30 março 2016

[Resenha] Swing- Eu, tu e eles.

Sinopse:
O swing (troca de casais) é o ponto de partida para reflexões acerca de valores, comportamentos e modelos conjugais, sexuais e de gênero predominantes há séculos nas sociedades ocidentais, mas, atualmente, em crise profunda. O livro Swing: Eu, Tu… Eles é o resultado de dois anos e meio de pesquisa, trabalho de campo realizado em clubes de swing em Portugal e entrevistas com casais adeptos da prática.Trata-se de um livro que mostra diferentes reflexões e fenômenos socioculturais que influenciam diretamente a nossa maneira de lidar com aspectos da vida afetivo-sexual.

O que eu achei?
O livro é narrado em 3ª pessoa, pela própria autora que mergulhou no universo do Swing, BSDM, entre outros universos que englobam a temática. Ela realmente pesquisou sobre o assunto e temos referências muito antiga. 

Swing é o tipo de relação que engloba, troca de casais. Muitos casais frequentam casas de swing e não participam da troca, alguns são apenas voyers(apenas assistem), outros praticam relações sexuais apenas com seus parceiros e saem do trecho casa- motel e decidem apimentar sua relação.
O livro tem relatos de alguns frequentadores de casas de swing, habitantes de Portugal e Brasil. Na Europa estão presentes as maiores casas que permitem a prática e em quantidade é o continente com mais casas por país, sendo a Bélgica o grande âmbito de swingers( casais que fazem swing) e detentor do título de país com mais casas de swing.
No Brasil a grande maioria dos frequentadores são tidos como "espertinhos" onde homens héteros vão achando que estão indo para uma orgia e não para um ambiente onde as pessoas se respeitam e permitem seus parceiros a transarem com outras pessoas.
Enquanto em Portugal os frequentadores são swingers ativos e realmente casados no papel.

Infelizmente os frequentadores não podem expor seus desejos mais peculiares, pois a sociedade dita como moderna não entende estes desejos. O ideal do livro é desmitificar o swing e humanizar os frequentadores de uma casa de swing. Este estudo mostra que a grande maioria é provida de bens materiais e são de classe média- alta e com média de idade entre 30 - 50 anos em Portugal e no Brasil entre 30- 40 anos.

Maria Silvério talvez tenha pecado pelo erro de tentar não amedrontar o mundo de fora e ao meu ver poderia ter relatado melhor as casas de swing e seus frequentadores.  O livro é muito bem detalhado e com estudos e mostras de filósofos e explicações de médicos sobre homossexualismo, bissexualismo e todos tipos de relacionamentos. Todos deveriam antes de apontar o próximo por achar algo fora do comum ou com muita libertinagem, entenderem  o motivo de ocorrer o swing e como algumas pessoas facilmente separam o amor do sexo.

O livro é ótimo para pessoas que nunca buscaram entender sobre o assunto, nem muito menos ousou em saber do que se trata. Super recomendo a leitura para abrir mentes e entender os desejos alheios.
-> Espero que tenham perdido um pouco de seu "pré- conceito".
Deixe seu comentário.
Beijos.

Nenhum comentário

Postar um comentário