18 julho 2016

[Crítica] AmoR Fragmentos

A verdade sobre o amor é... O que é amar? Romeu e Julieta? Christian e Satine? Rose e Jack? Não. O amor tem seu lado muito mais amplo, e ‘AmoR Fragmentos’ fala disso sem medo.



Sinopse: Baseado em textos de grandes dramaturgos como Nelson Rodrigues, Fernando Arrabal e Tennessee Williams, a peça retrata paixão, cumplicidade, desejo, tragédia e outros ingredientes que temperam as relações e diferentes formas de amor.
Direção: Claudio Sásil e Suellen Costa.
Elenco: Claudia Rosa Mehnert, Eduardo Egrejas, Flavio Rodrigues, Gloria Marra, Luiza Vicentini, Vitor Pereira.

O que eu achei?
Acha que amor é somente o que contam nos poemas e filmes românticos? Há quanto tempo nós, seres humanos, somos iludidos com a ideia de que no amor ninguém se fere, ninguém trai, ninguém sonha e realiza... Pois é, difícil você ver uma obra que desmantela tudo isso com clareza e afinco de cada ator presente em cena. Ah, não! A culpa não está na peça em nos mostrar a verdade, mas, sim, em quem é enganado por Hollywood, e que só acha que o amor é presente na paixão.

Quando você entra no teatro pode ver apenas um palco simples, com algumas almofadas e três “bancos”. A luz apaga, ouvimos pessoas andando pelo palco e murmurando. Uma explicação do que vem a ser o verdadeiro “amor”. Então, somos mergulhados em cerca de 10 esquetes, com seis atores se intercalando, e nos mostrando histórias que te fazem emocionar e rir. Aquele pequeno espaço, com objetos comuns, se torna uma sala de estar, um quarto de um manicômio, um jardim, o começo do fim do mundo... São claras as possibilidades, só depende de você ser levado pela história.

Apesar de algumas falhas técnicas – principalmente, no som – a obra traz mais do que algumas cenas do amor em sua forma ampla. Você pode sentir aquele desespero de uma irmã precisando de atenção, de uma mulher casada pensando que perdeu que lhe causava mais prazer, de dois jovens sonhadores para chegar no lugar ideal de suas vidas em conjunto. Os atores conseguem expressar sobre isso de forma clara, com falas bem colocadas e uso da excelente linguagem corporal.

Se você deve assistir? Claro que sim! Mas devo ressaltar que irá impressionar, com toda a certeza, as pessoas que pensam que o amor é somente aquele chamego de fim de tarde entre dois namorados. Não, ele é muito mais do que isso, e toda a produção mostra isso ao seu público, sem medo.

Serviço
Peça: AmoR Fragmentos
Local: Parque das Ruínas (R. Murtinho Nobre, 169 - Santa Teresa)
Data: 22 e 29 de julho
Classificação etária: 16 anos
Entrada Franca



Nenhum comentário

Postar um comentário