

Trailer:



Um comentário

  1. Oi Clara
    não tinha ouvido falar nesse filme, as vezes acho filmes de época meio parados. mas desse eu gostei do enredo pois me parece que Emily é bem a frente do seu tempo.
    beijos

    ResponderExcluir