28 abril 2017

[Crítica] Vida


Seis astronautas de diferentes nacionalidades estão em uma estação espacial, cujo objetivo maior é estudar amostras coletadas no solo de Marte por um satélite. Dentre elas está um ser unicelular, despertado por Hugh Derry (Ariyon Bakare) através dos equipamentos da própria estação espacial. Tal descoberta é intensamente celebrada por ser a primeira forma de vida encontrada fora da Terra, sendo que um concurso mundial elege seu nome: Calvin. Só que, surpreendentemente, este ser se desenvolve de forma bastante rápida, ganhando novas células e uma capacidade inimaginável.
O que eu achei?
Uma das maiores perguntas da humanidade é "será que estamos sozinhos?" "Será que somos os únicos?"O tema é usado à exaustão em varias mídias, é um assunto fascinante e que mostra um pouco do interior da psique humana e o medo de estar sozinho. Agora coloque um ser biológico e junta o fator de ele precisar se alimentar como você, ele não é uma ameaça apenas está lutando por sobrevivência como você, a única diferença que ele pode te devorar. Esse e o fio condutor do filme VIDA ( de Daniel Espinosa) que estréia essa semana, na trama “uma equipe de seis astronautas da Estação Espacial Internacional descobre sinais de vida inteligente em Marte e a investigação do fato gera conseqüências inimagináveis”. Com essa sinopse simples pode até pensar, é só mais um filme genérico do tema, eu até pensei assim vendo o trailer porém nos surpreende pela abordagem dada ao tema que poderia ser batido.
Quando somos apresentados a equipe da estação, percebemos várias etnias dos membros e o que cada um faz, isso é apresentado de forma simples e rápida, por que logo de cara o foco é a arte biológica tentando ativar uma pequena partícula vinda de marte que pode obter vida, foi a primeira coisa que me surpreendeu o uso da ciência para o assunto, a primeira descoberta de vida vem de uma simples célula ( na área científica umas das teorias de vida em outros planetas é de uma possível existência celular). O primeiro ato é em torno do impacto da descoberta e nos personagens, os astronautas da estação, e vemos aos poucos o desenvolvimento da célula em um pequeno ser.
A partir daí o filme tem um toque de "Alien o oitavo passageiro", com momentos tensos de segurar na cadeira e não saber o que esperar, esse é um ponto positivo, outro ponto é criar a atmosfera chave do clímax, mesmo que seja óbvio o desenvolvimento do filme você ainda se prende ao clímax.
Tecnicamente o filme não é como "Gravidade" mas isso não quer dizer que não tem seus esmeros. Tem uma boa direção e bons efeitos especiais mesmo que alguns desses efeitos pareceram bem artificiais. No geral tem uma técnica satisfatória, junto com as atuações cada personagem tem seu espaço e momento certo para desenvolver sua trama própria como o personagem de Jake Gyllenhaal, um homem que ama o espaço e não quer voltar para a terra pelos seus traumas, onde o isolamento da estação é o que ele deseja, outro que ganha um bom desenvolvimento é Ariyon Bakare, o típico cientista que admira a criatura de uma forma quase maternal observando seu desenvolvimento e suas habilidades.
Sobre a criatura incomoda a visão em primeira pessoa, você acaba saindo da visão dos astronautas, particularmente acho um erro por que como o ser é de outro planeta a forma de ver dele é mostrado de uma forma brochante. A criatura também forma uma face para nos identificarmos, sei que é difícil pensar em algo nunca imaginável ou inominável, só que criar uma face para algo de outro planeta não foi tão legal, a forma que é apresentada é bem assustadora.
Vida é um filme que te surpreende e mesmo com final clichê assim como "Gravidade" é um filme pipoca que tenta buscar um diferencial e isso é louvável em uma época de filmes repetitivos.

Trailer:


4 comentários

  1. Olá, o elenco está de arrasar!
    E o que não parece faltar é muita ação .
    Também gostei que tenham descoberto primeiramente uma célula. E que posteriormente vai nos deixar arrepiados.

    Gostei e quero conferir!

    ResponderExcluir
  2. Oi Maisa
    Gosto bastante de ficção científica e filmes que envolvam o espaço. Este parece ter ação também.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Maisa!
    Como gosto de ficção, quero ir assistir, porém tenho lido muitas críticas não tão satisfatória como espera, li até uma que dizia que o filme não tem um enredo bom. Como assim?
    Bom feriado!
    “A sabedoria é a única riqueza que os tiranos não podem expropriar.” (Khalil Gibran)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Adoro esse tipo de filme, e o elenco está ótimo!
    Quero muito ver!

    ResponderExcluir