13 dezembro 2016

[Critica] A Rainha de Katwe

Sinopse:
Phiona Mutesi é uma jovem de Uganda que faz de tudo para alcançar o seu objetivo de se tornar uma das melhores jogadoras de xadrez do mundo. Órfã de pai e moradora de uma região bem pobre, Mutesi foi obrigada a largar a escola por falta de dinheiro, mas agora está decidida a enfrentar todos os obstáculos para tornar seu sonho realidade.

O que eu achei?
Olá queridos leitores.
Muitas vezes, mesmo inconscientemente, acabamos por subjugar a capacidade das crianças do nosso país que tem uma condição muito precária, e muitas que vivem em comunidades carentes ao redor e no meio da nossa cidade. Essa causando uma discrepância real muitas vezes entre o estilo de vida delas e de outras crianças de mesma idade, que tem uma realidade menos sofrida e que tem condições melhores de moradia, estudo e alimentação, por assim dizer.

‘’ A Rainha de Katwe’’ foi um filme que me emocionou muito, e retratou muito bem as coisas que acontecem hoje em dia em nossa sociedade, onde a filha mais velha, algumas vezes, acaba se envolvendo com a pessoa errada, e por falta de dinheiro e promessa de uma vida e dinheiro fácil, acaba por se iludir e seguindo caminhos que os pais que não aprovam. E como na maioria das historias que eu ouço a filha mais nova, acaba sendo a batalhadora, que conquista sua independência.

Onde poderíamos imaginar uma criança, negra, moradora de uma comunidade, que vende alimento para sobreviver, se tornando e indo representar o próprio país em torneios de xadrez pelo mundo? Sim, essa é a história da pequena Phiona Mutesi, nascida  na pobre cidade de Katwe, Uganda.

O roteiro nos leva a uma cultura diferente da tradicional, cores alegres nos enchem de alegria, e a ascensão de Phiona, pouco a pouco, nos leva a destinos improváveis se imaginássemos os mesmos no começo do filme. Cercada de dramas de família, Phiona se vê em constante mudança, com sua família que possui várias dificuldades, e ela vendo em si a chave para a solução dos problemas de sua família, isso que a mantem muitas vezes focada em seus objetivos.
           


Posso chegar a dizer que esse filme, é um manual para a vida, onde nos mostra que todos somos capazes de tudo,bastando apenas nos esforçamos o suficiente para alcançarmos aquilo que almejamos, não importando nossas origens, nossa cor, nossa condição social, nosso país... 

Trailer:


Nenhum comentário

Postar um comentário