24 julho 2016

[Resenha] Fazendo Meu Filme 1: A Estreia de Fani

Um livro que vai relembrar o que é ter somente preocupações com escola e com o ‘crush’. Um livro que vai te ensinar como é importante não deixar para falar amanhã, o que pode ser dito hoje.
Sinopse: Fazendo meu filme é um livro encantador, daqueles que lemos compulsivamente e, quando terminamos, sentimos saudade. Não há como não se envolver com Fani, suas descobertas e seus anseios, típicos da adolescência. Uma história bem-humorada e divertida que conquista o leitor a cada página.
Seja a relação com a família, consigo mesma e com o mundo; seja a convivência com as amigas, na escola e nas festas; seja a relação com seu melhor amigo e confidente. Tudo muda na vida de Estefânia quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima. 
É sobre isto que trata este livro: o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades. As melhores cenas da vida de Fani podem ainda estar por vir.

O que eu achei?
Vocês devem estar pensando... Um adolescente, de 19 anos, universitário, lendo sobre uma menina, que está no segundo ano do colégio, desesperada porque vai fazer um intercâmbio? Um tanto quanto estranho, não é? Pois bem, tirando esse estereótipo de lado, porque eu decidi ler? Primeiro, recomendações (muitas)! Segundo, sabe quando você sente falta da sua pré-adolescência, em que sua única preocupação era se ia, ou não, passar de ano? Ou que seu amor secreto fosse corresponder a você? Então, tem vezes que sentimos faltas desses momentos, e Paula Pimenta me relembrou como era bom ser pré-adolescente.

O ponto principal desse livro é que ele é escrito de forma simples e corriqueira, como se a própria personagem estivesse escrito aquilo, e não uma pessoa adulta. Acho que esse é o principal destaque que falta em alguns livros atuais. Deixar o seu personagem assumir toda a identidade daquilo, deixar ele tomar as rédeas da própria história, enquanto alguns decidem o que eles irão fazer.
Não tenho qualquer ponto negativo em relação a essa obra. Bem escrita, bem explicada, os personagens são todos muito bem desenvolvidos, você tem dicas de filmes e música para entrar no clima desse universo de Fani, que é uma personagem cativante e “gente como a gente”. E tudo tem uma reviravolta, a cada capítulo você sente mais sede e fome de qual vai ser o passo da protagonista, ou dos outros personagens. Meu amor eterno para Gabi que, com certeza, alguém já teve, tem, ou vai ter.

Existe uma lição nele, que eu consegui captar de forma clara: Não deixe para fazer amanhã, o que você pode fazer hoje... Vai que seus pais decidem te inscrever em um programa de intercâmbio, e você perde a oportunidade de se declarar para o amor da sua vida? Será que Fani conseguiu?

Se você é apaixonado por jovens chick lits, romances e comédias, você com certeza vai amar, e vai querer devorar todos os outros 3 livros seguintes da série. 


Nenhum comentário

Postar um comentário