13 setembro 2016

[Resenha] O Diabo Veste Prada

Sinopse:
O mundo da moda não é para iniciantes. Especialmente em Nova York. Para conquistar espaço - o mínimo que seja - é preciso muitas vezes experimentar o pão que o diabo amassou. Ou mesmo vender a alma ao dito-cujo. Mas será que vale a pena tanto sacrifício? Com conhecimento de causa, Lauren Weisberger lança a questão com charme e bom humor em seu romance de estréia, 'O Diabo Veste Prada', que revela, em detalhes, histórias de personagens facilmente identificáveis no mundinho fashion de Nova York.

O que eu achei?
Andrea Sachs (Andy) é uma jovem que acabou de se formar na faculdade de Jornalismo e busca ingressar no mercado de trabalho. Depois de enviar vários currículos e participar de entrevistas, ela consegue um emprego como a nova assistente de Miranda Priestly na revista Runway, que é a mais famosa e reconhecida de Moda, pois a assistente anterior havia sido promovida e a empresa precisava de outra. O cargo que Andrea consegue é descrito como muito importante, capaz de trazer uma experiência enriquecedora e vagas em grandes empresas no futuro, de acordo com o desejo do funcionário. Muitas garotas seriam capazes de matar para consegui-lo.

No entanto, moda não é bem o seu forte. Andy deseja trabalhar em áreas que envolvam a escrita, mas aceitou a vaga justamente por causa da importância que esta pode trazer para o seu currículo. Logo no início, ela descobre que o trabalho exigirá muito de si e que terá que se esforçar muito para continuar na empresa. Sente-se pressionada e, por causa disso, enfrenta vários problemas. O livro é narrado em primeira pessoa, de modo que os seus pensamentos, as suas sensações e a sua trajetória sejam bastante mostrados e possamos nos sentir como a personagem se sente.

“O Diabo Veste Prada” é uma história que busca trazer uma reflexão forte em relação ao trabalho e às pessoas que fazem parte desse cotidiano. Através dessa leitura, percebemos as reais consequências de atitudes tomadas ao longo da vida e da carreira. Foi feita uma adaptação cinematográfica no ano de 2006 com o mesmo nome, que recebeu inúmeras indicações, na qual Meryl Streep obteve o prêmio Globo de Ouro em Melhor Atriz. Além disso, a escritora do livro se inspirou em fatos reais vividos por ela mesma em uma empresa que trabalhou.

Se você ainda não leu o livro e/ou ainda não viu o filme, está perdendo uma história incrível!
Espero que tenham gostado da resenha.
Deixe- nos um comentário.



Um comentário

  1. Oi Mai, apenas vi o filme e nossa, como eu adoro esta adaptação!
    Ótima atuação da Meryl ^^ Espero conseguir um dia, se tiver tempo, ler a obra original!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir