24 setembro 2016

[Resenha] Só por hoje e para sempre

Sinopse:
Entre abril e maio de 1993, Renato Russo passou vinte e nove dias internado numa clínica de reabilitação para dependentes químicos no Rio de Janeiro. Durante esse período, o músico seguiu com total dedicação os Doze Passos, programa criado pelos fundadores dos Alcoólicos Anônimos, que incluía um diário e outros exercícios de escrita. É este material inédito que vem à tona depois de mais de vinte anos em Só por hoje e para sempre, graças ao desejo de Renato de ter sua obra publicada postumamente. Entremeando as memórias do líder da Legião Urbana com passagens de autoanálise e um olhar esperançoso para o futuro, este relato oferece a seus fãs, além de valioso documento histórico, um contato íntimo com o artista e um exemplo decisivo de superação.

O que eu achei?
Se você  é  fã de Renato Russo e Legião Urbana e está em meio a algum tipo de sofrimento, definitivamente este não é o livro adequado para este momento, afinal lembre- se: o livro relata um dos piores momentos na vida de Renato.

O livro  é baseado em diários hospitalares, anotações e um diário que Renato Russo era orientado a escrever durante sua estadia nma clínica de reabilitação no RJ.
Foram exatos 29 dias internado para tratar de sua dependência química e alcoólica, se você pensou que estes 29 dias tem algo haver com a música Vinte e Nove, certamente acertou!

Ser fã de Renato Russo  e ler este livro foi um enorme desafio, pois encontrei dificuldades em separar minhas emoções e simplesmente ler e analisar o livro de uma forma crua. Eu me emocionei em tantas partes que perdi a noção.
Pois...  no início do livro podemos ver um Renato destruído psicologicamente, super imaturo e que não acredita num possível tratamento para si. Renato é diagnosticado com a maioria dos sintomas de alguém com auto estima baixa e autodegradação extrema. Através de relatos próprios do Renato sabemos que ele já teve muitas doenças ocasionados pelo total descaso com sua vida, logo pensei quantos e quantos anos Renato sofreu calado e se sufocou em meio a seus pensamentos.

Certamente o ídolo de uma geração ainda estava presente no corpo e na alma de Renato Russo, vivo e lutando dia após dia por sua vida num instituição. Ele acreditava estar tão solitário e vazio que se perdeu dentro de si, de seu ego e personalidade forte.  Perceber a sua luta diária em melhorar e ser melhor pensando em sua família, obviamente me fez crer que ele nunca mais voltaria a beber e se drogar. Renato ainda se mostra egocêntrico e tendencioso para nunca se achar bom o suficiente.

Enfim, é um livro que desconstrói um ídolo e sua forma de agir, você vai conhecer um Renato Russo alheio a toda e qualquer coisa. Leiam, pois é um livro para fãs e não fãs de Renato Russo.


Nenhum comentário

Postar um comentário