22 junho 2016

[Crítica] Independence Day – O Ressurgimento:

Sinopse:
Nós sempre soubemos que eles voltariam. Depois de Independence Day redefinir o gênero de filmes de desastres, o próximo épico capítulo leva a uma catástrofe global em escala inimaginável. Usando a tecnologia alienígena recuperada, as nações da Terra têm colaborado em um programa de defesa imenso para proteger o planeta. Mas nada pode nos preparar para a força avançada e sem precedentes dos alienígenas. Somente a ingenuidade de alguns valentes homens e mulheres pode trazer nosso mundo de volta da beira da extinção.

O que eu achei:

O filme começa 20 anos depois do primeiro filme “Independence Day”, depois dos ataques extraterrestres de 1996 a humanidade está unida, não existem mais conflitos e foi criada uma organização para cuidar dos assuntos intergalácticos. Tudo ia muito bem, o que ninguém suspeitava é que antes de serem destruídos nossos inimigos extraterrestes enviaram um alerta de socorro, e o reforço demorou vinte anos para chegar.
Vamos acompanhar 3 vertentes do filme, o que nos permite estar por dentro de todos os passos e decisões da guerra, o lado dos soldados, dos cientistas e a parte presidencial (que inclui a atual presidente, o antigo, mais seus conselheiros), cada uma delas tem seus conflitos internos fora a guerra e o filme acaba se tornando muito mais do que só mais um filme de ação com muitas explosões e nada a acrescentar.
Os cientistas descobrem que na verdade os alienígenas inimigos já roubaram núcleos de vários planetas e é disso que se baseia sua tecnologia, e tudo já está pronto para que eles “peguem” o nosso núcleo e por consequência acaba com a vida na Terra. Assim começam eletrizantes cenas de ação que vão desde soldados tentando matar a líder deles, cientistas tentando de too jeito obter informações e comandantes tomando decisões muito difíceis.
O filme é classificado como ficção cientifica militar, mas tem nuances de romance, e inúmeras cenas divertidíssimas, além de ser cheios de referências e piadas sobre o primeiro filme, que com certeza agradará aos fãs que esperaram duas décadas por mais um filme. A fotografia do filme é linda, as cenas fora da terra, dos extraterrestres, e das novas tecnologias são super bem feitas e nos fazem embarcar completamente neste universo.

Além do filme ser maravilhoso, a sala de cinema contribuiu muito para a experiência. A cabine de imprensa aconteceu na abertura da sala UCI XPlus no shopping New York City Center, a segunda sala do Rio e nona do Brasil, ela é equipada com projetor de definição 4k que é quatro vezes maior que a definição comum, e oferece muito mais realismo a imagem, além de quase 100m² e exibição 3D de última geração.  Mas o grande diferencial da sala XPlus é a tecnologia Dolby Atmos, com ele o som vem de todas as direções, inclusive do teto, para preencher a sala com riqueza de detalhes e profundidade impressionantes, o sistema cria a ilusão de um campo de som infinito ao redor da pessoa causando uma experiência inesquecível de total imersão no filme.

Trailer:
O filme entra em cartaz nessa quinta (23) e é a dica para o final de semana! Não deixem de assistir e nos contar nos comentários o que acharam!

Nenhum comentário

Postar um comentário