30 abril 2017

[Resenha] Simples Perfeição


Woods teve sua vida traçada desde o berço. Cuidar dos negócios da família, casar com a mulher que os pais escolheram, fingir que riqueza e privilégios eram tudo de que ele necessitava. Então a doce e sensual Della apareceu e conquistou seu coração, abrindo seus olhos para um novo futuro. A vida do casal seguia para um final feliz, até acontecer um imprevisto: a morte do pai de Woods. Da noite para o dia, o rapaz herda o império Kerrington e, embora sempre tenha almejado essa posição, precisará de toda ajuda possível para provar que está à altura de tanta responsabilidade. 
Della está determinada a ser o apoio de que Woods necessita, mas os fantasmas do passado ainda estão presentes e mais intensos do que nunca. Pressionada pela ex-noiva e pela mãe de Woods, ela toma a decisão mais difícil de sua vida: abdicar da própria felicidade pelo homem que ama. Mas os dois terão a força necessária para seguir em frente um sem o outro? Concluindo a sedutora história de Woods e Della, “Simples perfeição” é o romance mais surpreendente de Abbi Glines e mostra que encontrar alguém pode ser um golpe do destino, mas descobrir a perfeição ao lado dessa pessoa requer aceitar a si mesmo e superar os piores obstáculos a dois.
O que eu Achei:
Depois daquele final de Estranha Perfeição é impossível não devorar as páginas desse segundo livro de Della e Woods, e posso adiantar que esta relação que já era intensa está ainda mais, e neste livro não vemos apenas os personagens crescendo juntos, mas cada um buscando força em si, se descobrindo, para só então serem capaz de levar uma vida juntos, o que torna tudo ainda mais fascinante de ler.

Com a notícia recebida ao final do primeiro livro este prometia uma grande carga dramática, mas não foi o que aconteceu, a reação de Woods, ou melhor a falta de reação dele, foi surpreendente, ele escolheu ficar ao lado de Della e nenhum fato mudou isso( acho que ele ganhou meu coração aí), apesar da falta de sentimentos por ninguém além dela ser bem preocupante e sufocante para ela.
E é exatamente assim que ela se sente, depois de uma vida presa e cheia de limitações Della não quer perder a sua liberdade, mesmo que seja em prol do seu amor por Woods, assim ela decide ter mais pé no chão, perder os medos, encarar Woods e impor seus desejos, para tudo isso ela se inspira na nossa primeira mocinha de Rosemary, Blaire.
Quando tudo parecia certo, as crises de Della se tornaram poucos frequentes, e com isso Woods se tornou menos protetor e os dois vivem em harmonia, Angelina, ex noiva de Woods, volta a cena e Della começa a se questionar se ela com todos os seus problemas é a melhor escolha para o futuro de Wodds, essa duvida paira sobre ela até uma revelação mudar completamente sua vida e o rumo das coisas.

Este livro tinha tudo para cair no clichê(eu sinceramente já esperava por isso) mas Abbi Glines é tão boa no que faz que simplesmente se recusa a nos dar mais do mesmo, e nos traz novas histórias com novos elementos e influencias a cada livro, e com este não foi diferente e a leitura é uma simples perfeição.

29 abril 2017

[Resenha] Estranha Perfeição




Della Sloane não é uma garota comum. Ansiando se libertar do seu passado sombrio e traumático, ela planeja uma longa viagem de carro em busca de autoconhecimento e dos prazeres da vida real. Seu plano, no entanto, logo encontra um obstáculo: o automóvel fica sem gasolina em Rosemary, na Flórida, uma cidadezinha praiana no meio do nada.
Neste cenário, ela conhece o jovem Woods Kerrington, muito disposto a
ajudar uma menina bonita em apuros. O que ela não sabe é que Woods é o herdeiro do country club Kerrington e está de casamento marcado com
Angelina Greystone, uma união arranjada que culminará na fusão de suas
empresas, garantindo o futuro profissional do rapaz.
Uma noite despretensiosa parece a solução perfeita para Della e Woods
fugirem por um tempo de tanta pressão. Do passado que ela gostaria de
esquecer. Do futuro de que ele tantas vezes tentou escapar.
Mas eles não poderiam prever que a atração os levaria a algo mais
quando os seus caminhos se reencontrassem. Agora precisam aceitar suas estranhezas para descobrirem a perfeição.
Se você é fã da série Sem Limites, vai adorar este delicioso romance
ambientado no mesmo universo sedutor criado por Abbi Glines.
O que eu Achei:
Hora de conhecer o segundo casal de Rosemary Beach, se bem que conhecer não é bem o termo já que Woods apareceu nos quatro livros anteriores e Della aparece em alguns momentos onde as histórias se cruzam, momento que amo. Adoro ver como tudo se conecta e Abbi liga as cenas e os personagens sem deixar furo, além de poder conhecer o mesmo momento por pontos de vistas diferentes e ver o diferente desenrolar dele.
Woods Kerrington é o herdeiro do country club mais badalado de Rosemary, mas seu pai o impede de assumir um cargo de grande responsabilidade, que é seu lugar de direito, a menos que se case com Angelina, outra herdeira, a qual a família promete uma grande aliança com o clube desde que os dois usem aliança no dedo esquerdo, até lá, nada feito, mesmo não sendo feliz com Angelina, Woods sabe que seu felicidade é administrar o clube e por isso aceita tudo que lhe é imposto.
Enquanto Woods está prestes a se prender Della é um espírito livre, quando sua melhor amiga se casou e deu seu carro a ela, Della começou sua busca por seu lugar no mundo e tenta conquistar sua independência, depois de uma vida de tantos sofrimentos. Ela conhece Woods em sua primeira parada, que é super rápida, afinal ela só parou para abastecer o carro e acabou em uma intensa noite de sexo sem compromisso, que nem um dos dois esqueceria facilmente. Della segue seu caminho, mas o destino a força a voltar pra Rosemary Beach alguns meses depois e o encontro deles pega fogo.
Com uma química inegável, os dois precisam encarar passado e futuro se quiserem realmente ficarem juntos no presente, o que não é tarefa fácil. Afinal, abrir mão do futuro que sonhou a vida toda é uma decisão muito difícil, mesmo um apoiando o outro, o jogo de poderes que eles atrapalham ficando juntos não os dará paz tão facilmente.

Em Estranha Perfeição, Abbi Glines mostra sua versatilidade ao construir personagens tão diferentes em um mesmo cenário, o que é um desafio, Della é completamente diferente de Blaire, mas sua história consegue prender, apaixonar e emocionar do mesmo jeito. Este é o tipo de livro que nos faz questionar o poder do amor e do que somos capazes de fazer por quem amamos, do que somos capazes de superar. Voamos pelas páginas e é impossível acabar este livro e não correr para o próximo que contará o desfecho da história deste casal.

28 abril 2017

[Crítica] Vida


Seis astronautas de diferentes nacionalidades estão em uma estação espacial, cujo objetivo maior é estudar amostras coletadas no solo de Marte por um satélite. Dentre elas está um ser unicelular, despertado por Hugh Derry (Ariyon Bakare) através dos equipamentos da própria estação espacial. Tal descoberta é intensamente celebrada por ser a primeira forma de vida encontrada fora da Terra, sendo que um concurso mundial elege seu nome: Calvin. Só que, surpreendentemente, este ser se desenvolve de forma bastante rápida, ganhando novas células e uma capacidade inimaginável.
O que eu achei?
Uma das maiores perguntas da humanidade é "será que estamos sozinhos?" "Será que somos os únicos?"O tema é usado à exaustão em varias mídias, é um assunto fascinante e que mostra um pouco do interior da psique humana e o medo de estar sozinho. Agora coloque um ser biológico e junta o fator de ele precisar se alimentar como você, ele não é uma ameaça apenas está lutando por sobrevivência como você, a única diferença que ele pode te devorar. Esse e o fio condutor do filme VIDA ( de Daniel Espinosa) que estréia essa semana, na trama “uma equipe de seis astronautas da Estação Espacial Internacional descobre sinais de vida inteligente em Marte e a investigação do fato gera conseqüências inimagináveis”. Com essa sinopse simples pode até pensar, é só mais um filme genérico do tema, eu até pensei assim vendo o trailer porém nos surpreende pela abordagem dada ao tema que poderia ser batido.
Quando somos apresentados a equipe da estação, percebemos várias etnias dos membros e o que cada um faz, isso é apresentado de forma simples e rápida, por que logo de cara o foco é a arte biológica tentando ativar uma pequena partícula vinda de marte que pode obter vida, foi a primeira coisa que me surpreendeu o uso da ciência para o assunto, a primeira descoberta de vida vem de uma simples célula ( na área científica umas das teorias de vida em outros planetas é de uma possível existência celular). O primeiro ato é em torno do impacto da descoberta e nos personagens, os astronautas da estação, e vemos aos poucos o desenvolvimento da célula em um pequeno ser.
A partir daí o filme tem um toque de "Alien o oitavo passageiro", com momentos tensos de segurar na cadeira e não saber o que esperar, esse é um ponto positivo, outro ponto é criar a atmosfera chave do clímax, mesmo que seja óbvio o desenvolvimento do filme você ainda se prende ao clímax.
Tecnicamente o filme não é como "Gravidade" mas isso não quer dizer que não tem seus esmeros. Tem uma boa direção e bons efeitos especiais mesmo que alguns desses efeitos pareceram bem artificiais. No geral tem uma técnica satisfatória, junto com as atuações cada personagem tem seu espaço e momento certo para desenvolver sua trama própria como o personagem de Jake Gyllenhaal, um homem que ama o espaço e não quer voltar para a terra pelos seus traumas, onde o isolamento da estação é o que ele deseja, outro que ganha um bom desenvolvimento é Ariyon Bakare, o típico cientista que admira a criatura de uma forma quase maternal observando seu desenvolvimento e suas habilidades.
Sobre a criatura incomoda a visão em primeira pessoa, você acaba saindo da visão dos astronautas, particularmente acho um erro por que como o ser é de outro planeta a forma de ver dele é mostrado de uma forma brochante. A criatura também forma uma face para nos identificarmos, sei que é difícil pensar em algo nunca imaginável ou inominável, só que criar uma face para algo de outro planeta não foi tão legal, a forma que é apresentada é bem assustadora.
Vida é um filme que te surpreende e mesmo com final clichê assim como "Gravidade" é um filme pipoca que tenta buscar um diferencial e isso é louvável em uma época de filmes repetitivos.

Trailer:


27 abril 2017

[GEEKS & Nerds] World of Warcraft-Parte um

Hoje é aniversário da nossa colaboradora Clara, a menina que mais me dá trabalho no blog. Mas ela é um amorzinho e faz matérias incríveis sobre um universo novo aqui no Reino... Feliz Aniversário Clara e segue a matéria...
  
Parte 1- origem do jogo, como jogar e o que é necessário?

Muitas pessoas já ouviram falar em algum momento da vida, sobre o jogo World of Warcraft,mais conhecido por seus jogadores pela sigla WOW. Mas o que é esse jogo Basicamente, o WOW é um jogo online, lançado pela Blizzard em 2004, cujo estilo de jogar seria o MMORPG, (Massive Multiplayer Online Role Play Game).

Ao começar a jogar, você cria um personagem onde você em primeiro lugar escolhe entre duas facções que são Horda e Aliança. Dentro dessas duas facções, você vai escolher entre várias raças (Humano, Elfo Noturno, Gnomo, etc) qual você irá jogar, e por último, qual classe (Druidas, Caçadoras, Monge,etc) você gostaria de jogar.
O jogo em si é um mundo bem vasto pois existem várias maneiras de alcançar o nível máximo que hoje em dia é 110.Você pode completar as missões que irão aparecer pelo caminho ou fazer masmorras, que são lugares onde você têm vários inimigos cujo objetivo é matar o Chefe Final. Mas não para por aí.Você ainda poderá fazer batalhas de mascotes, fazer várias coleções como de montarias, vestimentas e completar conquistas dentro do jogo.

Infelizmente, não é um jogo barato para se manter. Além de ter que comprar o jogo original e suas expansões, você ainda tem que pagar mensalmente para poder utilizar do jogo. Para quem quiser ver como funciona o jogo, hoje em dia a Blizzard liberou uma versão não paga,mas seu personagem somente poderá chegar ao nível 20.Para isso, é só você entrar no site do jogo(https://worldofwarcraft.com/pt-br/)  e clicar em experimentar grátis. 
Esse é o primeiro de uma série de três posts sobre o universo de WOW. Aguardem o próximo terça que vem!

 Agradecimentos especiais à Patrícia Veneroso por ter colaborado com essa matéria.



26 abril 2017

[Crítica] Ninguém Entra Ninguém Sai

Após fazer uma vaquinha entre amigos, Edu (Emiliano D'Ávila) consegue dinheiro suficiente para levar Suellen (Letícia Lima) ao Zeffiro's, um motel bastante conceituado e caro. Lá também estão a juíza Letícia (Danielle Winits) e seu assessor Acauã (Tatsu Carvalho), os adolescentes Caju (João Côrtes) e Bebel (Bella Piero), a virgem Margot (Mariana dos Santos) e o assaltante Alexandre (Rafael Infante), além de vários outros casais. Paralelamente, o funcionário do motel Donizete (Paulinho Serra) vai até um hospital e lá é diagnosticado com um vírus raro, que até então não existia no Brasil. Por causa disto, o motel é imediatamente colocado em quarentena, com seus funcionários e hóspedes sendo impedidos de deixar o local. Ao mesmo tempo em que temem que suas identidades sejam reveladas, eles precisam encontrar um meio de conviver em harmonia enquanto desfrutam dos prazeres do estabelecimento.
O que eu achei? 
Na comédia livremente (tão livre que não tem nada a ver) baseada na crônica ‘No Motel’ de Luiz Fernando Veríssimo, ‘Ninguém Entra Ninguém Sai’, somos apresentados a uma gama de personagens que, ao acaso, encontram-se num mesmo motel simultaneamente: o Zeffiro’s. Enquanto isso, um dos funcionários desse motel da entrada num hospital com suspeitas de portar o primeiro caso brasileiro de um vírus raríssimo. Sendo assim, o Zeffiro’s é posto em quarentena e torna-se notícia em escala nacional. Os casais precisarão, além de manter suas identidades em segredo, encontrar um jeito de conviverem harmonicamente, chegando até mesmo a formar uma pequena sociedade, com direito a representante das massas e tudo.

Da crônica de Veríssimo é aproveitada apenas a vontade dos personagens em manter suas identidades secretas. Até porque é um crônica, não há muito que tirar de poucos parágrafos e estender à uma hora e meia de filme logo teriam sido mais em conta não evidenciar a inspiração na obra. O número de subnúcleos ramificados da união de todos os personagens em prol da convivência na trama é exagerado, como se tentando tapar qualquer buraco de cena com algum personagem extra sem necessidade.

Não obstante, sua grande maioria é formada por estereótipos que carecem de acrescentar algo inovador em sua abordagem: o casal principal de suburbanos vividos por Letícia Lima e Emiliano D’Ávila, que só amarram a história e irritam um pouco; o gay afeminado interpretado por Leo Bahia, que não convence muito; a dominatrix vivida por Dani Winits — não muito mais do que a atuação padrão da atriz + micro roupas e um chicote — e Tatsu Carvalho como o dominado; Mariana Santos, mais conhecida por sua participação fixa no programa ‘Amor & Sexo’, como a virgem solteirona. São escolhas previsíveis.

A personagem mais engraçada de todo filme é Margot. Por mais que seja uma opção desgastada para uma trama que envolve sexo, sua personagem é hilária mesmo assim. Em contrapartida a personagem de Guta Stresser, a Bebel de ‘A Grande Família’. Cegamente devota a um culto bizarro, poderia ter sido muito interessante — se fosse um filme de terror. Embora seja renovador vê-la numa atuação completamente diferente ao que já estávamos habituados por mais de quinze anos, sua influência para a história em questão parece um recorte adicionado de última hora. Não se encaixa ao clima de pastelão do filme. Os demais estão ali só por estar, aparentando mais contratações alheias de outros filmes já produzidos, como o Coronel Padilha, vivido por André Mattos, que aparentemente ficou preso no mesmo papel desde ‘Copa de Elite’, imitando o jornalista Wagner Montes infinitamente.

É um filme legal? Sim, engraçado até; se você ignorar a quantia mínima do que ele tem a oferecer de refrescante ao cenário humorístico brasileiro e pela piadas óbvias que você entra no cinema imaginando que não serão usadas porque até mesmo você, que não é roteirista ou algo do tipo, saberia que são escolhas preguiçosa e fracas, mas que usam assim mesmo. 

Trailer:
Postado por Julio Gabriel

[Resenha] A Escolha de Jake


Em 'A Escolha de Jake', Jake Taylor deixa a Califórnia e vai em busca do seu sonho em Louisville. Sua namorada Amy, seus amigos, pastor e família ficam todos para trás. Separados por milhares de quilômetros, Jake e Amy veem suas vidas seguir caminhos opostos - Amy volta a ter contato com o pai, depois se tornar amiga de uma garota com um histórico traumático. Enquanto isso, em Louisville, a popularidade de Jake no time de basquetebol traz perigosas oportunidades - baladas, meninas bonitas... A fé de Jake começa a se esvair e a velha criatura volta a existir.
O que eu achei:
Filhos de pais separados e presenciando as brigas de casal Jake se comporta mal e mesmo com 17 anos, começa a se envolver com bebidas alcoólicas, muitas garotas e leva uma vida completamente desregrada, até que engravida uma das garotas, Amy. Depois disso Jake resolve abandonar o esporte, mesmo sendo o astro do time, ele escolhe se afastar e voltar para seu pastor para resgatar sua fé.
Com a morte de seu amigo de infância ele regressa a LouisVille e deixa Amy grávida para trás. Sua volta não ocorre como o esperado e ele logo se decepciona, as pessoas ao seu redor não se importam com ele, e ao invés de se sentir bem se sente mais desolado e perdido.Mesmo assim Jake ainda se sente melhor ali hoje do que ao assistir as constantes brigas de seus pais na infância.
Voltando a faculdade Jake que tinha abandonado tudo, é convidado para uma festa onde os colegas de equipe o induzem a beber, e mesmo tendo prometido ao seu pastor e a Amy que não beberia mais pois uma nova fé o tinha despertado para a vida, ele não consegue resistir a tentação, e mesmo com pouca idade ele consumia muito álcool e conquistava um número muito grande de garotas.

Algumas mudanças tinham sido muito difíceis de alcançar e agora Jake regredia completamente nelas. Ele ansiava muito voltar para o time, e estava sendo muito desafiado por todos do time, e sua volta seria muito mais difícil que sua saída, sem contar os dilemas que ele enfrentava pelas escolhas que tinha feito. O livro apresenta várias idas e vindas que fazem parte da conduta humana. Vale a pena a leitura.

25 abril 2017

[Agenda] Programação Centro Cultural Light


Se você gosta de música, dança, teatro, vídeos e artesanato, não perca o 1º Festival Light de Cultura, que será realizado no Centro Cultural Light de 2 a 12 de maio.
A entrada é gratuita
O Centro Cultural Light fica na Av. Marechal Floriano, 168 - Centro - Rio de Janeiro
Veja a programação completa:
TERÇA-FEIRA DIA 02 DE MAIO
10h30 e 15h00 – QUANTA ENERGIA
Show interativo infanto-juvenil
 Grupo: Kommitment
19h00 – “UMA VIAGEM PELO MUNDO ATRAVÉS DA MÚSICA” COM ORQUESTRA SOM+EU E REGÊNCIA DE ANDERSON ALVES
Grupo: Projeto Som+Eu
QUARTA-FEIRA DIA 03 DE MAIO
10h30 e 15h00 – E FEZ SE A LUZ
Apresentação teatral.
Grupo: Cantos do Rio
18h00 – ESQUETES SUNTENTÁVEIS
Apresentação teatral.
Grupo: Manguinhos em Cena
QUINTA-FEIRA DIA 04 DE MAIO
17h00 –“MOSAICO”
Show de MPB dos músicos Thiago e Daiane (voz e violão)
Grupo: Estúdio Espaço Borelidade
17h30 –”LATA DOIDA”
Show compacto de percussão do grupo Lata Doida.
Grupo: Estúdio Nosso
19h00 – "LYDIO"
COHEN Co - Companhia de Dança Contemporânea.
Grupo: Ponto de Cultura RADAR
SEXTA-FEIRA DIA 05 DE MAIO
11h00 às 19h00 - FEIRINHA ALTERNATIVA + DJ (no pátio do Centro Cultural Light) + FOOD TRUCK
-Produtos Providenciando a Favor da Vida
-Empreendedoras parceiras do Baile Black Bom
-Ateliê Criart
-Ateliê Escola iMundo
-Produtos Arte com Visão
18h00 – “O SOM DO BARRACO”
Apresentação musical.
Grupo: Barraco #55
19h00 – NEGRAÇÃO
Espetáculo de dança.
Grupo: Escola Carioca de Danças Negras
20h00 às 22h00 - BAILE DE CHARME
Grupo: Encontro do Charme - Salgueiro
SEGUNDA-FEIRA DIA 08 DE MAIO
15h00 – SEGUNDA COM MÚSICA DE PRIMEIRA
Grupo: Projeto Som+Eu
18h00 às 19H00 - MOSTRA ESTÚDIO ESCOLA DE ANIMAÇÃO
Grupo: Estúdio Escola de Animação
Didático – Animação / 2012 – 02’51’’
Tutti Tatu – Animação / 2012 – 01’51’’
Entre Patas e Beijos – Animação / 2013 – 03’22’’
Ciclo da Pesca – Animação / 2013 – 01´29´´
Dia de Azar – Animação /2013 – 02’31’’
Suspeitos – Animação / 2013 – 02’35’’
Buraco Negro – Animação / 2014 – 03’34’’
Dia de Sorte – Animação / 2014 – 03’16’’
Fora Daqui – Animação / 2014 – 02’31’’
Lapa Birinaite – Animação / 2014 – 02’59’’
Refluxo Revange – Animação / 2014 – 04’34’’
Césio, o Camaleão – Animação /2016 – 03’48’’
Chá das 5 – Animação / 2016 – 03’31’’
Vegana - Animação / 2016 – 03’23’’
Curta memória (Girafa) – Animação/ 2012 – 03’14’’
TERÇA-FEIRA DIA 09 DE MAIO
16h00 às 20h00 - MOSTRA DE CURTA METRAGENS E DOCUMENTÁRIOS
16h00 - Caminho das Pedras – Documentário/2017- Direção Sandra Lima– 65’
17h20 - De volta pra casa–Documentário/2017. Direção Christian Jafas – 13
17h40 - Circuito Black Bom – Quilombo Pedra do Sal – Documentário/2015- Direção Radar Audiovisual-10’01’’
18h00 - A Vida Inteligente tá no Ar - Documentário/2016.Direção Magno - 25’
18h30 -Primeiras Horas – Documentário/2016. Direção Cecilia Fonseca, Raquel Spinelli e Bianca Mota – 16’
18h50 - A Fonte - Documentário/2015. Direção: Flávia Pé e Flávio Carvalho - 9'44 (Mostra de Filmes Imagens e Complexos)
19h00 - Beco dos Pancados - Experimental/2015. Direção Coletiva - 12' (Mostra de Filmes Imagens e Complexos)
19h15- Do luto pra Luta - Documentário/2016. Direção Natália Santana - 15'26" (Mostra de Filmes Imagens e Complexos)
19h35- Olhares da Misericórdia: a serra que atravessa gerações - Documentário/2016 – Direção: Álvaro Vinicius 16'36" (Mostra de Filmes Imagens e Complexos)
19h55 Visita - Documentário/2015 - Direção André Sandino Costa - 26' (Mostra de Filmes Imagens e Complexos)
QUARTA-FEIRA DIA 10 DE MAIO
10h30 e 15h00 – E FEZ SE A LUZ
Apresentação teatral.
Grupo: Cantos do Rio
18h00 – CONJUNTO HARMONICANTO CANTA MPB
Espetáculo de música com as crianças do projeto social Harmonicanto
Grupo: Harmonicanto
QUINTA-FEIRA DIA 11 DE MAIO
17h00 – IQFENIX APRESENTA BREAK E RAP
Espetáculo de Breakdance, que é um estilo de dança de rua.
Hiphop
Grupo: IQFENIX
17h30 PROJETO ARTE COM VISÃO APRESENTA MOSTRA DE DANÇA
Espetáculo de dança de ballet, jazz, hip hop e contemporâneo com os participantes do projeto.
Grupo: Arte com visão
19h00 – NO PASSINHO DO TABAJARAS
Espetáculo Teatral.
Grupo: Cia de Teatro Abraço da Paz
SEXTA-FEIRA DIA 12 DE MAIO
11h00 às 19h00 - FEIRINHA ALTERNATIVA + DJ (no pátio do Centro Cultural Light) + FOOD TRUCK
-Produtos Providenciando a Favor da Vida
-Empreendedoras parceiras do Baile Black Bom
-Ateliê Criart
-Ateliê Escola iMundo
-Produtos Arte com Visão
12h00 – “PALAVRAS QUE LIBERTAM”
Espetáculo de recital de poesia e apresentação musical de Hip Hop
Grupo: Formação de Jovens Produtores
17h00 – NÚCLEO 7.0 -CONCEPTION
Espetáculo de danças urbanas
Grupo: Favela em Dança
18h00 – PONTO DA PALAVRA
Sarau urbano com uma hora de apresentação, intercalando entre basquete, poesia e
música.
Grupo: Cultura na Cesta
19h00 – MORRO DA TRINCHEIRA
Espetáculo teatral.
Grupo: Cia de Teatro Abraço da Paz
20h00 às 22h00 - BAILE DE CHARME
Grupo: Encontro do Charme - Salgueiro

O Centro Cultural Light foi aberto ao público em 1994 na seda da distribuidora de energia elétrica e atualmente abriga projetos culturais e educacionais. Como chegar lá: a estação de metrô mais próxima é a Presidente Vargas. Há estacionamentos e pontos de ônibus próximos. 

[Resenha] A crise Estado islâmico ISIS-EIIS


     Estado Islâmico do Iraque e da Síria (EIIS) - um nome que inspira medo; um grupo que está ganhando ímpeto. Horrores inéditos estão assolando o Oriente Médio, e o Estado Islâmico pode ser responsável pelos piores desses eventos. E ainda há muito que não sabemos sobre esse grupo.- De onde vem?- Quem são eles?- Como se distingue de outros grupos terroristas?- O que Israel pensa sobre o EIIS?- Que impacto esses eventos podem ter sobre os Estados Unidos?A CRISE ESTADO ISLÂMICO ISIS-EIIS, dos autores Charles Dyer e Mark Tobey, abordam essas e muitas outras perguntas. Tomando por base a História, os eventos atuais e a profecia bíblica, Dyer e Tobey guiam os leitores pela raiz dos conflitos do Oriente Médio. Em seguida, eles exploram o papel do Estado Islâmico em todos esses eventos.
O que eu achei?
O quê significam as siglas ISIS-EIIS Como ele surgiu? Como podemos nos proteger do Estado Islâmico? Os Estados Unidos podem ser afetados? Como os ensinamentos bíblicos podem nos ajudar a lidar com a situação? Essas e outras questões essenciais para compreender um dos assuntos mais polêmicos da política internacional serão respondidas nesse livro.

No primeiro capítulo,a ameaça do EIIS é exemplificada com a decapitação do jornalista James Foley, executado enquanto fazia a cobertura da Guerra da Síria para a Agence France-Press, uma agência de notícias sediada em Paris e a origem do EIIS é contada,uma história que remonta à Primeira Guerra Mundial, quando os três primeiros acordos que influenciariam o destino do Oriente Médio para sempre foram feitos:o acordo Sykes-Picot, que definiu as fronteiras de influência britânica e francesa, que determinou a influência colonialista européia agressiva no Oriente Médio. A falta de comprometimento dos britânicos e dos franceses em cumprir suas respectivas partes do acordo, só aumentaram a revolta da população local.

O livro é dividido em dez capítulos.Enquanto o primeiro capítulo é uma contextualização de como todos esse conflito teve início, do segundo ao sétimo capítulo, os autores explicam a ascensão do mujahidin (grupo islâmico fundamentalista que apoia a jihad, a guerra santa muçulmana para defender a fé islãmica) ao poder, as diferenças entre xiitas e sunitas, a série de eventos que culminou na criação do Talibã,o grupo que atua no Afeganistão e no Paquistão, cujo objetivo é recuperar seu território invadido e expulsar os invasores dos Estados Unidos e da Otan e explicam a complexa situação da disputa de petróleo e água naquelas regiões.
No oitavo, nono e décimo capítulo, o foco é em análises em passagens da Bíblia que possivelmente relacionam toda essa luta em um presságio do Armagedon,o final dos tempos. No capítulo 9, há uma descrição de uma passagem do profeta Ezequiel em que nações atacarão  Israel numa época de paz e haverá uma coalizão desses países inimigos para atacar a Terra Santa.O resultado pode ser uma calamidade, se não seguirmos os ensinamentos divinos. No último capítulo, o plano de Deus de batalha para a vitória consiste em combater o medo e identificar o verdadeiro inimigo:Satanás. Dyer e Tobey concluem dizendo que a pergunta que deve ser respondida é:que diferença tudo isso pode fazer em nossas vidas?
O livro serve como uma ótima aula de história, sociologia e política até o ponto em que começa a discorrer sobre as passagens bíblicas e perde um pouco seu foco. Mas é uma leitura indispensável para quem se interessa pelo assunto da crise do estado islâmico ou para quem deseja aprofundar seus conhecimentos no assunto.

23 abril 2017

[Resenha] O Sol Também É Uma Estrela

Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.
Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.
O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?


O que eu achei?
Natasha, uma jovem jamaicana (que é mais americana do que jamaicana) que se mudou, aos oito anos, com seus pais e seu irmão, para Nova York. Extremamente direta, pé no chão, cuja mente cientifica não deixa espaços para questões filosóficas, sonhos e esperanças baseadas em sentimentos efêmeros. Daniel, um americano filho de imigrantes coreanos, sonhador e poeta, que acredita que a vida é muito mais do que cálculos e certezas absolutas baseadas em fatos testados mais de três vezes, só para garantir.
Mas no meio disso tudo, há o destino, que coloca o pé e os derruba de seus pedestais de certezas e os enche de dúvidas, que, na verdade, são certezas novas, que brotam aos poucos em cada um deles. Seus mundos colidem e a atração entre eles é inevitável – mesmo que tentem evitar.
Natasha está para ser deportada, junto com a família, no fim do dia, por culpa de seu pai; Daniel tem uma entrevista para a faculdade de medicina em Yale, por obrigação de seu pai. No caminho para resolver esses assuntos, a mão do destino, do acaso, de Deus, o sei lá de quem, faz com que Daniel perceba na jaqueta da menina que passa em sua frente, um sinal de que o futuro pode ser incrível para os dois. Ele a segue e, insistente, faz de tudo para conquista-la. Ela, realista, acha tudo uma bobagem. Ele tem até o fim do dia para conquista-la. Ela tem até o fim do dia para impedir que isso aconteça. E é aí que tudo começa.
Confesso que assim que li a sinopse, fiquei meio receoso com o tema – amor a primeira vista? Clichê, não? Não! Não há nada de clichê nessa história, muito pelo contrario. A autora soube utilizar os elementos tão batidos das histórias de “destinado um ao outro” de maneira tão sublime, poética e envolvente, que o livro parece ser a primeira escrita sobre o tema; o marco zero do “amor a primeira vista”. As personagens são extremamente cativantes e humanas, não pecam nem pelo excesso nem pela falta de uma ou outra qualidade (ou defeito), e não digo apenas sobre Natasha e Daniel. Essa história vai além. Muito além...
Eu vejo esta história como uma História de Destinos, de Vidas que se cruzam, e, como os encontros, cada momento, por menor que seja, pode afetar a vida dos envolvidos. Todos nesse livro têm suas histórias, seus anseios, medos e inseguranças; suas escolhas, erros e incertezas, o que faz com que a leitura seja uma experiencia muito mais rica e repleta de empatia, pois a autora nos faz perceber o quanto podemos afetar a vida do próximo, como eu disse, mesmo na menor de nossas atitudes. Todos as pessoas e seus universos particulares resumidos em um dia. E o quanto a vida de alguém pode mudar em um dia?
Além do conteúdo do livro ser perfeito, tanto na construção quanto no desenvolvimento, a parte gráfica é um show a parte. A história é contada pelos personagens, ou é narrada, em alguns capítulos sobre personagens “secundário”. A diagramação é perfeita, e o detalhe ilustrado que representa cada personagem (uma ilustração esférica diferente para cada pessoa) dá um todo um charme na história. Mas não posso deixar de comentar sobre essa capa, que a principio achei que fosse montagem, mas não! NÃO! A capa é obra da designer australiana Dominique Falla, e essa arte faz parte de uma série em que ela utiliza pregos e linhas coloridas em seus trabalhos (sério, vale muito apena pesquisar o trabalho dela. O livro possui um link e um código QR com o vídeo de como a artista criou a capa do livro!!!).
Não vou contar muito da historia em si, pois, como disse, são histórias de destinos e vidas, e contá-las acabaria por estragar algumas surpresas, mas digo, sem medo nem dúvida, que esse foi um dos livros mais gostosos de se ler que já tive em mãos, repleto de poesia, emoção; repleto de alma humana, seja ela cética e calculista, ou poética e sonhadora. É um livro que fará sorrisos e lágrimas brotarem espontaneamente, mas, acima de tudo, fará com que você sinta que pode haver muito mais no futuro.

22 abril 2017

[Teatro] Musical Vamp

Na última cena da novela ´´Vamp´´, novela que em 1991, ocupou com muito sucesso a faixa de horário das sete da Rede Globo, o personagem de Ney Latorraca, o conde Vladimir Polanski, lançava no ar uma promessa´´Eu voltarei´´.Vinte e seis anos depois eis que o poderoso vmapiro Vlad está realmente de volta, na peça ´´Vamp, o musical´´ que estreia hoje no Teatro Riachuelo Rio.E retorna não apenas o personagem com seu intérprete original,Ney mas também sua parceira de cena da novela, Cláudia Ohana, como a vampira roqueira Natasha Rebelo, que vende sua alma a Vlad em troca de sucesso, mas se arrepende e tenta acabar com o vampiro e voltar a ser humana.       

O que achei?
Nunca assisti a novela então não posso comparar com a versão original.Mas nem por isso aproveite menos a história.A peça conta com vários números musicais, alguns presentes na novela, como ´´Sympathy for the devil´´ dos Rolling Stones, ´´Doce vampiro´´ de Rita Lee,´´ Felicidade urgente´´ de Elba Ramalho e ´´Gita´´ de Raul Seixas e algumas inéditas como ´´Thriller´´ de Michael Jackson´´, que é um espetáculo à parte, a coreografia dos zumbis e vampiros e uma improvisação do samba, à la brasileira. O final é um pouco diferente da versão original, que foi ao entre julho de 1991 e fevereiro de 1992 (só sei disso porque umas pessoas que assistiram comigo e viram a novela, me contaram) mas é uma diversão garantida para amantes de comédia, terror e musicais de todas as idades. 

Vamp fez um sucesso estrondoso no início dos anos 90. Dirigida por Jorge Fernando e roteiro de Antônio Calmon, a novela conta as aventuras de uma cantora fracassada chamada Natasha, que vende sua alma para o vampiro Conde Polanski (notem a referência à Roman Polanski, diretor de A dança dos vampiros) em troca de sucesso na carreira.Ela logo descobre que foi um mau negócio e para conseguir sua alma de volta, precisa conseguir o medalhão do poder para desfazer o trato. A peça entrou em cartaz dia 17 de março e ficará até 4 de junho e conta com os dois atores principais do elenco original: Ney Latorraca e Cláudia Ohana, reprisando os papéis de conde Vlad e Natasha, respectivamente.Também há nomes como Evelyn Castro (´´Cássia Eller-O musical´´) no papel da caça-vampiros inglesa Alice Penn-Taylor, Cláudia Netto (´´Se eu fosse você-o musical) como Mandrágora, a mãe do conde, uma personagem que não existia na novela,criado especialmente para o musical, Erika Riba (´´A lei do amor´´) como Carmem Maura, dona da pensão em Armação dos Anjos, cidade fictícia onde o medalhão está escondido e algumas estrelas mirins, como Xande Valois, como Matosinho. 

Não deixem de visitar a lojinha de produtos oficiais, como almofadas, copos, programa com a relação das músicas e blusas.
A estudante de Publicidade Luísa Bizet já era fã da novela e decidiu assistir o musical para saber se era parecido com o original.

[Resenha] Loney

Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era criança e visitou o lugar.
À época, a mãe de Smith arrastou a família para aquela região numa peregrinação de Páscoa com o padre Bernard, cujo antecessor, Wilfred, morrera pouco tempo antes. Cabia ao jovem sacerdote liderar a comunidade até um antigo santuário, onde a obstinada sra. Smith crê que irá encontrar a cura para o filho mais velho, um garoto mudo e com problemas de aprendizagem. 
O grupo se instala na Moorings, uma casa fria e antiga, repleta de segredos. O clima é hostil, os moradores do lugar, ameaçadores, e uma aura de mistério cerca os desconhecidos ocupantes de Coldbarrow, uma faixa de terra pouco acessível, diariamente alagada na alta da maré. A vida dos irmãos acaba se entrelaçando à dos excêntricos vizinhos com intensidade e complexidade tão imperativas quanto a fé que os levou ao Loney, e o que acontece a partir daí se torna um fardo que Smith carrega pelo resto da vida, a verdade que ele vai sustentar a qualquer preço.
Com personagens ricos e idiossincráticos, um cenário sombrio e a sensação de ameaça constante, Loney é uma leitura perturbadora e impossível de largar, que conquistou crítica e público. Uma história de suspense e horror gótico, ricamente inspirada na criação católica do autor, no folclore e na agressiva paisagem do noroeste inglês.

O que eu achei?
Uma das leituras mais arrastadas do ano, comecei Loney com grandes expectativas, já que conheço umas cinco pessoas que são fascinadas por este livro. Certamente foi uma leitura difícil, pois a história é contada em diversas épocas diferentes. Mas deixe eu contar um pouquinho do que se trata o livro...

O livro conta a história de Smith que teme que o pior possa acontecer após depois de mais de 30 anos ouvir o nome de Coldbarrow, um nome que ele fez muito esforço para esquecer. Hoje seu irmão é um famoso pastor, escritor de livros e ele tem muito medo que a verdade venha a tona. E assim começamos o livro...

Somos levados a 30 anos atrás num lugarzinho chamado Loney onde conhecemos seus pais, seu irmão Hanny e um novo padre que chega ao local após a morte de outro padre. 
Fato esse que me incomodou muito: quase 100 páginas de livros e só descobri isso. Continuando...
Um mistério cerca a morte de Wilfred, que é descrito como um padre muito rigoroso com sua igreja e principalmente com os meninos que ele dava aula. Ele tinha o costume de corrigir de "forma tradicional" e fazia com que os meninos temessem sua presença e sua ausência; enquanto com seus outros fiéis tinha o costume de conversar e tentar levá- los o mais perto de Deus.

Todos anos a eles fazem uma pequena peregrinação até Coldbarrow na época da Páscoa, mas em especial para os pais do protagonista que vão em busca da cura para Andrew(Hanny) que nasceu mudo. Mas ao chegar a localidade vários fatos estranhos começam a acontecer, igrejas são invadidas, uma pessoa que era praticamente aparece curada, e para varia chove muito neste lugar.
Enquanto padre Bernard tenta se aproximar de sua congregação mais se afasta, pois a forma como fala e age é totalmente oposta ao que Wilfred. Sempre fica um suspense no ar... afinal o que está acontecendo? Barulhos durante a noite, pessoas agindo de forma diferente, que mistério acontece?

Eu realmente achei que tinha algo de errado comigo, mas por que? Fiquei 2 semanas lendo este livro, quando eu achava que ia me surpreender e ia ter um "boom" na história e nada acontece... Ok temos um desfecho, mas nada que justificasse a minha falta de empatia com o livro. Obviamente que você pode gostar,, assim como muitas pessoas adoraram Caixa de pássaros e eu não curti também. 
O livro é bem escrito, a história é contada, tem início, meio e fim, mas ainda assim não me prendeu. Enfim é isso!

21 abril 2017

[Resenha] Moana (A História do Filme em Quadrinho)


Há muito, muito tempo, um semideus chamado Maui roubou o coração de Te Fiti, a ilha-mãe, desequilibrando a natureza e espalhando escuridão em toda a Terra. Se, desde então, ninguém deixou a ilha de Motunui e navegou pelo mar, como Moana poderia se aventurar? Ela não sabe velejar, não faz ideia do que há além dos recifes ou nem mesmo onde encontrar Maui! Mas o coração precisa ser restaurado a qualquer custo, e o oceano escolheu Moana para fazê-lo. Será que ela vai provar que o oceano está certo?

O que eu Achei?
Se você acha que já se encantou o suficiente pela nova história da Disney, Moana- um mar de aventuras você está enganado, neste quadrinho descobri que posso me apaixonar ainda mais pela história tão encantadora dessa personagem moderna, que nos traz temas atuais, como feminismo, limitações feitas pela sociedade, mas sem perder o brilho e essência mágica de um bom filme do mundo mágico de Disney.

A história da HQ, é basicamente a mesma do filme, o que torna esta história um convite a mais para as crianças, tanto na hora de dormir, quanto para aquelas na fase de leituras mais simples, afinal uma história já conhecida, onde as cenas já estão na mente delas torna este processo mais fácil e divertido. Um destaque especial da HQ é a qualidade da impressão, acho que nem a imagem do cinema consegue ser tão nítida, cheia de cores vivas que chamam muito a atenção dos pequenos.
Mas se você também é como eu e já cresceu o suficiente para não ouvir mais histórias de dormir, não se preocupe o livro é para você também, afinal com ele temos todo o encantamento do filme nas nossas mãos, podemos abraçar, olhar a Moana “cara a cara”, e voltar a histórias várias e várias vezes, fora que ele fica tão lindo na estante(pausa para um suspiro).

Moana em quadrinhos foi lançado pela Editora Pixel Media que faz parte do grupo Ediouro e já lançaram outros quadrinhos com a mesma pegada Disney, como por exemplo O Bom Dinossauro, Tinker Bell e os monstros da Terra do Nunca,Zootopia e eu estou louca para conhecer cada uma dessas aventuras cinematográficas agora em formato de quadrinhos. E você, já leu alguma dessas publicações, ou filme que virou quadrinho? Comenta aí!

20 abril 2017

[Teatro] Cabaret Rouge

Cabaret Rouge é um musical romântico, polêmico e muito engraçado.
Samantha é a estrela do cabaré e se vê forçada a seduzir o rico Duque para salvar o estabelecimento das dívidas.

Cristian é um jovem escritor que larga tudo para viver seu sonho de lançar uma peça de sucesso.
Essa releitura de Moulin Rouge é mais que uma história de amor, é um espetáculo que nos faz refletir sobre o preconceito, violência contra mulher e machismo.
As músicas são totalmente em português e são compostas com muito bom humor e sátiras do cotidiano brasileiro.
O elenco é formado por ótimas atrizes, atores e transexuais que dão cor vida e muito brilho o espetáculo.
Cabaré Rouge ficará em cartaz até o final do mês de abril no teatro Henriqueta Brieba aos sábado e domingo às 20h.

Vídeo com partes do espetáculo e entrevista:


[Crítica] Despedida em grande estilo


Willie (Morgan Freeman), Joe (Michael Caine) e Albert (Alan Arkin) são amigos há décadas. Eles levam uma vida pacata, mas sofrem com problemas financeiros. Quando Willie testemunha o assalto milionário a um banco, decide chamar Joe e Albert para elaborarem o seu próprio assalto. É a vez de os idosos se rebelarem contra a exploração dos bancos.
O que eu achei?
Fui assistir a este filme sem nenhuma expectativa, apenas para poder ver na telona Morgan Freeman e Michael Caine. Então foi uma grata surpresa e saí com sorriso nos lábios... então vamos ao filme...
O filme conta a história de 3 homens  que estão vivendo na verdadeira pindaíba, mas quando tudo parecia não poder piorar, a empresa em que trabalham estão retirando seus direitos a uma aposentadoria e seus direitos.

Willie é um senhor que mora com Alan, um de seus melhores amigos, enquanto seu amigo Joe mora com sua filha e neta e terá sua vida financeira drasticamente reduzida e recebe uma carta de despejo de casa. 
Um dia Joe vai ao banco e chegando lá é rendido durante um assalto a banco. Como sua vida está um horror, ele decide que pode junto com seus dois melhores amigos planejar um assalto também. 
A partir daí temos cenas icônicas com três atores incrivelmente experientes e de teor cômico aguçado. 
Realmente eles vão assaltar o banco e incrivelmente tudo sai conforme o planejado. Mas um infortúnio da vida coloca os sentimentos à toda prova e faz com que a amizade seja cada vez mais fortalecida.

Este certamente será um dos filmes que você irá querer ver novamente e novamente, engraçado no ponto certo, elenco impecavelmente entrosado, direção incrível e um dos melhores textos de comédia da atualidade. Acredite você irá se surpreender!


Trailer:

[News] Roteiro Geek & Game para leitores

Esse fim de semana ocorre o Geek & Game Rio Festival 2017. Então decidi fazer uma postagem para os fãs de livros principalmente.

Teremos 5 editoras presentes:
- Editora Leya (Editora parceira do blog 💗) -A10/ B09
- Universo dos Livros- B04
- Grupo Editorial Record- B10/ C13
- Editora Guardião
- Editora Pendagron- C28

Sexta-feira
Star Wars e o ódio a George Lucas!Com Tiago Rex, André Gordirro, Anderson Gaveta e Affonso Solano
18:30 - 20:30


Sábado

Affonso Solano (O Espadachim de Carvão) e André Gordirro (Os Portões do Inferno) e Eduardo Spohr (trilogia Filhos do Éden e de A Batalha do Apocalipse) estarão juntos num bate- papo sobre literatura. Um super marco para os fãs de literatura fantástica.

Meet & Greet
 10:30- distribuição de senhas para autógrafos

Ferramentas criativas - a influência da cultura pop na formação literária
 16:30 às 17:30 

Domingo

M&G com Christie Golden

17:00 - 18:00
Sucesso de vendas como romancista com livros baseados em games Christie estará autografando seus livro. Popularmente conhecida por escrever World of warcraft, mas antes de mergulhar neste universo ela se dedicou a escrever histórias com personagens de Guerra nas estrelas e Jornada nas estrelas. 

Economia Criativa: Como empreender no mercado Geek
Com Affonso Solano, AJ. Oliveira, André Gordirro, Christian Gintner, Enéias Tavares, Killerjabuti (Gilson Junior), Luiz Guilherme Guedes, Luiz Paulo Lindroth, Pilar Moretzsohn e Victor Azevedo
18:30 - 19:30


Perceberam que Affonso domina os 3 dias né?
_______________________________________________________________________
Informações:::

ACESSO AO EVENTO
O acesso ao evento se dará através da compra de ingresso, por dia de evento.
Cada ingresso é válido para 1 (uma) entrada em 1 (um) dia de evento.
Os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente através da compra online, pelos pontos de venda ou nos dias de evento, diretamente nas bilheterias do Riocentro.

 
1º LOTE:
Inteira – R$60,00
Meia – R$30,00
Meia Social – R$30,00 + 1 livro
PASSAPORTE PARA OS 3 DIAS:
Inteira - R$144,00
Meia – R$72,00
Meia Social – R$72,00 + 1 livro

2º LOTE:
Inteira – R$80,00
Meia – R$40,00
Meia Social – R$40,00 + 1 livro
PASSAPORTE PARA OS 3 DIAS:
Inteira - R$192,00
Meia – R$96,00
Social – R$96,00 + 1 livro

3º LOTE:
Inteira – R$100,00
Meia – R$50,00
Meia Social – R$50,00 + 1 livro
PASSAPORTE PARA OS 3 DIAS:
Inteira - R$240,00
Meia – R$120,00
Social – R$120,00 + 1 livro

4º LOTE:
Inteira: R$120,00
Meia: R$60,00
Meia Social – R$60,00 + 1 livro
PASSAPORTE PARA OS 3 DIAS:
Inteira - R$288,00
Meia – R$144,00
Meia Social – R$144,00 + 1 livro

PASSAPORTE VIP:
Inteira – R$529,00