22 maio 2016

[Resenha] Calafrio

Sinopse:
Quando chega o inverno, Grace é atraída pela presença familiar dos lobos que vivem no bosque atrás de sua casa. Ela espera ansiosamente pelo frio desde que fitou pela primeira vez os profundos olhos amarelos de um dos lobos e sobreviveu ao ataque de uma alcateia. Esses mesmos olhos brilhantes ela encontraria mais tarde em Sam, um rapaz que cresceu vivendo duas vidas - uma normal, sob o sol, e outra no inverno, quando vestia a pele do animal feroz que, certa vez, encontrou aquela garota sem medo. Tudo o que Sam deseja é que Grace o reconheça em sua forma humana, e para isso bastaria que trocassem um único olhar. Mas o tempo de Sam está acabando. Ele não sabe até quando manterá a dupla aparência e quando se tornará um lobo para sempre. Enquanto buscam uma maneira de para torná-lo humano para sempre, têm de enfrentar a incompreensão da cidade, que vê nos lobos um perigo a ser combatido.

O que eu achei?
Grace, uma jovem que mora próximo a um bosque que serve de residencia à um bando de lobos, aos 11 anos de idade é ataca por eles. Contudo, um dos lobos do bando a salva da morte eminente, afastando os outros e afastando-a do bosque. Após o acidente, Grace desenvolve uma paixão e fascinação arrebatadoras pelos lobos, e, em especial, pelo lobos dos olhos amarelos – que ela jamais esquecera – que a salvara e que, vezes sem número, a observava ao longe. Ela apaixonara pelo lobo – pelo seu lobo, como chamava.
Uma morte de um aluno e uma caçada aos lobos levam um jovem baleado a aparecer próximo a casa de Grace e, ao olhar nos olhos dele, ela reconheceu os olhos amarelos – era o seu lobo, em forma humana.

De uma forma leve e despretensiosa, Maggie desconcerta o que seria uma história trágica, de fim anunciado, e cria um romance adolescente leve, sensível e divertido, com pitadas de sarcasmo e humor nas personalidades do casal Grace e Sam (o lobo): os pais relapsos, a estudante e sua rotina escolar, o convívio com as amizades e o bando e suas várias facetas. Contudo, faz ainda uso do mistério que permeia as fantásticas histórias de lobisomens e traz à lume um novo olhar para essa lenda que, nesta história, está mais viva e mais real – e até, de certa forma, crível – do que jamais vista antes.
Após encontrar com Sam – o seu lobo – em sua forma humana, Grace começa a descobrir os mistérios que habitam o bosque e que cercam os lobos, e percebe que sua fascinação e paixão por eles vai muito além da pura admiração.
Você acompanha Grace, uma estudante adolescente simples que se vê no meio de uma história que afetará não apenas a ela e ao seu lobo, mas às suas amizades e, quem sabe, a toda comunidade em que vive; sua busca por explicações para os mistérios dos lobos, do ataque que sofreu; a auto-descoberta como uma sobrevivente e, possivelmente, parte daquilo que mais ama – o bando; o desenrolar do relacionamento tão esperado por ambos – que se mostra fluido, natural e, ainda assim, divertido de se acompanhar –  e suas repercussões no bando.
Contudo, há muito há ser descoberto e desvendado, e não apenas por ela. Sam também irá se deparar com questões do seu próprio passado; a ética do bando será posta em pauta.

 Por que ele foi atacado? Por que Grace foi atacada? Por que ele se transformou e não ela? Existe uma cura? E ainda: o que o banda acha do relacionamento dos dois?
Bom, é ler para descobrir.

Nenhum comentário

Postar um comentário