04 outubro 2016

[Critica] Meu Amigo, O dragão

Sinopse:
Após um acidente de carro na floresta, o pequeno Pete (Oakes Fegley) fica órfão. Ele logo é encontrado pelo dragão Elliot, que passa a protegê-lo. Seis anos se passam e a dupla está na mais perfeita sintonia, vivendo na floresta sem que alguém os tenha notado, já que Elliot possui a capacidade de se camuflar. Só que, um dia, Pete encontra o relógio da guarda florestal Grace Meacham (Bryce Dallas Howard). Ele passa a vê-la de longe, em um descampado onde uma madeireira está trabalhando, mas é descoberto pela jovem Natalie (Oona Laurence), que resolve segui-lo. A situação faz com que Pete seja descoberto e, após sofrer um acidente onde fica desacordado, é levado para o hospital. A situação deixa Elliot desnorteado, ao ponto de deixar seu lar à procura do menino.

O que eu achei?
Ate onde é o limite entre real e lenda?

Já vou começar lhes dizendo meus queridos leitores, vão preparados para as salas de cinema, pois eu NUNCA chorei tanto em um filme na minha vida... Mexeu bastante comigo, achei a mensagem que ele passa muito profunda, e é disney, tem algum filme deles que você não se apaixona? Risos.
O filme começa com o pequeno Pete, nosso protagonista, em uma ‘’aventura’’ com seus pais, por uma estrada rodeada por uma densa floresta, quando um cervo atravessa seus caminhos, e o carro aonde estavam acaba por capotar floresta adentro. É complicado ver isso logo de inicio, uma criança de 10 anos, sofrendo um acidente com os pais, e que os mesmos chegam a falecer. O que fazer?

Eis que Pete vem a conhecer quem seria o seu melhor amigo a partir de então, a ingenuidade de Pete contagiou cada pessoa dentro da sala de cinema, e tenho que admitir que ficamos encantados com tamanha fofura. Elliot, entra em cena todo triunfante, como todos já devem esperar, um dragão entra em cena. Não vou dar muitos detalhes, pois afinal, o filme vale muito a pena de se assistir.
A história do filme então se desenrola no contexto onde Pete acaba por ser encontrado  por uma guarda florestal, que coincidentemente seu pai, assusta crianças do bairro , contando-lhes histórias de terror sobre um dragão que cospe fogo e mata pessoas, e que habita nas florestas de Millhaven. Historias e baboseiras que para Grace, que praticamente vive na floresta, não acredita nem por um segundo.

Pete acabou se tornando a família de Elliot, e os dois se habituaram tanto uns ao outro, que se tornaram tão inseparáveis, que quando Elliot se dá conta da falta de Pete, o mesmo sai em uma jornada em busca do seu menino, para traze-lo de volta para casa.
Gavin, o ambicioso cunhado de Grace, porém tem outros planos para o nosso querido Elliot, mas com a ajuda de Pete, Grace, seu pai e sua filha Natalie, Elliot e Pete terão uma chance de ficar juntos uma vez mais.

Mais tudo que é bom, uma hora acaba se cansado de ser bom, e para proteger sua família, nada e ninguém ficara no caminho Elliot. Afinal, uma hora ficaríamos saturados de sermos perseguidos, e iriamos tomar uma atitude referente a isso, se fosse de alguma forma auxiliar na fuga com seu amigo Pete, um filho quase.
O cenário interiorano do filme, agrega mais valor ainda a história do mesmo, pois nos passa uma ideologia que aquilo realmente poderia acontecer em uma cidade pitoresca e rotineira como aquela. Nos dá uma sensação daquelas cidadezinhas de interior, onde todo mundo conhece todo mundo, e tem uma lenda  - Nesse caso a do dragão de Millhaven – e que todos sempre passam de geração em geração.

Admito que logo de começo, uma história sobre um garoto órfão, que fica perdido na floresta por vários anos, e faz amizade com a ‘’fauna’’ local para sobreviver, isso soa familiar para você? Porque Tarzan é a primeira coisa que me vem a cabeça. Mas ‘’Meu Amigo Dragão’’, a disney realmente fez uma re-leitura incrível, que não apenas me surpreendeu, mas chegou a me comover de uma forma que fazia muito tempo que não era.

O filme é gostoso se de assistir, a hora passa que acabamos nem vendo. Super recomendo o filme a todos, e crianças são bem vindas, acho que a partir de uns 5 anos já vão conseguir entender bem mais da história do filme.


Nenhum comentário

Postar um comentário